quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Gil Vicente Futebol Clube

O Gil Vicente nasceu em Maio de 1924, após o nascimento de outros clubes na cidade de Barcelos, tal como o Barcellos Sporting Club e o União Foot-ball Club Barcellense. A ideia de fundar um novo clube para Barcelos surgiu de um grupo de amigos, que se reuniam todas as tardes no Largo do Teatro, situado no centro da cidade. O nome inicial encontrado para a nova equipa de Barcelos foi Gil Vicente Foot-ball Barcelense, tendo o nome Gil Vicente sido inspirado no teatro com o nome do dramaturgo e poeta português, Gil Vicente, onde se reuniam várias vezes.
As primeiras dificuldades da jovem formação fizeram-se sentir, sobretudo ao nível da necessidade de se encontrar um campo para a prática do futebol. Na altura, a equipa deslocava-se até ao emprestado Campo da Estação, que pertencia a outro clube de Barcelos, o Triunfo Sport Clube. Mas, a 3 de Maio de 1933, frente ao Sporting Clube de Braga, o Gil Vicente estreou-se no primeiro recinto da sua história, o Campo da Granja, com uma capacidade para 5012 espectadores, que mais tarde foi baptizado com o nome de Adelino Ribeiro Novo (nome que se mantém hoje), escolhido em homenagem ao ex-atleta do clube, que faleceu após um choque em campo, num jogo decorrido em 16 de Setembro de 1946.
Antigo escudo
O Campo da Granja chegou a pertencer ao União Foot-ball Club, mas com o seu desaparecimento, os gilistas transferiram-se para as suas instalações, onde permaneceram até à temporada 2003/2004.
Ao contrário da maior parte dos clubes da Liga Sagres, o Gil Vicente experimentou várias cores nos seus equipamentos até chegar ao que usa actualmente. Inicialmente, as camisolas eram de cor vermelha, depois foi escolhido o verde e branco em riscas horizontais, seguiu-se o amarelo e vermelho (em sintonia com as cores da cidade) e depois o azul. Nos últimos anos, o Gil Vicente decidiu alternar as cores das suas camisolas entre o vermelho e o azul.
O clube de Barcelos teve num determinado período da sua história, a particularidade de ser dirigido por sacerdotes e na temporada de 1974/1975, o padre José Maria Furtado, assumiu os destinos do clube numa fase de instabilidade para o Gil Vicente.
Pela equipa de Barcelos passaram, nos últimos anos, jogadores como Paulo Alves, que ingressou no Sporting, Nuno Capucho (que se iniciou nas escolas da formação gilista) ou Ljubinko Drulovic, que viriam a representar o FC Porto e treinadores como António Oliveira, que orientou o FC Porto e a Selecção Nacional A. Bem como Luis Loureiro que se tornou o 1º jogador "Gilista" a jogar no Gil Vicente e na Selecção Nacional pela mão do treinador Luiz Filipe Scolari, no ano em que a equipa de Barcelos obteve um magnifico 5º lugar na 1ª Divisão Portuguesa.
Em 2006/2007 disputou a Liga de Honra, depois de um longo e conturbado processo de um jogador não estar inscrito como profissional e que levou à despromoção do clube.
Na época 2009/2010 o Gil Vicente F.C. acabou por ficar em 10º lugar da Liga Vitalis.
  
Títulos

Campeonato Nacional 2.ª Divisao de Honra: 1998/99
Campeonato Nacional 2.ª Divisão Zona Norte: 1989/90

Estádio

O Estádio Cidade de Barcelos, incluído no Complexo Desportivo Municipal de Barcelos, Portugal, é a casa do Gil Vicente (actualmente a disputar a Liga de Honra), e foi inaugurado no dia 30 de Maio de 2004. O evento contou com um encontro de futebol amigável entre o Gil Vicente e o Nacional Montevideo do Uruguai, no qual os gilistas foram derrotados por 2-1. O estádio possui capacidade para 12.504 espectadores, espalhados por quatro bancadas, todas cobertas.


Alcunhas Gilistas,Galos

Site
http://www.gilvicentefc.pt