terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Futebol Clube do Porto

O Porto surgiu em 28 de setembro de 1893, por iniciativa de portugueses que haviam passado um tempo na Inglaterra e se apaixonado pelo futebol. Como o nome do clube sugere (F.C. Porto), este esporte é o carro-chefe da agremiação. Antônio Nicolau d’Almeida, como primeiro presidente, convidou o F.C. Lisbonese para um amistoso. Esta foi a primeira aparição da camisa azul e branca.
O Porto já iniciou sua história com sucesso. Além de conquistar muitos títulos em nível regional, a equipe venceu o primeiro campeonato de âmbito nacional realizado no país, precursor da Taça de Portugal. O time venceu vários destes torneios que eram, nos anos 1910, 1920 e 1930, os embriões dos quais surgiriam as principais competições nacionais de Portugal.

Em 1935, o Porto conquistou seu primeiro Campeonato Português, feito que repetiria em 1939 e 1940. Depois disso, passou por um longo jejum. Entre 1940 e 1955, o time não ganhou sequer uma taça de expressão, apenas torneios regionais e de juniores. Apesar disso, este período teve um momento brilhante para os portistas: a equipe derrotou o Arsenal, da Inglaterra, considerado então o melhor time do mundo. O prêmio esteve à altura do feito: um troféu que pesa mais de 300 quilos, dos quais 130 são de prata maciça.

Em 1955/1956, o Porto voltou a vencer o Campeonato Português e foi campeão da Taça de Portugal, na primeira dobradinha da história do clube. O time voltou a ser campeão nacional em 1958/1959. Depois, viveu um tempo de conquistas escassas, conquistando apenas duas Taças de Portugal, uma em 1968 e outra em 1977. E foi no ano seguinte a este último que o clube voltou a vencer o Campeonato Português e acabou bicampeão, posteriormente.

Em 1986/1987, o Porto conquistou sua primeira competição européia, a Liga dos Campeões, vencendo o Bayern de Munique por 2 a 1 na final. No mesmo ano, o time enfrentou o Peñarol, do Uruguai, pelo Campeonato Mundial e venceu, ganhando a Taça Intercontinental, mais um troféu para a já recheada galeria de conquistas portistas.

Nos anos 1980, o Porto começou a ter uma hegemonia em Portugal, vencendo os campeonatos de 1984/1985 e 1987/1988. Mas foi na década seguinte que o domínio foi avassalador. A equipe venceu nada menos do que oito dos dez títulos portugueses disputados nestes dez anos. Foram eles os de 1989/1990, 1991/1992, 1992/1993, 1994/1995, 1995/1996, 1996/1997, 1997/1998 e 1998/1999.

O pentacampeonato conquistado entre 1995 e 1999 é um dos maiores orgulhos do Porto. Depois deste feito memorável, o time ficou três anos sem conquistar o Campeonato Português, que seria vencido novamente em 2002/2003, uma temporada fantástica para a equipe, que foi campeã portuguesa, da Taça de Portugal e da Copa da Uefa.

A temporada 2003/2004 conseguiu ser ainda melhor, já que o Porto conquistou pela segunda vez na sua história a Liga dos Campeões, com uma vitória sobre o Mônaco na final, com boa atuação dos meias brasileiros Carlos Alberto e Deco, este último naturalizado português.

Além disso, a equipe repetiu o desempenho no Campeonato Nacional, sendo bicampeã. Para coroar o excelente ano, o clube conquistou a Taça Intercontinental novamente, desta vez de forma emocionante, ao vencer nos pênaltis o Once Caldas-COL.

Em 2005/2006, mais uma temporada brilhante. O Porto voltou a conquistar a dobradinha. Na temporada seguinte, conseguiu o bicampeonato no Campeonato Português. Este ano ainda foi marcante porque foi a época em que o lendário goleiro português Vítor Baía se aposentou. No ano de 2007/2008, o Porto consegue o tricampeonato. No ano seguinte, o Porto ganha o campeonato e concretiza o Tetra, o 2º da história do clube e Jesualdo Ferreira sagra-se como o 1º treinador português a conseguir o tricampeonato.

Títulos

Taça Intercontinental 1987 e 2004
Liga dos Campeões 1986/1987 e 2003/2004
Copa da Uefa  2002/2003
Campeonato Português 1934/1935, 1938/1939, 1939/1940, 1955/1956, 1958/1959, 1977/1978, 1978/1979, 1984/1985, 1985/1986, 1987/1988, 1989/1990, 1991/1992, 1992/1993, 1994/1995, 1995/1996, 1996/1997, 1997/1998, 1998/1999, 2002/2003, 2003/2004, 2005/2006, 2006/2007, 2007/2008 e 2008/09
Taça de Portugal 1955/1956, 1957/1958, 1967/1968, 1976/1977, 1983/1984, 1987/1988, 1990/1991, 1993/1994, 1997/1998, 1999/2000, 2000/2001, 2002/2003, 2005/2006 , 2008/09 e 2009/2010

Estádio

O Estádio do Dragão foi construído para substituir o velho Estádio das Antas que abriu as portas em 1952. Foi inaugurado em 16 de Novembro de 2003 num jogo particular com o Barcelona e utilizado em 2004 em cinco jogos do campeonato do Euro 2004, foi palco do jogo inaugural deste grande evento desportivo, disputado entre Portugal e a Grécia no dia 12 de Junho, onde a equipa anfitriã foi derrotada por 2-1. Aqui também tiveram lugar os jogos da fase de grupos Alemanha - Holanda e Itália - Suécia, a 15 e 18 de Junho, respectivamente, e ainda o jogo dos quartos-de-final entre a República Checa e a Dinamarca, e a meia-final que opôs a Grécia e a República Checa.
O estádio teve uma construção conturbada. Durante a construção, conflitos entre o presidente do clube, Jorge Nuno Pinto da Costa e o presidente da autarquia, Rui Rio, levaram a sucessivas paragens na obra e adiamentos. O estádio foi projectado pelo arquitecto Manuel Salgado e custou cerca de 98 milhões de euros, dos quais 18,5 milhões pagos pelo Estado.
Estádio das Antas
Durante a construção, houve uma viva discussão sobre o nome a dar ao estádio. "Estádio das Antas", "Novo Estádio das Antas" e "Estádio Pinto da Costa" foram alguns dos nomes propostos. Pinto da Costa recusou o seu próprio nome e escolheu "Dragão" por referência ao Dragão que figura no emblema do clube. 
Capacidade  50,799 lugares.

Hino
Oh meu Porto onde a eterna mocidade
Diz à gente o que é ser nobre e leal
Teu pendão leva o escudo da cidade
Que na história deu o nome a Portugal

Oh campeão, o teu passado
É um livro de honra de vitórias sem igual
O teu brasão abençoado
Tem no teu Porto mais um arco triunfal
Porto, Porto, Porto, Porto
Porto, Porto, Porto, Porto
Porto, Porto

Quando alguém se atrever a sufocar
O grito audaz da tua ardente voz
Oh, Oh, Porto, então verás vibrar
A multidão num grito só de todos nós

Oh campeão, o teu passado
É um livro de honra de vitórias sem igual
O teu brasão abençoado
Tem no teu Porto mais um arco triunfal
Porto, Porto, Porto, Porto
Porto, Porto, Porto, Porto
Porto, Porto

Mascote

Um dos nomes pelos quais o Porto é chamado é “Os Dragões”. Assim sendo, esta figura mítica foi escolhida como mascote do clube.

Alcunhas Dragões, Azuis e Brancos

Site
http://www.fcporto.pt/