sexta-feira, 23 de julho de 2010

Real Betis Balompié

O Betis nasceu em 1907 ligado à Escola Politécnica de Sevilla. Era um grupo de estudantes que gostavam de praticar futebol e resolveram se organizar para montar um clube, que, no início, era conhecido como Sevilla Balompié. Em 1909, porém, uma dissidência do clube resolveu formar o Betis, que já participava de torneios regionais e começava a criar uma rivalidade com o outro grande time da cidade, o Sevilla Fútbol Clúb.

Em 1914, o então rei dom Alfonso XIII concedeu ao Betis o título de “real”, que foi incorporado ao nome do time e persiste até hoje. Depois disso, os dirigentes do clube e do Sevilla Balompié acabaram se acertando, e os dois fundiram-se novamente. Dessa vez, prevaleceria o nome Betis. As cores, verde e branco, foram inspiradas em uma oliveira, árvore tradicional da região.
Daí até a criação do Campeonato Espanhol, em 1929, o Betis manteve suas atividades disputando torneios regionais, como a Copa da Andaluzia, sempre enfrentando o Sevilla, em uma rivalidade que prevalece até hoje.
O Betis começou a disputar a competição nacional na segunda divisão, e por lá ficou até a temporada 1931/32, quando foi campeão e obteve o acesso. Foi a primeira equipe da Andaluzia a disputar a elite do futebol espanhol. E o sucesso veio logo nos primeiros anos. Com um quinto e um quarto lugares nas primeiras duas temporadas, o Betis mostrou que tinha força para brigar com os grandes.
Foi a terceira temporada na primeira divisão, porém, a que mais marcou a história do clube de Sevilha. Com ótima campanha, o Betis surpreendeu os favoritos Real Madrid e Barcelona e conquistou seu primeiro e único título do Campeonato Espanhol.
O time e o bom momento em campo, no entanto, foram interrompidos pela Guerra Civil Espanhola, que paralisou o certame nacional por três temporadas e desmantelou o futebol do clube. No retorno aos gramados, a equipe decepcionou e foi rebaixada à segunda divisão. Daí em diante, teve um momento feliz ao retornar à elite em 1941/42, mas logo voltou à segunda divisão no ano seguinte. A derrocada culminaria em mais uma queda, desta vez em 1946/47, para a terceira divisão espanhola.
A crise financeira afundou o Betis, que não conseguia o acesso e ficou no fosso do futebol nacional até 1953/54. Na segunda, adaptou-se durante algum tempo, encontrou dificuldades, mas conseguiu retornar à primeira divisão em 1957/58.
Nessa volta, encaixou boa seqüência de campanhas, chegando a ser o terceiro colocado na temporada 1963/64, com a ajuda de Luís Aragonés. Depois da saída do craque, porém, o time caiu de produção, e terminou rebaixado no ano 1965/66. A partir daí, começou uma época de incertezas, com o time alternando-se na primeira e na segunda divisão. E na década de 1970, o Betis obteve uma seqüência na elite, e conseguiu seu primeiro título da Copa da Espanha.
Logotipo do Centenário
Foi em 1976/77, quando superou o Athletic Bilbao fora de casa, nos pênaltis, que a equipe conseguiu seu segundo título de expressão na história. A boa campanha não renderia nada nos anos seguintes. Depois de mais alternâncias de divisões, o Betis só voltaria a se destacar no começo da década de 1980.
Nos anos 1990, mais incertezas. O time não se firma na elite, e só consegue conquistar espaço no Campeonato Espanhol quando melhora sua condição financeira.
O começo do século XXI marca a chegada de brasileiros ao clube. Os mais marcantes foram Ricardo Oliveira e Edu. Ambos ajudaram o clube a conquistar sua segunda Copa da Espanha em 2005, quando o time derrotou o Osasuna na final. O auge dessa temporada, porém, foi a vaga na Liga dos Campeões com o quarto lugar. Com isso, o Betis foi o primeiro time da Andaluzia a disputar a competição continental.
Atualmente (temporada 2009/2010) o Real Betis Balompié joga na 2ª Divisão Española. Está classificado na 10ª posição no ranking histórico da 1ª Divisão Española, com 43 temporadas na divisão máxima espanhola. Já ganhou 1 vez a Liga (Temporada 1934/1935) e 2 vezes a Copa del Rey (1977 e 2005).

Títulos


Campeonato Espanhol : (1934/1935)
Copa da Espanha : (1977, 2005)


Estádio

O Estádio Manuel Ruiz de Lopera é o estádio com capacidade para 51.309 pessoas do clube de futebol espanhol Real Betis Balompié, localizado na cidade de Sevilha.

Hino

Eo eo eo eee


Con el arte que te sobra
Con la gente que te quiere
En el tiempo y la memoria
Manque pierda tuyo siempre.

Corazón que late fuerte
Sentimiento que desborda
Tradición que desde siempre
Es motivo de tu gloria

Ole ole ole ole Betis olé
Ole ole ole ole Betis olé
Ole ole ole Betis
Ole ole Betis
Ole Real Betis Balompié.

Tu corazón ya tiene un siglo
Siente el calor de la afición
Que esta contigo

Ole ole ole ole Betis olé
Ole ole ole ole Betis olé
Ole ole ole Betis
Ole ole Betis
Ole Real Betis Balompié
eo eo eeee

Mucho más que un sentimiento
Un escudo una bandera
Mucho más que todo eso
Más hallá de la frontera
Siempre habrá alguien que diga
Viva el Betis manque pierda
Y así sonaran los sones
Al final de la palmera

Ole ole ole ole Betis olé
Ole ole ole ole Betis olé
Ole ole ole Betis
Ole ole Betis
Ole Real Betis Balompié.

Tu corazón ya tiene un siglo
Siente el calor de la afición
Que esta contigo

Ole ole ole ole Betis olé
Ole ole ole ole Betis olé
Ole ole ole Betis
Ole ole Betis
Ole Real Betis Balompié...

Apelido  Béticos ; Verdiblancos

Mascote

A mascote do Betis foi criada especialmente para o centenário do clube, comemorado em 2007. No ano anterior, os dirigentes apresentaram o boneco animado que representa uma palmeira com as cores do clube à torcida. A opção pela mascote foi feita pelos próprios torcedores, que votaram pela internet no desenho de Álvaro Ponce, que é uma alusão à Avenida de La Palmera, onde se localiza o estádio Ruiz de Lopera.
 
 
 
 
 
 
Site
http://www.realbetisbalompie.es/