sábado, 13 de novembro de 2010

Olympique de Lyon et du Rhône

O Olympique Lyonnais, ou simplesmente Lyon, surgiu após a separação dos times de futebol e de rúgby do clube Lyon Olympique, em 1899, mas ganhou forma definitiva apenas meio século depois.

A entidade já havia sido inaugurada, mas o futebol profissional foi inserido apenas em 1950, após algumas tentativas frustradas. A primeira aconteceu em 1933, com o então presidente Jean Mazier, mas o resultado foi decepcionante e a idéia foi suspensa. O mesmo mandatário tentou novamente em 1936, dessa vez com o A.S. Villeurbanne da segunda divisão, para transformá-lo em Lyon Olympique de Villeurbanne, mas fracassou mais uma vez.
Com a mesma determinação de Mazier, Félix Louot conseguiu torna realidade o sonho do ex-presidente. Seu clube, o L.O.U. (Lyon Olympique Universitaire), ganhava espaço no cenário francês e despontava como um dos melhores times do país depois da Segunda Guerra Mundial, mas problemas financeiros e desentendimentos entre profissionais e amadores, obrigaram Louot a formar um novo clube.

A partir de então, em 1950, foi criado o O.L. (Olympique Lyonnais), que adotou o nome e as cores vermelho e azul depois de uma idéia do renomado cirurgião da cidade Albert Trillat.

A primeira partida oficial aconteceu no dia 26 de agosto de 1950, válida pela segunda divisão – Ligue 2 - e acabou com vitória por 3 a 0, contra o C.A. Paris. O clube ascendeu à primeira divisão no ano seguinte, após ser campeão.

Seu primeiro ano na Ligue 1 – como é chamado o Campeonato Francês – começou bem e revelou um dos melhores defensores do país, o goleiro Gilbert Bonvin, mas a pouca experiência do elenco resultou no primeiro rebaixamento da história da equipe. Com a queda, o Lyon se desfez de vários jogadores, contratou outros e investiu principalmente nas categorias de base, vislumbrando uma equipe forte para os próximos anos.

Na temporada 1953/54, o clube trouxe atletas experientes e, mesclando com a juventude das categorias de base, voltou a conquistar a Ligue 2, retornando à elite do futebol francês. Sua segunda participação no alto escalão foi mais bem sucedida do que a anterior e marcou uma estabilidade de 25 anos, alternando boas e médias campanhas.

Em 1958/59, o clube participou pela primeira vez de competições européias, a Copa das Feiras – antecessora da Copa da Uefa –, mas a experiência não foi das melhores e acabou eliminado pela Inter de Milão, depois de perder por 7 a 0 na Itália e empatar por 1 a 1 em casa.

O primeiro título da equipe veio em 1963/64. O Lyon venceu a Copa da França, após bater o Bordeaux por 2 a 0, na final. No mesmo ano, o clube chegou às semifinais da Recopa Européia, mas foi derrotado pelo Sporting Lisboa, por 1 a 0, chegando próximo ao primeiro título internacional.

A temporada 1966/67 começou com as perdas de importantes jogadores e parecia estar destinada ao fracasso, mas, para surpresa dos torcedores, acabou terminando com o segundo título da história da equipe, outra Copa da França. Desta vez o O.L. bateu o Sochaux, por 3 a 1.

Com a mistura de atletas experientes, como os iugoslavos Mihajlovic e Trivic, das revelações Di Nallo e Chauveau e novas contratações, Lacombe e Domenech, o clube venceu pela terceira vez a Copa da França, em 1972/73, por 2 a 1, em cima do Nantes.

Com a troca de presidente em 1977/78, foi descoberto um rombo nos cofres do clube, obrigando o time a se desfazer de seus principais jogadores, como Raymond Domenech e Bernard Lacombe e aliviar em parte sua crise financeira. Nas temporadas seguintes, o Lyon não brilhou nas competições nacionais, mas manteve-se na elite francesa.

Em 1982/83, após várias trocas de treinadores em outros anos, o mediano elenco francês não conseguiu manter sua regularidade e, mesmo tendo começado bem o campeonato, acabou rebaixado.

Com pouco dinheiro, ficou difícil administrar o elenco, e estrelas como os atacantes Albert Emon e Jean-François Domergue e Serge Chiesa – jogador com maior número de jogos pela equipe – acabaram negociados.

A chegada do presidente Jean-Michel Aulas, em 1986/87, foi fundamental para a retomada de prestígio da equipe francesa. Em seu segundo ano no comando do Lyon, o mandatário nomeou Bernard Lacombe como Diretor Esportivo e Raymond Domenech como técnico. O resultado foi imediato, a equipe classificou-se em primeiro de seu grupo e posteriormente venceu os playoffs, assegurando seu retorno à primeira divisão.

Na década de 1990, o clube estabilizou-se no primeiro escalão e voltou a disputar campeonatos internacionais, mas sem grandes campanhas. A época de ouro aconteceria apenas no século seguinte.

O século 21 colocou definitivamente o Lyon entre os melhores do mundo e como o maior time da França. A agremiação investiu pesado na contratação de jogadores como Sonny Anderson, Cláudio Caçapa e Edmilson e, na temporada 2001/02, sob o comando Jacques Santini, venceu seu primeiro Campeonato Francês.

A partir daí, os Les Gones não deixariam escapar um título do Campeonato Nacional e da Supercopa da França, vencendo todas as edições até a temporada 2006/07, dominando a modalidade no país e tendo como principal craque Juninho Pernambucano.

Apesar de conquistar os mais importantes títulos nacionais, a equipe francesa jamais chegou às semifinais de uma competição européia e esse tem sido o maior objetivo do clube nos últimos anos.
Na temporada 2009-10 , apesar de não conquistar os mais importantes títulos nacionais, a equipe francesa  chegou às semifinais de uma competição européia , a Liga dos Campeões , sendo eliminado pelo Bayern Munchen.
Títulos
Campeonato Francês 2001/02, 2002/03, 2003/04, 2004/05, 2005/06, 2006/07 e 2007/08
Copa da França 1963/64, 1966/67 e 1972/73
Copa da Liga Francesa 2000/01
Supercopa da França 1973, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006 e 2007

Estádio


O Stade de Gerland é um estádio de localizado em Lyon, no sudeste da França. É a casa do time francês Olympique Lyonnais e pode suportar, atualmente, 41.842 espectadores.
Começou a ser construído em 1913, mas, com a Primeira Guerra Mundial, foi interrompido. Voltou a ser construído em 1919 com a ajuda de prisioneiros de guerra alemães, até que, em 1920, foi inaugurado, com uma pista de ciclismo e uma de atletismo em volta do gramado.
Em 1960, a pista de ciclismo foi destruída em prol da ampliação da capacidade para 50.000 lugares. Em 1984, com a Eurocopa, o estádio foi ampliado para 51.680 lugares.
Foi totalmente reformado para a Copa do Mundo de 1998, sendo removida a pista de atletismo e colocadas cadeiras para todos os torcedores. A capacidade máxima ficou em 42.000 torcedores. Recebeu 6 partidas da Copa, entre elas o "jogo da paz" entre Estados Unidos e Irã e as quartas de final, entre Alemanha e Croácia.
O recorde de público no Campeonato Francês de Futebol é de 48.552 num jogo entre Olympique Lyonnais e AS Saint-Étienne em 9 de Setembro de 1980.
Na Copa das Confederações de 2003, aconteceu uma tragédia: no jogo Camarões e Colômbia, o meio-campista camaronês Marc-Vivien Foé teve um colapso em campo, vindo a falacer antes de chegar ao hospital.

Hino

Qui ne saute pas n'est pas Lyonnais!

Lyonnais!
Qui ne saute pas
Qui ne saute pas
Qui ne saute pas n'est pas Lyonnais Lyonnais!

Et quand Gerland s'enflamme
C'est toute la ville qui prend son âme
Et quand l'OL décolle
C'est tout Lyon qui s'envole
AH AH

Qui ne saute pas n'est pas Lyonnais!
Lyonnais!
Qui ne saute pas
Qui ne saute pas
Qui ne saute pas n'est pas Lyonnais Lyonnais!

Jean Jaurès ! est-ce que vous êtes là ?
Jean Bouin ! Lyon Lyon Lyon
Virage sud ! allez les gars
Virage nord
AH AH AH!!

Qui ne saute pas
Qui ne saute pas
Qui ne saute pas n'est pas Lyonnais Lyonnais!

Qui ne saute pas n'est pas Lyonnais!! yeh!!
Qui ne saute pas n'est pas Lyonnais!! yeh!!
Mascote

A mascote do Olympique Lyonnais é um leão chamado André. O animal escolhido representa força e poder, já que é o “rei das selvas”.O símbolo veste o uniforme do clube e está presente em todos os jogos da equipe, animando principalmente a torcida mirim.

Alcunhas OL  ; Les Gones



Site

http://www.olweb.fr/