sábado, 6 de junho de 2009

Rio Branco Esporte Clube

Sob o nome de Sport Club Arromba, teve sua primeira diretoria composta pelo idealizador João Truzzi e mais 26 membros. Em 1917 houve a primeira mudança de nome, passando a se chamar Rio Branco Football Club, em homenagem ao Barão de Rio Branco. Finalmente, em 1961, o clube oficializou à atual denominação, Rio Branco Esporte Clube. As primeiras conquistas do futebol ocorreram em 1921, com os títulos de campeão da Região e campeão da Zona Paulista. Suas principais glórias foram em 1922 e 1923, com o bi-campeonato do interior.

Fundado em 4 de agosto de 1913
1º jogo oficial: Americana 2x1 Taubaté - 01/05/1977 - Divisão Intermediária
1º gol oficial Niltinho, do Americana - Americana 2x1 Taubaté - 01/05/1977
Títulos: Campeão do Interior Paulista 1922 e 1923

Desativado desde o final da década de 40, o Rio Branco volta a ter uma equipe de futebol profissional graças à fusão entre Rio Branco e o Americana Esporte Clube, que ocorreu em abril de 1979, aprovada por votação em Assembléia Extraordinária. A partir daí, o Tigre jamais abandonou o futebol profissional. Ainda nesse ano participou da Divisão Intermediária (2ª Divisão) - primeiro campeonato disputado como Rio Branco Esporte Clube. Em 13 de maio de 1979, sob a direção do técnico Luís Bocucci Filho, realizou seu primeiro jogo enfrentando o Noroeste. Começava ali a trajetória rumo a 1ª Divisão do Futebol Paulista. Em 1990 o time conseguiu seu maior feito depois dos áureos tempos da década de 20. Empatando com o Olímpia, e sagrando-se vice-campeão da Divisão Intermediário o Rio Branco conquistou o direito de disputar a 1ª Divisão do Futebol de São Paulo e trouxe para o povo americanense uma de suas maiores alegrias. Ao longo deste ano foram 40 partidas, sendo 24 vitórias, nove empates e sete derrotas. O Rio Branco teve então o direito de disputar o Grupo "B" da 1ª Divisão. Em 1991, depois de estrear na 1ª Divisão o Rio Branco consegue figurar entre as melhores equipes do Estado de São Paulo, subindo para o Grupo "A". Nesse mesmo ano acontece a desvinculação do futebol amador do departamento de esportes amadores, passando a integrar a diretoria de futebol profissional.

Os anos de 1993 e 1994 podem ser classificados como "anos de glória" do Rio Branco Esporte Clube. Foram anos de muitas conquistas, boas posições em campeonatos e gratas revelações. O ano de 1993 especificamente foi marcado pela classificação da equipe profissional para a disputa do octogonal final do Paulistão, terminando em sexto lugar, atrás apenas dos considerados grandes times da Capital. Ao longo dos últimos anos, o Rio Branco revelou para o futebol do Brasil e do mundo vários craques, como Anaílson, Flávio Conceição, Mineiro, Gabriel Lima, Gustavo, Igor, Macedo, Marcelinho Paraíba, Marcinho, Marcos Assunção, Marcos Senna, Rafael, Sandro Hiroshi, Souza, Thiago Ribeiro e tantos outros. Há vários anos, além do futebol, o Rio Branco mantém ainda equipes disputando diversas modalidades amadoras. Mas no dia 8 de abril de 2007, após sofrer uma sonora goleada para a equipe do Rio Claro, consequência de uma péssima temporada, o Rio Branco cai para a série A2 do Campeonato Paulista.

Estádio

Em março de 1920 o Rio Branco Football Club emitiu 200 ações, no valor de dez mil réis cada, para que associados e torcedores colaborassem com o projeto da construção de um estádio. Mas somente em 1971 o projeto, de autoria do engenheiro Nestor Lindenberg, tomou forma. O Riobrancão, como era chamado na época, começou a ser erguido no mês de abril daquele ano. Em 1981 o estádio passou a ser chamar Décio Vitta em homenagem ao ex-presidente do clube. Com quase 90 mil m² de área, o estádio possui hoje departamento médico, fisioterapia, restaurante, alojamentos, administração do futebol, sala de imprensa, refletores, estacionamentos internos, entre outras dependências. Jogos profissionais são realizados no estádio desde 1977, ainda no tempo do extinto Americana Esporte Clube.


Dimensões do gramado: 107 m x 73 m
Recorde de público: 19.173 - Rio Branco 1x0 São Paulo - 09/03/1993 – Campeonato Paulista
Capacidade atual de público: 15.000 pessoas

Hino

Tigre, Tigre, Tigre, Tigre Tigre, Tigre, Tigre, Tigre Você chegou e nos conquistou De alegria nos inundou Rio Branco, força do interior Sua grandeza há de se espalhar Tem tradição, tem história enfim No seu passado já demonstrou Hoje é festa, é encantos mil Futuro alegre aos filhos será Garra, brilho e determinação Coragem, domínio e vibração Onde estiver, lá estarei torcendo com devoção. Rio Branco, Rio Branco, sempre gritarei Rio Branco, Rio Branco, Rio Branco do coração Rio Branco, Rio Branco, sempre gritarei Rio Branco, Rio Branco, de Americana tu és Tigre, Tigre, Tigre, Tigre...

Mascote

O Rio Branco adotou como mascote o Tigre por causa dos instintos deste animal. O Tigre, conhecido por sua determinação, força e agilidade no momento da caça, representa a trajetória do Rio Branco no futebol desde a sua fundação, em 1913.

Os primeiros confrontos, contra equipes amadoras da região, foram apenas o pontapé inicial da paixão do torcedor alvinegro de Americana pelo simbolismo da imagem do Tigre.


Site

http://www.riobranco.esp.br