sábado, 27 de junho de 2009

Juazeiro Social Clube

Fundado em 16 de agosto de 1995, o Juazeiro Social Clube tem um número grande de torcedores em relação ao seu tempo de existência, por levar o nome da cidade e pelo fato de o time ter surgido da junção de oito agremiações. São elas: América, Barro Vermelho, Carranca, Colonial, Grêmio, Olaria, XV de Novembro e Veneza.

Com essa união, o Tricolor do Norte, como também é conhecido, tornou-se o clube do interior com o maior número de torcidas organizadas. Os grandes resultados ao longo da história só aumentaram o número de fãs.

Após um ano de fundação, a equipe conquistou a vaga de acesso para a primeira divisão do futebol baiano e, já em seu primeiro ano, foi terceiro colocado. Aliás, até o ano de 2005 a agremiação nunca havia terminado a competição abaixo da quarta colocação.

No entanto, em 2006 não figurou entre os primeiros e, em 2007, ocupou o quinto lugar na tabela. Os grandes resultados qualificaram o Juazeiro para disputar campeonatos nacionais, como a terceira divisão do brasileiro de 1997, 1998, 2000, 2001 e 2003 e a Copa do Brasil de 2002. Porém, em nenhum conseguiu repetir o desempenho que obteve nos estaduais.

As cores do time, o verde e o vermelho, são originárias da Liga Juazeirense de Futebol, a sede formal da equipe, já que na prática a agremiação não possui sede própria.

Em 2008, o Juazeiro não foi bem no Campeonato Baiano e acabou sendo rebaixado. Em 2009, o clube terá que disputar a segunda divisão do estadual.

Títulos

Campeonato Baiano - 2ª Divisão: 1996.

Estádio

Estádio Adauto Morais é um estádio de futebol de Juazeiro (Bahia), que atende ao Juazeiro Social Club. Sua capacidade é de 8 mil pessoas.


Mascote

A mascote do time é a carranca, objeto que enfeita as embarcações que sobem e descem o rio São Francisco e que é muito produzido na cidade, dando origem à mascote e até a um dos apelidos da equipe, o Tricolor das Carrancas.

O Juazeiro Social Clube adotou um símbolo de sua região como mascote, a Carranca. Objeto artesanal muito produzido na cidade, tem seu nome originado de uma árvore típica da região. As carrancas são, segundo o dicionário Michaelis, “figuras que ornam a proa de embarcações, sendo típicas as do rio São Francisco”.