sexta-feira, 18 de junho de 2010

Nigeria Football Association

Falar da Nigéria em meados dos anos 90 era sinônimo de uma potência africana. Os Super Águias, como é chamada a seleção, chegaram à sua primeira Copa do Mundo, surpreenderam potências do futebol nas Olimpíadas e venceram sua segunda Copa Africana de Nações. Um time com jogadores cheios de habilidade e capazes de fazer jogo duro com seleções mais tradicionais.
Bons resultados em categorias de base
Assim como outras seleções africanas, a Nigéria conseguiu bons resultados nos campeonatos mundiais sub-17 e sub-20. No sub-17, foi campeão em 1985, vice em 1987, campeão em 1993 (quando revelou Celestine Babayaro, Nwankwo Kanu e Ibrahim Babangida), vice em 2001, campeão em 2007 e vice em 2009. Na categoria sub-20, foi terceiro em 1985, vice-campeã em 1989 e vice em 2005 (quando tinha como destaque do time John Obi Mikel, hoje titular da seleção principal).
Em 1996, a Nigéria mostrou uma safra de jogadores que surpreendeu nada mais nada menos do que Brasil e Argentina nas Olimpíadas de Atlanta. Entre jogadores mais experientes, como Emmanuel Amuneke – protagonista da equipe na CAN e na Copa do Mundo de 1994 – e Daniel Amokachi, e outros que surgiam ainda jovens, como Jay-Jay Okocha, Taribo West, Celestino Babayaro, Nwankwo Kano e Sunday Oliseh. Venceram o Brasil as quartas de final com uma virada espetacular e o gol de ouro de Kanu. Na final, surpreenderam a Argentina ao novamente virar o placar e levar a medalha de ouro.
Bons resultados em Copa do Mundo
Em 1994, a primeira Copa do Mundo da Nigéria, o país fez boa campanha e passou perto de conseguir eliminar uma campeã do mundo em seu primeiro Mundial. Naquele ano, a seleção já tinha vencido a Copa Africana de ações em janeiro, consolidando sua posição de potência do continente. Na Copa dos EUA, os nigerianos caíram no grupo D, junto com Argentina, Bulgária e Grécia e acabou como campeã do grupo.
Mesmo como primeira colocada, a Nigéria não escapou de um confronto com os tricampeões do mundo, Itália, terceiros colocados do grupo E. Ainda assim, ficaram muito perto de eliminar a Azzurra. Venciam por 1 a 0 até os 43 minutos do segundo tempo, quando Roberto Baggio empatou o jogo e levou para prorrogação. No tempo extra, os italianos marcaram novamente com Baggio e selaram a classificação. Ficou a boa impressão dos nigerianos, que poderiam ter ido ainda mais longe e igualado Camarões, que chagou às quartas de final em 1990 – melhor resultado de uma seleção africana em Copas.
Na Copa de 1998, com muitos dos medalhistas olímpicos, a Nigéria conseguiu outro feito. Sob o comando do técnico Bora Milutinovic, a Nigéria enfrentou o grupo mais difícil da Copa, que tinha a Espanha da Raúl, a Bulgária de Hristo Stoichkov e o Paraguai de Carlos Gamarra. Como em 1994, venceram o grupo com duas vitórias contra as favoritas Espanha e Bulgária e uma derrota para o Paraguai, que classificou os sul-americanos e eliminou os espanhóis. Nas oitavas de final, porém, o time não resistiu à Dinamarca de Michael e Brian Laudrup e acabou goleada por 4 a 1. Novamente, a equipe não conseguiria passar da primeira fase eliminatória.
Depois de 1998, a Nigéria começou a se renovar, mas conseguiu manter bons resultados. Em 2000, quando foi sede da Copa Africana de Nações junto com Gana e acabou vice-campeã, perdendo a final para Camarões de Samuel Eto’o e Patrick Mboma. Em 2002, na CAN realizada em Mali, chegou às semifinais e acabou eliminada por Senegal, seleção que surpreenderia na Copa do Mundo daquele ano.
Copa do Mundo que a Nigéria não teria sucesso. Com uma seleção muito renovada, já sem os jogadores que se consagraram nas Copas anteriores, o time ainda sofreu por cair em um grupo difícil, com dois campeões mundiais: Argentina e Inglaterra, além da Suécia. Acabou eliminada com duas derrotas (para Argentina e Suécia) e um empate (com a Inglaterra), ficando em último lugar no grupo.
A partir daí, o time começou a reformular a equipe e perdeu força no continente. Não conseguiu classificação para a Copa do Mundo de 2006,na Alemanha, assim como a seleção de Camarões, e viu novas forças africanas passarem à frente, como Costa do Marfim e Gana.
Com o resultado do terceiro lugar da CAN em 2010 e classificada à Copa do Mundo, a expectativa é que a Nigéria possa fazer um bom papel no primeiro Mundial realizado no continente africano – e quem sabe ter seu melhor resultado na história, alcançando pela primeira vez as quartas de final. Para isso, terá que enfrentar, pela quarta vez em quatro participações, a Argentina. Deve brigar pelo segundo lugar com Coreia do Sul e Grécia. É ver se a geração de Joseph Yobo, Yakubu Aiyegbeni, John Obi Mikel, Peter Odemwingie e Obafemi Martins, com o experiente Nwankwo Kanu no banco, consegue sucesso.

Fonte
http://www.trivela.com/Conteudo.aspx?secao=54&id=21633

Site
http://www.nigeriaff.com/