sábado, 13 de setembro de 2008

Tupi Foot Ball Club


O Tupi Foot Ball Club foi fundado em 26 de maio de 1912 por diversos célebres nomes da cidade, tendo como seu principal fundador, o sereno, Antônio Maria Júnior, conhecido como “o carijó”. Na sua fundação o nome do clube era Tupy Foot-Ball Club que foi utilizado por 30 anos até se tornar Tupi Foot Ball Club.
Em 1931 o até então Tupy inaugurava o seu estádio próprio, o Salles Oliveira, homenageando e eternizando um ilustre carijó, o Dr. Francisco de Salles Oliveira. O estádio com capacidade para 5.000 pessoas era um marco em sua época, sendo o maior e o mais moderno estádio da Zona da Mata.
O Tupi disputou a primeira divisão do Campeonato Mineiro, até 1965, quando o time terminou a competição na última colocação e acabou rebaixado. No ano seguinte, no entanto, o Tupi ficou conhecido por todo o Brasil como o fantasma do Mineirão.

Fantasma do Mineirão

No final do ano de 1965, o Cruzeiro conquistou o título do Campeonato Mineiro, e o Tupi teve uma de suas piores campanhas, ficando em último lugar no Campeonato de Juiz de Fora. Em janeiro de 1966, o Tupi convidou o Cruzeiro para um jogo em Juiz de Fora e, com seu time renovado, venceu o jogo por 3 a 2, derrotando a famosa equipe de Tostão, Dirceu Lopes, Zé Carlos, Piazza, Natal, dentre outros craques.

O Tupi foi então convidado a jogar com o Atlético, no Mineirão, vencendo novamente um time da capital. Desta vez, por 2 a 1 sobre o Atlético, que era dirigido por Paulo Amaral.

Um novo desafio foi feito pelo América Mineiro, dirigido por Yustrick. Mas uma nova vitória do Tupi por dois a um foi o que aconteceu. O Cruzeiro pediu uma revanche do jogo realizado, afirmando que, no Mineirão, iria arrasar com o Tupi. Nova vitória do Tupi por 2 a 1 fez todo o Brasil falar naquela equipe, que acabou sendo convidada para treinar com a Seleção Brasileira de Pelé e Garrincha em Caxambu, quando empatou em um a um. O técnico do Tupi, Geraldo Magela Tavares, lembra a escalação do time responsável por grandes façanhas em 1966: Waldir, Manoel, Murilo e Walter, França e Mauro, João Pires, Toledo, Vicente, e Eurico.

Ao longo de sua história o Tupi Foot Ball Club conquistou diversos títulos da cidade, muito deles de forma invicta, foi quatro vezes campeão do interior de Minas Gerais nos anos de 1975, 1985, 1987 e 2003 e campeão do Módulo II do Campeonato Mineiro em 2001.
Após cair para o Módulo II do Campeonato Mineiro em 2004, o Tupi conseguiu subir novamente para a Primeira Divisão mineira em 2006. Gerido pela Organização Panorama de Comunicação (OP.COM) o clube conseguiu se firmar no decorrer do campeonato. Nesse ano, no campeonato do Módulo II, o Tupi terminou como vice-campeão, conseguindo o acesso à Primeira Divisão (Módulo I) em 2007 juntamente ao campeão, o Rio Branco (Andradas).

O time não teve uma boa participação na Taça MG daquele ano, mas um fato chamou a atenção: a quase-contratação do atacante Romário, que não pôde se concretizar graças à uma lei da FIFA.

Em 2007, o Tupi obteve a quarta colocação do Campeonato Mineiro, conquistando o direito de participar da Série C do campeonato nacional. Recentemente, foi vice-campeão da Taça Minas Gerais, perdendo a final para o Ituiutaba. Após o campeonato mineiro, a Organização Panorama de Comunicação (OP.COM) deixou a gerência do clube. Em 2008, O Tupi obteve a terceira colocação do Campeonato Mineiro e foi o "Campeão Mineiro do Interior".Na Série C o time foi eliminado na 1ª Fase com 39% de aproveitamento, terminando o campeonato na 45ª Colocação (63 equipes participaram).

Estádio

O Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, localizado no Bairro Dom Orione, foi inaugurado em outubro de 1988, cumprindo as exigências da FIFA. Capacidade 35000.

O Estádio Municipal possui um amplo espaço para o monitoramento, que são as salas da administração, imprensa, Polícias Civil e Militar, Liga de Futebol, ouvidoria e depósito, todas separadas com infra-estrutura adequada, dando maior conforto para a realização dos trabalhos. Conta com sistema de alto falante no interior e exterior do Estádio.

Moderno e dentro dos padrões nacionais o Estádio Radialista Mario Helênio recebe não só os jogos do Tupi mas dos principais times da Série A do Brasil.

Em seus gramados já pisaram diversos craques, entre eles o Zico, que fez sua despedia do Futebol no dia 02 de dezembro de 1989 jogando pelo Flamengo.

Hino
Autores: Geraldo Santana , Messias Rocha e Carlos Odilon

Vão desfilar as emoções,
Vão repetir-se as tradições,
É o Tupi, é o galo, o índio, é o coração
Batendo, batendo forte
Em compassada vibração.

Tupi, Tupi é união!
Dos campeões, o campeão!
É força viva,
É muito mais que uma paixão.
É a jogada,
É o silêncio de um instante.
É a repentina explosão dos carijós.

Ao tremular do alvinegro pavilhão,
Vibra a torcida,
Ganha o time inspiração.
Surge na luta a chama viva da esperança,
E o galo forte carijó não tem rivais...
Grandes vitórias sempre alcança,
E vive a glória dos imortais

Mascote

A mascote do Tupi Foot Ball Club é o galo carijó. A escolha do animal como um dos símbolos do clube ocorreu como forma de homenagear o principal fundador da equipe, Antonio Maria Junior, que tinha o apelido de Carijó.




site: http://www.tupijf.com.br