sexta-feira, 6 de março de 2009

Olímpia Futebol Clube

No dia 5 de dezembro de 1946, surge o Olímpia, o DR. Orlando Lopes, já conhecido nos meios esportivos de Olímpia, por seu trabalho e dedicação assumia a presidência da Associação Atlética Olímpia. Como primeira providência extinguiu o nome A.A. e colocou novamente OLÍMPIA FUTEBOL CLUBE, adotou em definitivo e oficialmente as cores azuis e brancas, que permanece até hoje.

Em 1953, Olímpia completava 50 anos, grandes preparativos eram programados para comemorar o meio centenário da cidade. O Olímpia FC sem condições de disputar a 2ª Divisão, cairia para a 3ª. Para se comemorar o Aniversário da cidade veio a Olímpia o time da S.E.Palmeiras, da Capital, para um jogo amistoso, o placar 2x1 para o Verdão.

No ano de 1957, o Olímpia FC sagrou-se campeão do "Setor 33", o OFC disputou com brilhantismo invulgar, o certame da "terceirona" da F.P.F., dividida em setores. Foi o legítimo campeão de sua série com uma grande campanha. Só não ascendeu à Segunda Divisão, porque perdeu para o Fernandópolis. A contagem foi de 2x1 para o adversário.

Foi um ano brilhante, em 1959, o campeonato disputado pelo Olímpia FC. A torcida voltava ao Estádio Tereza Breda, em grande número. O Alvi-celeste era um rolo compressor, batendo as equipes, sendo campeão da "Série Brigadeiro Faria Lima", e disputando a vaga para a segundona contra a A.A. Votuporanguense em campo neutro, jogo em que o Olímpia perdeu por 2x1 de virada e novamente deu adeus ao sonho do acesso.

Em 1961, o Olímpia foi campeão da "Série Cafeeira", grandes craques que somados já aos excelentes valores existentes, levariam o alvi-celeste a uma brilhante campanha, onde novamente seria o campeão de sua série, denominada "CAFEEIRA". Novamente, a final seria contra a equipe de Votuporanga, só que desta vez, a vitória foi dos olimpienses por 2x1.

Um ano de alegrias e decepções foi em 1693, o clube disputou a 2ª Divisão "Série C". Classificado para as finais o clube se desfez dos melhores jogadores e acabou desclassificado.

No ano de 1973 o Olímpia sagrou-se Campeão da "Série C", a campanha em sua série foi excelente, partindo para a disputa do certame denominado "Centenário", contra equipes como Internacional de Bebedouro, Garça, Araçatuba, e Corinthians de Presidente Prudente.

Em 1975, o Olímpia seria campeão mais uma vez, inclusive com o título da "Série C", dando condições ao clube de disputar sua promoção para a "Divisão Especial", da F.P.F., convém salientar que a partida final, deu o título da "Série C" ao alvi-celeste, foi contra a Votuporanguense por 1x0. Infelizmente, no torneio de classificação para passar para a Divisão Maior, o OFC seria derrotado pelo Santo André.

Chega o ano de 1978, ano trágico na história do futebol olimpiense, ocorre o fim do Olímpia, o Alvi-celeste é excluído do certame da F.P.F.

No ano de 1986, o Olímpia foi campeão do 1º Turno, conseguindo 15 pontos em 9 jogos em campanha considerada excelente, no segundo turno o OFC foi o vice-campeão, classificado para a 3ª Fase "Grupo V", juntamente com o Oeste de Itápolis e São Simão. Pela diferença de apenas 1 ponto, o alvi-celeste foi desclassificado.

Em 1988 com o Olímpia FC na "Divisão Intermediária", fazendo uma excelente campanha, conquista o título de Campeão do 1º Turno da "Série E", Grupo 3, o clube juntamente com o Barretos chegam ao título de sua série, com 33 pontos ganhos e também o título de vice-campeão da segundona. O jogo da classificação para a Intermediária foi em Pirassununga contra a Pirassununguense, 1x0 para o OFC, uma verdadeira multidão aguardou no trevo da cidade, a chegada da delegação azul e branca, com fogos de artifícios e tudo mais.

990 foi o ano em que pela primeira vez o Olímpia FC ingressa na Primeira Divisão, em fase das grandes dificuldades para se manter na Divisão Intermediária, a diretoria do OFC tenta licenciar o time nesse ano junto a F.P.F., mas tem seu pedido negado, inclusive sofrendo a ameaça de ser novamente rebaixado à 2ª Divisão. Juntaram-se esforços para montar o time, e esse time acabou dando a maior alegria vivida até hoje pelos torcedores - O título de Campeão Paulista da Intermediária deixando para trás Rio Branco de Americana que foi o vice, Sãocarlense e Marília, Comercial de Ribeirão Preto entre outros. O time base era Silvio Luiz, Eduardo, Edson Oliveira, Jandílson e Donizete; Jânio, Marco Antonio Cipó, Cassinho e Carlos Alberto; Carlão e Gil Catanoce, constavam ainda no elenco Trigo, Wilson, Zé Carlinhos, Castro, Aloysio, Zé Roberto, Osni, Sidnei, Luciano, Ademilson, João Carlos e Eduardo; o técnico campeão foi José Naves.

Um ano depois, em 1991, Olímpia disputa a Primeira Divisão, na primeira partida o Olímpia joga contra o São Paulo em Olímpia, empate em 1x1.
OFC- Toni, Eduardo, Juninho Fonseca, França e Ailton; César Ferreira, Jânio e Bandeira; Cassinho(Castro), Carlão e Marco Antonio Cipó.
São Paulo FC - Zetti, Cafu, Antônio Carlos, Ronaldão e Vítor; Amilton, Müller, Elivelton; Cláudio e Raí.

Nos anos seguintes o Olímpia passou quase sempre por dificuldades e em 1996, depois de péssima campanha na série A-2 o Olímpia é rebaixado para a Terceira Divisão (Série A-3).

Em 1997, com um elenco jovem e modesto, e com uma campanha muito boa a equipe chega no Quadrangular final da série A-3 onde subiram para a série A-2 apenas duas equipes, Olímpia, São Caetano, Mirassol, União Barbarense, brigavam pelo acesso, para o Alvi-celeste faltou apenas 2 pontos para o acesso, sendo campeão o Mirassol, vice o União, 3º o Olímpia e 4º o São Caetano.

1999 foi mais uma vez um ano de péssima campanha, o Olímpia escapa da Quarta Divisão (B-1) na última rodada em Itápolis, precisava vencer e estava perdendo por 1x0 até 35 do segundo tempo, quando aconteceu o milagre o OFC virou o jogo e venceu por 2x1 conseguindo se manter na série A-3.

Em 2000, depois de conseguir um patrocínio forte, o Olímpia com uma campanha maravilhosa sagra-se campeão do Paulista da Série A-3. Em seguida disputa a série A-2 no mesmo ano ficando de fora da finais na última rodada. Ainda em 2000, disputa a Copa João Havelange (Campeonato Brasileiro Série C), outra campanha excelente o time chegou até a Semi-Final, ficando perto de classificar-se para as Oitavas-de-Finais da Primeira Divisão do Brasileiro daquele ano, e ainda de ganhar uma vaga na Série B do Campeonato Brasileiro.

Em 2001 o alvi-celeste bateu na trave e só não conquistou o acesso para a Primeira Divisão do Campeonato Paulista por deixar de somar um ponto no certame de pontos corridos. Com a ampliação do Paulistão para 20 equipes, cinco equipes de Série A-2 ascenderiam para a A-1. O Olímpia alcançou a sexta posição e terminou o campeonato apenas um ponto atrás do rival América, que por sua vez, conquistou o acesso.

Depois de disputar o Campeonato Paulista da Série A-2 por sete anos consecutivos, o Olímpia realizou uma má campanha em 2006 e foi rebaixado para a Série A-3.

2007 também ficará marcado na memória de todos os olimpienses. Mais uma vez, após quase não disputar o campeonato e quase encerrar as atividades, o Olímpia Futebol Clube conquista um dos títulos mais importantes da sua história: o de Campeão Paulista da Série A-3. Mesmo formando um bom time, muitos não acreditavam no time que foi o último a se classificar para a segunda-fase, mas o primeiro a garantir o acesso. O alvi-celeste ainda desbancou adversários de peso como Ferroviária e XV de Piracicaba. Na final, o Galo Azul desbancou o Atlético Monte Azul, fora de casa e viu uma torcida vibrante e apaixonada aguardando a chegada do time no trevo da cidade.


Hino

Composição: Renato Silva

Olímpia, Olímpia É teu o meu coração Amado Galo Azul Um eterno campeão Olímpia coisa linda Divino é te querer Olímpia, sempre Olímpia Olímpia até morrer Salve a bandeira altaneira Que a brisa beija e balança Enlevando corações No futebol da esperança Vitória outra vitória Depois da luta renhida Titãs que vão para a história Mais uma etapa vencida A bola vai A bola vem Olímpia, sempre Olímpia E não tem pra mais ninguém.

Estádio

Nome: Estádio Tereza Breda
Dimensões: 105m x 69m
Capacidade: 20.000 lugares
Endereço: Rua Prof.ª Maria Ubaldina de Barros Furquim s/nº

História do Tereza Breda
Nasce o "Majestoso Estádio Tereza Breda", o belíssimo dia ensolarado de 11 de setembro de 1949 ficaria registrado para sempre na história de nosso esporte, com a inauguração oficial do novo Estádio, que em homenagem póstuma à esposa do benfeitor Sr.Natal Breda se chamaria "Estádio Tereza Breda", e posteriormente popularizado apenas por "TB". Foi chamado de "majestoso", porque na época era considerado um gigante. Em tamanho, o terceiro do Estado, com capacidade estimada em 5.000 lugares e as dimensões do gramado, as mesmas do Maracanã. Para a inauguração do Estádio, foi convidado a equipe da S.E. Palmeiras da Capital, foi uma verdadeira festa, o resultado é o que menos importa, o importante foi a festa, o jogo foi 4x1 para o Palmeiras.

Com o acesso à Segunda Divisão, em 1989, o Olímpia FC foi obrigado pela F.P.F em aumentar a capacidade do Estádio de 5.000 para 15.000 lugares.

Em 1991, com o acesso para a Primeira Divisão, o Olímpia teve que outra vez remodelar o Estádio, foram desmanchadas as arquibancadas provisórias nas laterais, e construída uma grande arquibancada metálica em cima das sociais, para a inauguração das arquibancadas novas, outra vez o Palmeiras, desta vez empate em 0x0.

Com o acesso para a Segunda Divisão em 2000, e com as novas normas da F.P.F, o Olímpia teve que, novamente, aumentar seu Estádio, de 15.000 para 20.000 lugares, foi construída uma arquibancada metálica onde existia as arquibancadas provisórias que foram desmanchadas em 1991.

Mascote

GALO AZUL

Mascote: Galo

Site

http://www.olimpiafutebolclube.com