terça-feira, 21 de junho de 2011

Club de Fútbol América

O América, que surgiu em 12 de outubro de 1916, originou-se da junção de duas equipes. A primeira, chamada de “Record”, era formada por alunos do Colégio de Mascarones e liderados por Rafael Garzia Gutiérrez, que se tornaria grande ídolo do clube. O segundo time, conhecido como Colón, era integrado por alunos do Colégio Perpetua.
O nome América foi sugerido por Pedro Quintanilla, já que no mesmo dia da fundação do clube é comemorada a descoberta do continente americano. Porém, em 1918, devido à má campanha em campeonatos amadores, outro nome foi adotado para tentar revitalizar a equipe, que passou a se chamar Unión. Curiosamente, este era o mesmo nome que o grande rival Chivas de Guadalajara utilizou no princípio de sua história.
Em 1920 o clube voltou a atender pelo nome de América e começou sua trajetória de glórias. Em 1923, a primeira seleção mexicana foi formada com oito jogadores do time como titulares.
Na década de 40, o futebol no México tornou-se profissional e um campeonato nacional foi formado com a presença de dez clubes, tais como o América e o Chivas. Equipes que iniciaram sua rivalidade no ano de 1944, após uma vitória do time de Guadalajara por 3 a 1.
Os anos seguintes foram difíceis para os “Águilas” (apelido pelo qual é conhecido o América). O time enfrentou uma grande seca de títulos, interrompida apenas em 1954 com a conquista da Copa do México, após bater seu arqui-rival por 4 a 3.
Dez anos depois da quebra do jejum, o primeiro título nacional da era profissional foi conquistado. O atacante brasileiro “Zague” foi o principal destaque e artilheiro da competição, marcando 20 dos 55 gols da equipe no campeonato.
Devido à primeira Copa do Mundo realizada no México, em 1970, grandes melhorias para o futebol nacional aconteceram e o América aproveitou a oportunidade. Na década de 70, os Águilas conquistaram dois campeonatos mexicanos (1970-71 e 1975-76), uma Copa do México (73-74) e uma Copa dos Campeões da Concacaf, dando um indício do que seria a década de 80, época de ouro do clube.
Pentacampeão nacional, bicampeão do torneio Campeão dos Campeões e campeão da Concacaf. Essa foi a lista dos principais títulos conquistados na década de 80, com destaque para a temporada 1982-83, quando o recorde de pontos obtidos em uma só temporada da liga mexicana foi alcançado, 61 no total. Durante esse período, craques como Carlos Rainoso e o maior artilheiro da história do clube, “Zaguinho”, foram contratados.
A década de 90 não foi muito satisfatória em relação a títulos. Sendo assim, no ano 2000, uma grande contratação foi realizada para mexer com as estruturas: o treinador Alfio Basile. Porém, os resultados do treinador estiveram longe do esperado, tendo a semifinal da Libertadores de 2000 como principal êxito do comandante.
O jejum de títulos da liga, que já durava 13 anos, foi quebrado apenas em 2002, com a conquista do Torneio de Verão. Dois anos mais tarde, na Copa Libertadores de 2004, o América foi eliminado nas oitavas-de-final do torneio pelo São Caetano, com uma grande confusão envolvendo os jogadores. O grande craque Cuauhtémoc Blanco ficou suspenso por um ano de competições realizadas pela Conmebol devido ao desentendimento.
Em 2005 veio o último título da liga mexicana, o Clausura, que contou com a participação de Blanco, do brasileiro Kléber Pereira e Pavel Pardo, dentre outros craques, colocando o América entre as principais equipes do país.




      

Títulos
Copa dos Campeõs da CONCACAF  1977, 1987, 1990, 1992, 2006.

Copa Interamericana  1978 e 1991.
Campeonato Mexicano 1924/1925, 1925/1926, 1926/1927, 1927/1928, 1965/1966, 1970/1971, 1975/1976, 1983/1984, 1984/1985, 1985 (Extra), 1987/1988, 1988/1989, 2002 (Verão) e 2005 (Clausura).
Copa do México  1937/1938, 1953/54, 1954/1955, 1963/64, 1964/65 e 1973/74.
Campeão dos Campeões  1954/1955, 1975/1976, 1987/1988, 1988/1989 e 2005

Estádio .

Estádio Azteca foi  inaugurado em 29 de Maio de 1966, sediou algumas partidas de futebol dos Jogos Olímpicos de Verão de 1968, mas foi na Copa do Mundo de 1970 que ganhou a devida importância.
Com capacidade para 105.000 torcedores sentados, também é conhecido como Coloso de Santa Úrsula, devido ao bairro onde é localizado o estádio.
É um dos únicos estádios a sediar duas finais de Copa do Mundo (1970 e 1986), além de outros nove jogos em 1970, igualando o Estádio Centenário de Montevidéu em número de jogos numa única Copa do Mundo, e outros oito jogos em 1986, num total de dezenove jogos, sendo o estádio que mais recebeu jogos na história das Copas.
Além disso, recebeu também os Jogos Pan-americanos de 1975, o Campeonato Mundial de Futebol Sub-20 de 1983 e a Copa das Confederações de 1999.
Em 1997 foi comprado pela emissora de TV Televisa, que renomeou o estádio como Estadio Guillermo Cañedo, em homenagem a um executivo da emissora, falecido na época. Após a recusa do novo nome pela população, o estádio voltou a se chamar Azteca, numa referência a civilização Pré-Colombiana dos Astecas.

Apelidos  Águilas, Azulcremas, Los Cremas, Millonetas, Conjunto de Coapa, Canarios.


Mascote

A mascote do América do México é a águia. O símbolo de imponência e liberdade representa a superioridade do clube, já que o animal está no topo da cadeia alimentar no ambiente em que vive. O apelido do time vem de sua mascote, já que a equipe do América é conhecida como Águilas, em português, Águias.

Site

http://www.clubamerica.com.mx/