domingo, 15 de agosto de 2010

Unione Sportiva Cittá di Palermo

O Palermo foi fundado em 1900 por Ignazio Majo Pagano, com o nome Anglo Panormitan Athletic and Football Club. O objetivo era incentivar a prática de vários esportes, como o futebol e o cricket. As cores do clube eram o vermelho e o azul, e só foi mudar para o rosa e preto em 1907.
Neste mesmo ano mudou o nome para Palermo Football Club. A equipe jogava partidas de campeonatos regionais até então. Em 1921, porém, o clube se inscreveu no Campeonato Italiano. Mas em 1927, o Palermo foi obrigado a sair da competição por problemas financeiros.
O clube renasceu graças à fusão com o Vigor Palermo. Em 1931/32, o time conquistou pela primeira vez na sua história a promoção para a Série A. E foi exatamente no dia 24 de janeiro de 1932 que aconteceu a inauguração do Estádio La Favorita – hoje chamado de Renzo Barbera, em homenagem a um ex-presidente do clube.
No entanto, a boa campanha em 1934/35, com o sétimo lugar, foi completamente oposta da temporada seguinte: 15º lugar e rebaixamento para a segunda divisão. Em 1940/41, a equipe foi excluída novamente da competição por problemas financeiros.
Seria preciso mais uma fusão para salvar o clube: dessa foi com a Juventina, outro time da cidade. Em 1941/42 participou da Série C e logo conseguiu subir para a Série B. Em 1947/48, o Palermo voltou para a elite do futebol italiano.
Foram temporadas sempre com resultados modestos, entre a primeira e segunda divisão. Em 1960, o time rosanero participou pela primeira vez de uma competição organizada pela Uefa: a Mitropa Cup, ou Copa da Europa Central.
Em 1962, conquistou um oitavo lugar na Série A – a torcida não esquece da vitória por 4 a 2 contra a Juventus, em Turim. A temporada seguinte? Rebaixamento para a Série B. Em 1967/68, o clube voltou para a elite do calcio com o nome Società Sportiva Calcio Palermo, e caiu novamente dois anos depois.
Em 1972, o Palermo conquistou a promoção para a Série A. Entretanto, seria apenas o início de tempos complicados, com exceção de duas finais da Copa da Itália, em 1973/74 e 1978/79, contra Bologna e Juventus, respectivamente.
Em 1986/87, uma nova exclusão do Campeonato Italiano por problemas financeiros. No ano seguinte, o clube foi fundado novamente com o nome Unione Sportiva Palermo Spa. O novo time, porém, não conseguia decolar e viveu momentos difíceis, alternando entre as Séries B e C.
Em 3 de março de 2000, o presidente da Roma, Franco Sensi, adquiriu o Palermo e a presidência foi concedida a Sergio D’Antoni. Sensi havia comprado as quotas do clube, mas ficou somente até 2002. Foi quando chegou Maurizio Zamparini.
O novo dono precisou de apenas duas temporadas para colocar o time rosanero novamente na Série A, em 2003/04, com Francesco Guidolin como técnico e Luca Toni no comando de ataque. Após a sexta colocação em 2004/05, o Palermo alcançou por duas vezes a quinta colocação, em 2005/06 e 2006/07.
Posições que devolveram a dignidade do clube e a felicidade da torcida. O time conseguiu se classificar para a Copa da Uefa, mas não obteve grandes sucessos. Para a temporada 2009/10, Zamparini decidiu apostar todas as suas fichas no novo técnico Walter Zenga.

Títulos

Serie B 1931–32, 1947–48, 1967–68, 2003–04 
Serie C 1941–42, 1945–46 
Serie C1 1992–93, 2000–01 
Serie C2 1987–88



Estádio

O Estádio Renzo Barbera (Stadio Renzo Barbera, antigo Stadio La Favorita)
Inaugurado em 24 de janeiro de 1932 como Stadio Littorio num jogo entre Palermo e Atalanta. Foi palco de jogos da Copa do Mundo de 1934.
Em 1936 foi rebatizado para Stadio Michele Marrone, em homenagem a um soldado morto na Guerra Civil Espanhola. O nome do estádio foi mais uma vez modificado após a Segunda Guerra Mundial para Stadio La Favorita.
Em 1948 a pista de atletismo foi retirada e a capacidade passou para 30.000 torcedores. Em 1984 houve uma nova reforma, com a construção do segundo anel de arquibancadas e a capacidade ampliada para 50.000 lugares. Recebeu algumas partidas da Copa do Mundo de 1990.
Em 18 de Setembro de 2002 foi rebatizado pela última vez, com o nome de Renzo Barbera, presidente do Palermo entre 1970 e 1980.


Hino

Palermo numero uno
Forza Palermo, facci sognare
Forza Palermo, facci sognare

Trent’anni ci vosero, trent’anni i mala vita
Ma alle fine vincemmo sta partita
Torna Palermo torna in Serie A
Una città è in festa aspetta e un sinni va!
Ghiacciuola all’arancio panini chi panielle
Stavuota a Favorita viremo cose belle
Dalla gradinata sino ai popolari
Tutta Palermo cia putiemo fare

Forza Palermo, facci sognare
Forza Palermo, facci sognare

Du picciotto luongo ca si chiama Luca Toni
Ni fici provari sta grande emozioni
u burgu o capu du orieto a ballarò
Tutta Palermo sapia ca signò
Arrivano i gemelli ca suonano a chittara
All’avversario sulu u ciavuro ra palla
Ogni partita è festa o Barbera
U stadio addivienta una grande bandiera

Siamo noi, siamo noi, la Sicilia rosanero, siamo noi
Siamo noi, siamo noi, la Sicilia rosanero, siamo noi
Siamo noi, siamo noi, la Sicilia rosanero, siamo noi
Siamo noi, siamo noi, la Sicilia rosanero, siamo noi

Nuddu su scorda u granni prieiriente
Ca a squadra sua un ci mancava niente
E i cucini catanisi arrivati a Favorita
Cavusi spardati purpppietti e granita
I gienti su cuntienti ora cu Zamparini
nne strati si stringiono cristiani e marocchini
Palermo Rosanero Palermo in Serie A

Sangu e latte travagghio e libertà
Sangu e latte travagghio e libertà

Forza Palermo, facci sognare
Forza Palermo, facci sognare
Forza Palermo, facci sognare
Forza Palermo, facci sognare

Siamo noi, siamo noi, la Sicilia rosanero, siamo noi
Siamo noi, siamo noi, la Sicilia rosanero, siamo noi
Siamo noi, siamo noi, la Sicilia rosanero, siamo noi
Siamo noi, siamo noi, la Sicilia rosanero, siamo noi

Vi saluto Kurò!

Mascote

A mascote do Palermo é a águia Kuró, criada recentemente pelo departamento de marketing do clube para ações comerciais. A águia é tão presente na história do clube que está no escudo da agremiação em dourado. Trata-se de um dos símbolos da cidade de Palermo.

Alcunhas Rosanero Aquile

Site
http://www.ilpalermocalcio.it/