domingo, 19 de outubro de 2008

Baré Esporte Clube

O Baré foi fundado no dia 26 de outubro de 1946, por Aquilino da Mota Duarte (ex-membro do Atlético Roraima), o qual foi também o primeiro presidente do clube. Era o segundo clube do então Território Federal do Rio Branco, atual estado de Roraima, formado três anos após o Atlético Roraima Clube, seu maior rival.

Comandado posteriormente por Claudeonor Freire, Mário Abdala, Hitler de Lucena, Adamor Menezes, Simão Souza, Francisco Galvão Soares, Francisco das Chagas Duarte, Alcides da Conceição Lima Filho, Ruben da Silva Bento, José Maria Menezes Filho e Luciano Tavares de Araújo, a equipe futebolística do Baré acumulou ao longo de sua história dois títulos do Torneio Integração da Amazônia e oito campeonatos estaduais (quatro na fase amadoraa, até 1994, e outros quatro na fase profissional), além de diversas outras conquistas em outras modalidades esportivas.

O primeiro título do clube foi conquistado em 1982, o Campeonato Roraimense daquele ano. Ainda na fase amadora o feito fora repetido em 1984, 1986 e 1988.

No ano seguinte, em 1983, o time conquistou o Torneio de Integração da Amazônia, conhecido por Copão da Amazônia, composto por clubes dos estados brasileiros amazônicos do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima, vencendo o Independência na final, na cidade de Rio Branco (Acre), a capital do Acre.Em 1985 o título fora re-conquistado, dividindo o título com o Trem, do Amapá.

Em 1995, recém-profissionalizado, disputou pela primeira vez o Campeonato Brasileiro Série C, sendo, contudo, eliminado precocemente, na primeira fase pelo também roraimense Progresso, de Mucajaí. No Campeonato Roraimense de Futebol de 1996, após derrotar o Grêmio Atlético Sampaio (GAS) na final, consagrou-se penta-campeão estadual.No mesmo ano disputou novamente a Série C do Brasileirão, onde foi eliminado na segunda fase para o rondoniano Ji-Paraná, da cidade homônima.

Voltaria a disputar a terceira divisão brasileira nos anos seguintes, em 1997 e 1998, sendo eliminado na primeira fase de ambos os campeonatos.

Em 2000 disputara a Copa João Havelange, nome dado ao Brasileirão naquele ano, participando do módulo verde — equivalente a Série C —, repetindo os resultados das últimas participações com a eliminação novamente na primeira fase.

Após anos sem conquistas, o clube voltou a ser campeão em 2006 com o campeonato estadual, sobre seu rival Atlético Roraima, na final realizada no estádio Flamarion Vasconcelos, na capital Boa Vista. Em 2007 participou da Copa do Brasil, enfrentando inicialmente o clube da primeira divisão brasileira América (RN). Em casa, venceu-o no Canarinho por 1 × 0, contudo fora eliminado no jogo de volta, em Mossoró, Rio Grande do Norte, após perder por 2 × 0 para o clube natalense.

No Campeonato Roraimense daquele ano, sob o comando do técnico Rômulo “Querido” Bonates, ocorrido poucos meses após sua eliminação na Copa do Brasil, o clube consagrou-se vice-campeão após uma ótima campanha. Derrotado pelo Roraima nos primeiro e segundo turnos, viu perder o nonicampeonato estadual e a vaga para a Copa do Brasil de 2008.

O confronto travado entre Baré e seu rival Atlético Roraima é o mais importante e popular do estado. Este clássico é conhecido como Bareima — uma contração por aglutinação do nome dos times envolvidos.

Estádio
Flamarion Vasconcelos (Canarinho)
Capacidade 10000

Títulos
Torneio Integração da Amazônia: 2 vezes (1983 e 1985).
Campeonato Roraimense: 8 vezes (1982, 1984, 1986, 1988, 1996, 1997, 1999 e 2006).

Hino
sem letra

Mascote

Seu mascote é o índio, figura típica da região. Por esta razão é chamado carinhosamente de Índio da Consolata (Consolata é um dos nomes da rua em que encontra-se sua sede), tendo ainda outros apelidos como Colorado da Consolata e O Mais Querido.