quarta-feira, 13 de maio de 2009

Mogi Mirim Esporte Clube

Primeiro time de futebol da cidade de Mogi, o Mogi Mirim Esporte Clube foi fundado no dia 01 de fevereiro de 1932 e, no mesmo ano, participou pela primeira vez de uma competição oficial: o Campeonato do Interior. No ano seguinte, sagrou-se campeão do torneio, que disputou ainda por mais de duas décadas. Enfim, em 1954, a agremiação se profissionalizou e debutou no Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

Em 1959, o clube se licenciou e permaneceu inativo por 10 anos, retornando às atividades profissionais em 1970, novamente na “Segundona”. Os anos foram se passando e, entre 1978 e 1981, o Mogi Mirim esteve na Terceira Divisão, retornando à Segunda no ano seguinte. Enfim, em 1985, um dos objetivos foi alcançado. Com o título do Campeonato Paulista da Segunda Divisão obteve o direito do acesso à Primeira Divisão, em 1986.
Foi no ano de 1985 que o Sapo chegou à primeira divisão do Campeonato Paulista. Naquele ano, o Mogi montou um time considerado bom para os padrões da época, com jogadores como o “xerife” Chicão e Oscarzinho, e na noite de 11 de dezembro de 85, no estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, o time chegou à divisão principal ao conquistar o título da Segunda Divisão com um empate de 1 a 1 com o Tanabi. De lá para cá, o Mogi se firmou no futebol paulista. O ápice foi nos anos de 92 e 93, com o célebre “Carrossel Caipira”, liderado por Rivaldo, Válber e Leto. O sucesso do time, que disseminou o nome do Mogi Mirim por todo o território nacional, foi a união de um treinador de visão, com um esquema tático ousado, e jogadores virtuosos que incorporaram um profundo espírito de equipe.

Aos moldes do Carrossel Holandês da Copa do Mundo de 1974, o estreante técnico Oswaldo Alvarez implantou o esquema 3-5-2. O encaixe do elenco foi perfeito. De tanto girar, o Carrossel Caipira atordoou adversários por onde passou. Para os grandes clubes da capital, o Sapo ficou conhecido como o time do interior mais difícil de ser batido.
Tamanho foi o êxito do elenco comandado por Vadão que em 1992 o Sapo conquistou o título da Copa 90 Anos da Federação Paulista de Futebol e do Grupo Amarelo do Campeonato Paulista. Por pouco o time não chegou à final do Paulistão.

No ano seguinte, o clube venceu o Torneio Ricardo Teixeira. Em 1995, o Mogi Mirim novamente conquistou o título do Campeonato Paulista da Série A-2. Em sua história também se destacam o vice-campeonato da Série-C do Campeonato Brasileiro, em 2001, e o título do Campeonato Paulista Sub-20, em 2006.
No ano passado, depois de permanecer por duas temporadas na Série A-2 do Paulista, o Sapo conquistou o acesso à primeira divisão.

Títulos

Campeonato Paulista da Série A-2: 1985 - 1995

Copa 90 anos da Federação Paulista de Futebol 1992
Torneio Ricardo Teixeira 1993



Quando meu time vai para o campo

A alegria vai atrás

Pois cantando venceremos

Nós queremos festejar

O meu time é de massa

Somos a força do interior

A galera vai gritar

Ê ô, ê ô, ê ô, ê ô, ê ô

Sapo!

Ê ô, ê ô, ê ô, ê ô, ê ô

Sapo!

Estádio

Com capacidade para 20 mil pessoas, o Estádio “Papa João Paulo II" é de propriedade do Mogi Mirim Esporte Clube. Ostentando linhas arquitetônicas modernas, tem em sua fachada
elementos atraentes, por seu aspecto majestoso.









Mascote
O time ganhou a figura de um sapo como mascote porque na região onde a cidade foi fundada em meados do século XVII havia muitos brejos com uma quantidade de sapos impressionante. Não deu outra, após a fundação do clube o anfíbio tornou-se o mascote e foi aprovado pela população da cidade.






Site
http://www.mogimirim.com.br/