sábado, 14 de fevereiro de 2009

Bangu Atlético Clube

A origem do clube de futebol surgiu na Fábrica Bangu, que existia no bairro de mesmo nome na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Alguns britânicos que trabalhavam no local, especialmente o escocês Thomas Donohoe, apresentaram o esporte para os brasileiros, trazendo bolas de futebol ao Brasil , isto ainda no Século XIX, com a primeira partida sendo disputada em 1894 , embora a história "oficial" do início do futebol brasileiro não registre este fato, que conta com farta documentação reunida pelo historiador Carlos Molinari. A versão que indica Charles Miller como introdutor do futebol no Brasil procura desqualificar este momento, dizendo que os jogos realizados antes não o foram em campo com as medidas oficiais, nem com uma organização que previa, entre outras coisas, uniformes às equipes.

Em dezembro de 1903, o inglês Andrew Procter sugeriu a fundação de um “club”, após observar o entusiasmo de seus colegas. A fundação ocorreu em 17 de abril de 1904, quando foi fundado oficialmente o Bangu Atlético Clube.

O primeiro jogo aconteceu no dia 24 de Julho de 1904, contra o Rio Cricket and Athletic Association, clube de origem inglesa de Niterói , com derrota por 5 a 0, mas já no jogo seguinte, o Bangu conquistou a primeira vitória, 6 a 0 contra o Andaraí.

Em 1905, o Bangu foi um dos fundadores da atual Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e desde o início teve seu nome vinculado à classe operária fabril e ao bairro que carrega no nome .

No Campeonato Carioca de 1916 o Bangu terminou empatado com o Botafogo na segunda colocação. O campeão foi o América, com quem o Bangu faz o importante confronto, América versus Bangu .

O Bangu sempre teve tradição de revelar grandes jogadores e no final da década de 1920, lançou Domingos da Guia , lenda do futebol brasileiro conhecido como El Divino Mestre com passagens em outros grandes clubes do Brasil, Argentina e Uruguai e pai de outra grande revelação do Bangu, Ademir da Guia .

Em 1921, três importantes jogadores banguenses, Claudionor Corrêa, Américo Pastor e José de Mattos, foram convocados para defender a Seleção Brasileira no Sul Americano na Argentina, mas como eram operários da Fábrica Bangu, não foram liberados pelos seus chefes para disputar esta competição .

No ano de 1929 o Bangu ganha o curioso apelido de Mulatinhos Rosados . Há duas versões para esta história, sendo que na primeira o apelido levava em conta que o time do Bangu era formado basicamente por mulatos e como ao suarem a camisa desbotava,com as listras vermelhas parecendo rosadas, surgiu este apelido. Na segunda versão, o presidente de então do Bangu, Antônio Pedroso, para responder um dirigente adversário que dissera, "Como tem crioulo neste time", respondeu: "Crioulos não, mulatinhos rosados". A história se passando com o clube brasileiro pioneiro na luta contra o racismo no futebol brasileiro, deve ser entendida de maneira estremamente simpática e singela, se não folclórica .

Em 1933, a superioridade do Bangu na conquista de seu primeiro Campeonato Carioca foi incontestável, pois em 10 jogos venceu 7, empatou 2 e perdeu apenas 1, com 35 gols em 10 jogos, uma média impressionante de 3,5 gols por jogo . Na final Fluminense versus Bangu , vitória sobre o tricolor por 4 a 0 .

Um dos grandes jogadores da história do Bangu foi Zizinho ,tendo liderado o Bangu no final da década de 40 e início da de 50, conquistando o Torneio Início de 1950 , o primeiro título de um clube no Maracanã , o vice-campeonato carioca de 1951 e o Torneio Início do Torneio Rio-São Paulo, também em 1951 , na final carioca contra o América. Em 1959 o Bangu também foi vice-campeão carioca, empatado com o Botafogo, tendo estes dois clubes feito uma partida extra para decidir a segunda vaga carioca para a Taça Brasil. Alguns sites, incorretamente, apontam esta partida como decisão do segundo lugar.

Em 1960, novamente uma conquista pioneira: O Torneio Internacional de Nova York ao enfrentar o Sampdória (Itália), Rapid Wien (Áustria), Sporting Club Lisboa (Portugal), Estrela Vermelha (Iugoslávia), IFK Norrköping (Suécia), e Kilmarnock (Escócia), sob o comando de Élba de Pádua Lima (o "Tim"), talvez o maior estrategista que o futebol brasileiro conheceu, o Bangu vence invicto o primeiro torneio de futebol profissional realizado em terras norte americanas. Mais uma bela campanha, com 5 vitórias e 1 empate, 16 gols a favor e 3 contra (saldo de 13 gols). Também participaram desta competição, embora o Bangu não tenha chegado a os enfrentar, Bayern de Munique (Alemanha), Nice (França), Burnley (Inglaterra), New York Americans (EUA) e Glenavon (Irlanda do Norte), o que, dado o nível e a importância dos clubes envolvidos, é o suficiente para a caracterizar como um autêntico Campeonato Mundial.

Depois dos vice-campeonatos de 1964 e 1965, finalmente o Bangu reconquistaria o título do Campeonato Carioca em 1966, com 15 vitórias e 2 empates em 18 jogos, e com um 3 a 0 na decisão contra o Flamengo, já aos 3 minutos do segundo tempo, fazendo com que o atacante Almir Pernambuquinho, do Flamengo, arrumasse uma enorme briga para acabar com o jogo e não sofrer uma humilhação ainda maior .

Em 1967 o Bangu seria novamente Vice-Campeão no Campeonato Carioca, perdendo o título no último jogo para o Botafogo pelo placar de 2 a 1.

Em 14 de Março de 1970, jogando no Estádio de Moça Bonita , o Bangu empatou com a Seleção Brasileira que seria tricampeã mundial em 1 a 1 .

Em 1984, o Bangu foi Campeão da XIV President's Cup da Coréia do Sul, um torneio internacional de alto nível, em Seul na Coréia do Sul.

O Bangu em 1985 foi Vice-Campeão no Campeonato Carioca e Vice-Campeão no Campeonato Brasileiro , ao perder a final para o Coritiba nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo normal.

Em 1986, o Bangu participa pela primeira vez da Taça Libertadores da América, porém, seus resultados não foram nada agradáveis empatando 2(1x1 com o Coritiba e 3x3 com o Deportivo Quito) e perdendo 4 jogos(1x0 e 2x1 para o Barcelona de Guayaquil, 3x1 para o Deportivo Quito e 2x0 para o Coritiba).

Além dos títulos conquistados, o Bangu teve também, os artilheiros dos campeonatos cariocas de 1920 (Claudionor, 17 gols), 1922 (Pastor, 10 gols), 1930 (Ladislau da Guia, 20 gols), 1933 (Tião,15 gols), 1935 (Ladislau da Guia, 18 gols), 1963 (Bianchini, 18 gols), 1966 (Paulo Borges, 16 gols), 1967 (Paulo Borges, 13 gols) e 1984 (Cláudio Adão, 12 gols) .

Ladislau da Guia é até hoje o maior artilheiro da história do Bangu, com 215 gols. Irmão de Domingos da Guia e dos também jogadores do Bangu, Médio e Luiz Antônio, além de tio de Ademir da Guia, formam duas gerações de craques que o Bangu revelou para o futebol brasileiro. Outro jogador da época de Ladislau que merece ser lembrado é Fausto dos Santos, um volante de muita técnica e espírito de liderança, que na Copa do Mundo de 1930, ganhou o apelido de a Maravilla Negra da imprensa uruguaia .

No ano de 2001, o Bangu ganhou a Medalha Tiradentes, honraria concedida pela Assembléia Legislativa do estado do Rio de Janeiro, por ter sido o Primeiro Clube Brasileiro a escalar atletas negros em seu time, isto ainda em 1905. Esta foi, é, e será eternamente, a Maior Conquista do Bangu, dentro ou fora de campo.

Mas de 2004 o Bangu viveu um momento negro em sua gloriosa história,rebaixado para Série B do Carioca em 2004 após ser goleado pelo América-RJ,o time não voltou mais para Série A do Campeonato Carioca desde então,em 2005 o time chegou perto mas perdeu a vaga na elite para o Nova Iguaçu,em 2006 uma seletiva o promoveu a disputar a primeirona em 2007,porém com a anulação da seletiva o time foi obrigado a disputar a Série B do estadual novamente em 2007 onde também não conseguiu voltar.

Em 2008 o Bangu conseguiu voltar a elite do futebol carioca ao vencer o Campeonato Carioca da Segunda Divisão onde participou por 4 anos.

Títulos

Campeonato Carioca: 2 vezes (1933 e 1966).
Campeonato Carioca da Segunda Divisão: 3 vezes (1911,1914 e 2008).

Estádio

O Estádio Proletário Guilherme da Silveira ou Estádio de Moça Bonita é um estádio de futebol localizado no bairro de Bangu, Rio de Janeiro - RJ. Foi inaugurado no dia 17 de novembro de 1947, para substituir o antigo Estádio da Rua Ferrer, do Bangu Atlético Clube.

A primeira partida no Estádio Moça Bonita só ocorreu em 12 de dezembro de 1948, na partida vencida pelo Flamengo sobre o Bangu por 4 a 2. O primeiro gol no estádio foi de Joel Resende, do Bangu.

O Estádio de Moça Bonita teve capacidade de 15.000 pessoas, mas ataualmente o número de ingressos é reduzido pelas condições de segurança do público. O recorde de público é de 17.000 espectadores, na partida entre Bangu e Fluminense, no dia 3 de julho de 1949, que terminou empatada em 1 a 1.

Hino
O Bangu tem também a sua história a sua glória,
enchendo seus fãs de alegria.
De lá, pra cá, surgiu Domingos da Guia.

Em Bangu se o clube vence há na certa um feriado.
Comércio fechado, a torcida reunida até parece a do Fla-Flu,
Bangu...Bangu...Bangu.

O Bangu tem também como divisa na camisa,
O vermelho sangue a brilhar,
E faz cartaz, estouram foguetes no ar.

Foi em 1949 que o compositor Lamartine Babo, famoso por suas "marchinhas" de carnaval compôs os hinos dos clubes do Rio de Janeiro. A gravação, porém, só seria comercializada no ano seguinte, aproveitando a realização da Copa do Mundo no Brasil.

Mascote
Em 1981 muitos críticos esportivos diziam que faltava "peso na camisa" ao Bangu para enfrentar os grandes times do país. Talvez por isso, Castor de Andrade tenha colocado um adereço novo no uniforme alvirrubro. Se do lado esquerdo estava o distintivo desenhado em 1904 por José Villas Boas, do lado direito, agora, aparecia a mascote do time, justamente um castor, simbolizado por um simpático roedor preto, de cauda longa e empinada, em belíssima e eterna homenagem ao Grande Benemérito e futuro Patrono do clube.


Site

http://www.bangu.net