quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Atlético Clube Goianiense

Com a camisa igual à do Flamengo e o escudo semelhante ao do São Paulo, porque Edison Hermano, um dos seus fundadores e seu primeiro goleiro era flamenguista e são-paulino, o Atlético iniciou, ao ser fundado em 2 de abril de 1937, a implantação do futebol em Goiânia, a então recém-fundada cidade de Goiânia.

1944 - O Primeiro Campeão Goiano

Em 1944 disputou-se o primeiro campeonato oficial de futebol em Goiás. A bem da verdade, foi um campeonato curto, posto que na época existiam apenas cinco clubes. É verdade, também, que a então jovem capital com apenas 12 anos de fundada, não comportava mais do que isso. Naturalmente houve muitas irregularidades, mas que não tiraram o mérito do primeiro grande campeão goiano, que foi o Atlético Clube Goianiense, também o primeiro clube fundado em Goiânia a 02 de abril de 1937.

OS PARTICIPANTES

Atlético, Goiânia (fundado em 1938), Vila Nova (fundado em 1943), Goiás (fundado em 1943) e o Campinas (fundado em 1943 e que se utilizava dos reservas do Atlético.

O TIMAÇO

O Atlético foi campeão não porque seus adversários fossem fracos, mas sim por que seu time era poderoso e bom. Tinha poucos jogadores e seu elenco era muito homogêneo, com reservas e titulares se confundindo. Eis o elenco campeão, primeiro campeão goiano: Paulista (Wolney), Tonico (Ditinho) e Chancão (Fão), Waldemar Bariano, Tocafundo (Mira), Pixo (Pirulito); Cid, Ari, Cigano, Nazaré, Dido e Nery.

O atacante Dido, filho do técnico Orlando Feresin, foi lançado no time na final do torneio estadual de 1944 com apenas 17 anos. Orlando teve que assinar uma autorização para o jovem entrar em campo, mas valeu a pena. O rapaz marcou dois gols e selou o título diante do Goiânia.

O TÍTULO

O Campeonato de 1955, o mais longo da história, contou com a presença de uma dezena de clubes. Foram dezoito jogos, turno retorno para que o rubro-negro levantasse o mais memorável titulo de sua gloriosa trajetória.

Fioravante Salerno, o Fiori, um calabrês estabelecido no comércio da avenida 24 de Outubro assumiu o comando técnico do time e sua virtude maior era a amizade e o respeito mútuo. Ele nunca tinha problemas, pois apesar de um elenco reduzido, adaptava um jogador a qualquer circunstâncias. Epitácio, por exemplo, era ponta-direita, ponta-esquerda, meia-armador médio-volante, centro-avante, era tudo. Todos eram tudo naquele inesquecível esquadrão que ficou mais de vinte jogos sem conhecer o sabor de uma única derrota.

1957, outra vez...

No começo de 1955, para uma curta excursão a Cuiabá, o Atlético, em face de algumas contusões, teve de recorrer ao Goiás, tomando dois craques por empréstimo: o zagueiro central Manduca e o centro-avante Eudes, o maior gênio que o futebol goiano conheceu. Um homem que jogava sem bola e que encantava a platéia por sua genialidade. Pois bem, ao voltarem de Cuiabá, os dois se empolgaram com o Atlético e se iniciou um namoro que duraria mais de um ano.

O tempo passou e chegou 1957. E Manduca e Eudes se incorporavam, em definitivo, ao elenco rubro-negro. De quebra, sem contrato com o Goiânia, chegava o goleiro China, com suas defesas monumentais e seu jeito muito especial de gritar durante os noventa minutos, orientando sua defesa e distribuindo lançamentos em profundidade para os atacantes: Resultado: Atlético, Campeão Invicto de 1957, ano em que conquistou também o Troféu dos Invictos.

Os Goleadores

Pelo Atlético passaram os maiores goleadores do futebol goiano. Seria ocioso citar nomes de quantos vestiram a camisa rubro-negra, balançando redes e fazendo os melhores goleiros se ajoelharem, impassivos diante do poderio atleticano. Aqui nos atemos aos homens que chegaram ao final dos campeonatos comandando o pelotão dos goleadores do futebol goiano. Os anos em que o Atlético teve o artilheiro-mor foram:

1944 - Ari 8 gols
1947 - Dido 17 gols
1948 - Tarzan 21 gols
1949 - Tarzan 18 gols
1955 - Fábio 21 gols
1970 - Dadi 13 gols
1972 - Dadi 12 gols
1978 - Baltazar 31 gols - recordista absoluto
1985 - Bill 21 gols

O time chegou muito perto da conquista de mais títulos estaduais, mas foi vice-campeão em 21 oportunidades. Juntamente com o Goiás e o Vila Nova, a agremiação é uma das forças do Estado e teve alguns feitos memoráveis.

Em 1990, foi o primeiro clube goiano a conseguir um título de âmbito nacional, o Campeonato Brasileiro da Série C, quando bateu o América Mineiro na final. No entanto, após alguns anos de marasmo, falta de investimento e constantes más administrações, o clube foi rebaixado no Estadual e permaneceu um período na segunda divisão.

O retorno do Dragão, como também é conhecido o Atlético Goianiense, para a divisão de elite do futebol goiano, ocorreu após torcedores e diretoria se unirem para reerguer o clube.

Com isso, em 2005, o time conseguiu o título da segunda divisão do Estadual Goiano, voltando à elite em 2006 e conseguindo o vice-campeonato. Em 2007, a consagração: o título de campeão estadual terminava com um jejum de 17 anos sem títulos de expressão.

Títulos
Nacionais
Campeonato Brasileiro Série C: 1990.

Interestaduais
Vice-Campeonato Copa Brasil Central: 1967.

Estaduais
Campeonato Goiano: 10 vezes (1944, 1947, 1949, 1955, 1957, 1964, 1970, 1985, 1988 e 2007).

Vice-Campeonato Goiano: 21 vezes (1945, 1946, 1948, 1950, 1952, 1954, 1956, 1958, 1959, 1960, 1961, 1967, 1968, 1972, 1979, 1986, 1987, 1991, 1996 e 2006).

Campeonato Goiano 2ª Divisão: 2005.

Torneio Início: 6 vezes (1940, 1944, 1952, 1956, 1962 e 1984).

Outras Conquistas
Torneio Triangular Campineiro: 1956.

Torneio Integração: 1971.

Copa Goiás: 1998.


Estádio

Estádio Antonio Accioly, pertencente ao Atlético Clube Goianiense
, onde são realizados suas partidas em campeonatos regionais e contra equipes de pequeno porte em campeonatos nacionais. Contra equipes de maior porte, utiliza-se do Estádio Serra Dourada.

Nome Oficial: Estádio Antônio Accioly

Capacidade: 8.000

Dimensões do gramado: 110m x 75m

Proprietário: Atlético Clube Goianiense

Hino

Letra e Música: ?


Meu Atlético,
meu estandarte
modéstia à parte tem a força
quente de um dragão
Meu Atlético tem a mania de dar
alegria pro meu coração...
Meu rubro negro, eu chego e vejo,
você cumprindo o meu desejo de vencer, vencer,
vencer!
dá gosto ver nosso esquadrão,
rolando a bola pelo chão e
dando um show e mais um gol...
Lê Lêlêoo
Lê Lêlêoo
Atlético!

Mascote
A mascote do Atlético Goianiense é um dragão, apelido pelo qual o clube também é conhecido.


Mascote do Atlético Goianiense

site: http://www.atleticogoianiense.com.br