quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Campinense Clube


Em 12 de Abril de 1915, a nata da sociedade local, fundaram uma sociedade dançante, o Campinense Clube, que teve como fundadores Elias Montenegro, Dino Belo, Antonio Lima, Sebastião Capiba, João Honório, Horácio Cavalcanti, Manoel Colaço, Luiz Soares, Antonio Cavalcanti, César Ribeiro, Valdemar Candeia, Nhô Campos, Sindô Ribeiro, Severino Capiba, Adauto Belo, Basílio Agostinho de Araújo, José Amorim, Tertuliano Souto, Gumercindo Leite, Martiniano Lins, José Aranha, Alberto Saldanha, Acácio de Figueiredo, Arnaldo Albuquerque, Gilberto Leite, José Câmara, Alexandrino e Adauto Melo.

Como ainda não contava com sede própria, o novo clube passou a funcionar no Colégio Campinense, cujo diretor Gilberto Leite, um dos fundadores.

Detalhe digno de assinalar foi a escolha do nome do novo sodalício. Reuniões e mais reuniões se sucediam e não se chegava a um acordo. Finalmente, o jovem e brilhante advogado Hortênsio Ribeiro, numa “quente” reunião propôs que o clube passaria a se chamar Campinense. Esse nome retratava tudo, inclusive o bairrismo dos seus fundadores. E obteve votação unânime.


O Dr. José Câmara presidiu a diretoria provisória, no entanto, o primeiro presidente eleito no ano seguinte. A posse foi solenizada com um jornal falado, o “Campinense Clube”. A solenidade foi no palco do Cine Teatro Apolo, rua Maciel Pinheiro, onde era a Livraria Pedrosa ( a velha ).

FUTEBOL:
Embora o rubro-negro de Campina Grande tenha começado sua trajetória em 1915, sua torcida precisou esperar até 1960 para poder comemorar a conquista de um título estadual, em virtude de uma norma que estava em vigor desde 1919, que proibia a existência de um departamento de futebol na estrutura administrativa do clube, e só revogada em 1954. em compensação, a vitória abriu a série do hexacampeonato estadual, feito inédito e até hoje não repetido pelos clubes paraibanos.

Em 1961, foi a primeira das grandes equipes do Estado a participar de uma competição nacional, a Taça Brasil. Repetindo o feito em 1971, quando disputou a Série B do Campeonato Brasileiro.
Em 1972, conquistou o vice-campeonato nacional da Segunda Divisão, o maior feito de um clube paraibano na história do futebol brasileiro. Também conseguiu, em 1975, ser a primeira equipe paraibana na Série A do Campeonato Brasileiro.
No ano de
2003 o time chegou na fase final do Campeonato Brasileiro Série C, mas não subiu para a Série B porque nessa época ascendiam apenas dois times.

O Campinense Clube é o maior clube de futebol da Paraíba, possuindo sua social em Campina Grande , no bairro da Bela Vista, onde também está sendo construindo seu centro de treinamento, que por muitos anos funcionou no bairro de José Pinheiro, o tradicional Zepa, no Estádio Municipal Plínio Lemos, que ficou conhecido como “Toca da Raposa”. Único Hexacampeão paraibano o Campinense Clube acumula diversos títulos e sua equipe de futebol é carinhosamente chamada pela imprensa paraibana de “Equipe Cartola”.

CAMPINA GRANDE E O FUTEBOL:
Campina Grande é a segunda maior cidade da Paraíba, superada somente pela capital, tendo uma população de aproximadamente 350mil habitantes, uma cidade serrana, de atividade econômica voltada especialmente para o comércio e indústria. Outra importante fonte de renda para sua população é o turismo de eventos, sendo notáveis as festividades O Maior São João do Mundo, durante todo mês de junho, a Micarande, um carnaval fora de época que ocorre em geral no mês de abril, o Encontro para Nova Consciência, um evento ecumênico e de reflexões, promovido durante o período do Carnaval Nacional, e o Festival de Inverno, um encontro teatral realizado no mês de agosto.

Como em quase todo o Brasil o principal esporte praticado na cidade é o futebol e, neste contexto existe hoje duas equipes profissionais: O Campinense e o Treze, onde de maiores torcidas e tradição, as principais forças do futebol paraibano.

O Campinense e Treze realizam o “Clássico dos Maiorais” que é o maior clássico do futebol da Paraíba, a torcida do Campinense, porém, é sem duvida nenhuma a mais fiel e a mais vibrante da Paraíba, e entusiasticamente chama seu time de “a raposa feroz” e seus torcedores se autodenominam de “raposeiro”, pois a marca e mascote do clube é uma raposa estilizada. A tradição de títulos sempre conquistados com muita raça e dedicação de seus jogadores, tornou sua torcida a maior e mais vibrante do estado, sempre presente aos estádios a cada jogo, apoiando o time em quaisquer circunstâncias.

Títulos
Nacionais
2º lu
gar Campeonato Brasileiro da Série-B: 1972.
4º lugar Campeonato Brasileiro da Série-C: 2003.

Regionais
2º luga
r Campeonato do Nordeste: 1961.
1º lugar Torneio Nordeste: 1962.
2º lugar Campeonato do Nordeste: 1965.

Estaduais

Campeonato Paraibano: 17 vezes (1960, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1967, 1971, 1972, 1973, 1974, 1979, 1980, 1991, 1993, 2004 e 2008).
Taça Cidade de Campina Grande: 1996.
Torneio I
nício: 7 vezes (1963, 1964, 1972, 1973, 1975, 1977 e 1980).

Estádio
Por muito o tempo o Campinense utilizou o Estádio Municipal Plínio Lemos, situado no bairro do José Pinheiro, como palco de seus jogos e para treinamento.
Em 1975, após a conclusão do Estádio O Amigão, de maior capacidade, o time passou a realizar todos os seus jogos nesta praça esportiva. Após 1996, no entanto, o Campinense deixou de usar o Plínio Lemos, que foi completamente reformulado para se transformar na Vila Olímpica Plínio Lemos, inaugurada em Fevereiro de 2008.
Finalmente, em 2006, o Campinense inaugurou seu próprio estádio, o Renatão. Localizado no alto da Bela Vista, tem capacidade para 3.000 pessoas. É neste estádio que o time faz seus treinamentos.

Estádi
o Gov.Ernani Sátiro ( O Amigão)
Capacid
ade 38000
Propriedade: Governo do Estado da Paraíba


Hino


Letra: Geraldo Cavalcante

Pelos cantos do Brasil
a Raposa a correr

Vitórias, glorias mil
garra e raça pra valer

As cores da Paraíba
e a grande inspiração

Rubro Negro na Camisa
sangue,
nervo e coração

Grande Campeão paraibano
é o Campinense com razão

Títulos, troféus, ano após ano
Salve a Raposa bicho papão

Toda vibrante estremecida

é a charanga a tocar
Entusiasmada toda torcida

seu clube a incentivar

Futebol é bola no barbante,

alegria das multidões

Vamos dar as mãos, Raposa avante

Para maratona dos Campeões.


Mascote
Tradicionalmente conta-se que o nome raposa como mascote do rubro negro, surgiu no inicio dos anos 60 em virtude das sucessivas vitórias do Campinense sobre seu maior rival, o Treze F.C.. Como o símbolo o Treze era um galo e naturalmente quem come o galo é a raposa, então...assim partindo da invenção popular, a raposa passou a ser oficialmente o mascote do clube.

site:
http://www.campinenseclubeoficial.com.br