domingo, 24 de agosto de 2008

Central Sport Club


O CENTRAL SPORT CLUB, fundado em 15 de junho de 1919, à uma da tarde, na Sociedade Musical Comercial Caruaruense, tendo como representante o Sr. Francisco Porto de Oliveira. O título do clube foi sugerido pelo Sr. Severino Bezerra.
Foi estabelecida uma jóia de 2.000 réis e 500 réis de mensalidade (assim consta na primeira "Ata de Fundação").

O CENTRAL está sediado na cidade de Caruaru-PE e vem disputando o Campeonato Pernambucano de Futebol desde 1961, quando se filiou a Federação Pernambucana de Futebol e Confederação Brasileira de Futebol. Durante essa trajetória, o clube Patativa sempre teve destaque e foi o fiel da balança no certame, onde lidera o futebol no interior do Estado.

Durante a sua existência no amadorismo, participando dos campeonatos amadores da Liga Desportiva Caruaruense, sempre foi um vencedor, sendo campeão em 42, 43, 44, 45, 48, 51, 52, 53, 54 e 58; representando a cidade condignamente. Em 1961, levado pelo então presidente da LDC, o banqueiro Gercino Tabosa, volta ao futebol estadual, pois, em 1937, teve uma passagem meteórica na Federação.

No profissionalismo, participando dos certames da FPE, tem tido excelente presença, sendo, no momento, a principal equipe do interior, enfrentando as cidades do Cabo, Vitória, Garanhuns, Timbaúba, Goiana, Petrolina, Itacuruba e Nossa Senhora do Ó, que também fazem parte dos certames promovidos pela Federação Pernambucana.

Disputa os campeonatos Pernambucanos e Brasileiro e a Copa Pernambuco de Clubes Profissionais. É considerado a 4a. força esportiva do Estado. No Campeonato Nacional, chegou a ser 4o. colocado, em 1995. Em 1979, quando participou do Brasileiro da 1a. divisão, enfrentou: Flamengo, Vasco da Gama, Atlético Mineiro, Grêmio, Fluminense, etc.

Mas seu grande feito foi em 1986, na Copa Brasil, enfrentando os principais clubes do País, derrotou o Flamengo por 2x1, no Estádio Luiz José de Lacerda, hoje o Lacerdão, com tentos de autoria do atleta Ronaldo.

No futebol pernambucano, além dos honrosos 3o. e 4o. lugares, foi campeão da segunda divisão em 1999, voltando a ocupar o seu lugar de destaque na Primeira Divisão Estadual, levantando o astral de toda a torcida alvi-negra. Em 2000, além do Estadual, o CENTRAL disputou a Copa João Havelange, Grupo Verde/Branco, com relativo sucesso. Em 2001, ocupa a 4a. posição no futebol estadual. O Central foi campeão da 2a. divisão nacional em 1986 juntamente com o Treze/Pb - Internacional/SP e Criciúma/SC.

Em 2001, o Central Sport Club sagrou-se Campeão da Copa Pernambuco, sendo esse, o 2o. título profissional de sua história. Em 2002, o CENTRAl conseguiu o seu 3o. título com profissional, sagrando-se Campeão da Copa Jarbas Vasconcelos.

Em 2004, a equipe do CENTRAL SPORT CLUB, não foi feliz e terminou rebaixada para a Segunda Divisão, no campeonato de 2005. O time não teve sorte na escolha dos seus atletas. Alguns, bastante conhecidos voltaram ao clube, mas infelizmente não reeditaram a fase passada. A equipe de Juniores, com direção de Borges Carvalho, obteve o 4o. lugar, cabendo ao atleta JOÃO NETO a artilharia, com 11 tentos.

As suas equipes de base(Juvenil e Juniores) são verdadeiros celeiros de atletas, oriundos da cidade e cidades vizinhas. No ano de 1983 ganhou o título de Campeão das Modalidades, patrocinadas pela Federação. Mantém uma escolinha de futuros talentos, com mais de 200 crianças inscritas. EM 2001, os JUNIORES foram campeões da LDC, 2a. Divisão. EM 2002, a equipe Juvenil foi campeã invicta da Copa Esperança-sub 17.

O seu estádio, denominado de Luiz José de Lacerda - O LACERDÃO, em homenagem ao seu grande e dedicado baluarte, Presidente de Honra com todos os méritos, foi construído em linhas arquitetônicas modernas e até futurísticas, comporta 25.000 expectadores e é o palco dos grandes espetáculos futebolísticos e sociais. É considerado o melhor estádio de futebol do Interior Nordestino.

É proprietário, também, do Centro de Treinamento - CT, localizado às margens da BR 104, ao lado do Autódromo AIRTON SENNA, numa área de 6 hectares, que está em construção.

Alguns atletas que se destacaram no cenário esportivo nacional, pelo Central Sport Club: MIRANDINHA, jogou no Corinthians; VADINHO, que jogou ao lado do Rei Pelé, pelo Santos; JUSCÉLIO, que mantém o Prêmio Belford Duarte; ZEZINHO DE TUTU(Em Memória), um patrimônio do Clube; AXÉ, hoje no futebol português; DUDINHA, goleiro que defendeu o Palmeiras, SELMIR, no figueirense e EVERALDO no futebol alemão.

O seu Pavilhão Alvi-Negro sempre tremulou altaneiramente e as suas cores(preto e branco) são respeitas quando adentram os estádios, envergadas pelos nossos briosos atletas. A Patativa é o símbolo do clube e está sempre voando alto.

O CENTRAL SPORT CLUB foi fundando em 1919 por um grupo de jovens idealistas, tendo como o seu Primeiro Presidente, o sr. José Faustino Vila Nova, renomado comerciante. Atualmente, a Patativa do Agreste, símbolo adotado pelos centralinos, tem como presidente o sr. CÍCERO MOREIRA DA SILVA, até o final do mandato em dezembro de 2005, substituindo a Luiz Rodrigues que renunciou, deixando o clube em dificuldades. A Partir de 2004, assumiu como diretor Executivo e Financeiro, o sr. Ronaldo Ferreira de Lima, que vem lutando ardorosamente pelo soerguimento desta agremiação.

Estádio

A construção do estádio foi um grande sonho realizado. Um acontecimento inédito no interior de Pernambuco, que elevou ainda mais o nome do Central dentre os clubes pernambucanos.

Desde o inicio, o estádio foi projetado com muita inovação e despertou a admiração de arquitetos e engenheiros de todo o país.

Nome Oficial: Estádio Luiz José de Lacerda
Capacidade: 30.000
Endereço: Av. Agamenom Magalhães, 425 - Caruaru (PE)
Inauguração: 19/10/1980
Primeiro jogo: Central 3x1 Seleção da Nigéria
Primeiro gol: Gil Mineiro (Central)
Recorde de público: 24.450 (Central 2x1 Flamengo - 1986)
Dimensões do gramado: 105m x 70m
Proprietário: Central Sport Club

No inicio, chamava-se Estádio Pedro Victor de Albuquerque.


Hinos Oficiais do Central

HINO I


Música e Letra: Professor José Florêncio Neto (Machadinho) Concurso de 1968


CENTRAL, CENTRAL, CENTRAL
Tu és a glória do Nordeste
Teu nome social
Enche de encantos
A Capital do Agreste

És tu linda bandeira
Que ao tremular
Diante dos campeões
É dos mais fortes
O nosso brado
Sentindo a vitória
Dos nossos corações

Nasceste em Caruaru
Sobre um belo céu de anil
Pensando em Pernambuco
Enaltecendo o Brasil
Tuas cores alvi-negras
Falam junto aos corações
Num desejo que tu sejas
Campeão dos Campeões.



JOSÉ FLORÊNCIO NETO (MACHADINHO), Ex-atleta, Maestro, compositor e professor de Música.
Sempre se dedicou ao Central, sua paixão maior.
Morreu no ano de 2000.


Hino II


Música e letra: Israel Filho
Gravado em 1995


Meu glorioso alvi-negro
És o campeão das emoções
Tuas Glórias, teu passado
Sempre presente em nossos corações

Tua bandeira alvi-negra
Ao tremular relembra tua história
Enche de orgulho o nosso peito
Nos faz lutar em busca da vitória

És filho de Caruaru
Capital do Agreste em Pernambuco
Nessa busca de vitória prevalece
O teu jingado tão malandro, tão matuto
CENTRAL, CENTRAL, CENTRAL
O teu nome me enche de emoção
Seja na terra, em outras terras
Tua bandeira é força e tradição.

ISRAEL FILHO, cantor, compositor, torcedor centralino e caruaruense.
Veste a camisa do CENTRAL com orgulho.

Mascote
Patativa Alvi-Negra


Canto melodioso e triste. O belo canto da Patativa tem tantos admiradores que, no Brasil, ele já foi citado em música, verso e prosa. Na natureza, o macho (foto) usa o canto melodioso para demarcar seu território.

O seu canto é tão atraente que o nome deste pássaro virou apelido de alguns cantores nordestinos. Devido a ele a Patativa já foi citada em uma música famosa de Vicente Celestino, no romance "Ubirajara", de José de Alencar, e no poema "As primaveras", de Casimiro de Abreu.

· A graciosa Patativa alvi-negra é o símbolo do Central Sport Club.
· Ela representa o clube com as suas cores, com o seu vôo livre e altivo.
· Dizem que, durante os treinos do Central, se encontravam no lugar muitas patativas, quem sabe, a contemplar os nossos jogadores treinando.
· Ela é símbolo de força, coragem, determinação e liberdade.

site: www.centralsc.com.br/