sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Sport Club do Recife




O Sport Clube de Recife foi fundado em 13 de maio de 1905 por Guilherme de Aquino Fonseca e alguns companheiros da elite social pernambucana, que queriam praticar futebol, mas, na época, não tinham um lugar para tal.
No seu primeiro ano de existência, o Rubro-Negro disputava apenas partidas amistosas contra times amadores. A estréia do clube no Campeonato Pernambucano aconteceu em 1916 e, logo em sua primeira participação, já se sagrou campeão estadual. No ano seguinte, o Sport venceu novamente a competição pernambucana e conquistou o bicampeonato.

A década de 20 ficou marcada pela conquista do tricampeonato estadual - 1923 a 1925. Com campanhas quase perfeitas, beirando os 100% de aproveitamento, o Leão se firmou como uma das maiores equipes do estado, após erguer os títulos de 1923, 24, 25 e 28.
A sede do clube, que funciona até hoje no mesmo lugar, começou a ser construída no final de 1935. Com o término da obra em 1937, foi inaugurado o estádio da Ilha do Retiro, batizado posteriormente como Adelmar da Costa Carvalho.
O Sport, década após década, seguia com sua história gloriosa e continuava a conquistar o principal título do Estado. Na década de 40 foram mais cinco torneios vencidos, um tricampeonato – 1941, 42 e 43 - e um bi - 1948 e 49.
O clube voltou a vencer o Pernambucano em 1953 e repetiu o feito em 1955, 56 e 58. A década de 50 marcou também a primeira excursão ao exterior da agremiação. Em 1957, a equipe disputou 17 jogos na Europa, contra times como Real Madrid, Fenerbache e Olympique de Marseille e defrontou os selecionados de Israel e da Turquia. Resultado da viagem: seis vitórias, oito derrotas e três empates.Os pernambucanos encararam um grande jejum de títulos, o maior de sua história, entre os anos 60 e 70. Após as conquistas de 61 e 62, o clube ficou 13 anos sem ganhar nada e só voltou a vencer o estadual em 1975, erguendo seu 20º caneco.
Em 1978 o clube não participou do campeonato pernambucano, devido a divergências entre a diretoria do Rubro-Negro e a cúpula da Federação Pernambucana de Futebol. A equipe voltou à competição no ano seguinte e continuou a dominar do futebol no Estado.
A década de 80 marcou mais um tricampeonato e o principal título da história do Sport. As três conquistas consecutivas aconteceram em 1980, 81 e 82 e o maior êxito foi alcançado em 1987, após a vitória no Campeonato Brasileiro.
Apesar da confirmação do título, a conquista
foi conturbada e muito discutida. A competição era dividida em dois módulos - Verde e Amarelo - e os campeões das duas chaves faziam a final. A divisão dos times nos módulos causou divergências antes mesmo do certame começar, mas as entidades acabaram cedendo e o campeonato teve início.
O Sport bateu o Guarani na final do Módulo Amarelo. Os finalistas da elite, Inter e Flamengo, não quiseram disputar a decisão geral contra os dois times e acabaram sendo eliminados por W.O. Desta forma, os pernambucanos enfrentaram novamente os paulistas, mas desta vez valendo o título definitivo. A primeira partida, realizada em Campinas, acabou empatada por 1 a 1. No segundo e decisivo jogo, vitória por 1 a 0 do Leão e título para os nordestinos.
Com a conquista do Brasileirão, o clube obteve o direito de participar da Copa Libertadores da América, o mais importante torneio do continente. A participação não foi das melhores e o time acabou eliminado ainda na primeira fase.
No ano seguinte, em 1989, o Sport chegou a final da Copa do Brasil e perdeu a chance de participar de outra Copa Libertadores. Durante o certame, os pernambucanos eliminaram equipes como Goiás e Vitória e enfrentaram o Grêmio na grande final. Empate por 0 a 0 no primeiro jogo e vitória gremista na segunda partida por 2 a 1.
Mesmo com a conquista do Campeonato Brasileiro em 1987, o Sport não obteve o direito de subir de divisão, conseguindo ascender apenas três anos mais tarde, após derrotar o Atlético-PR na decisão.

A década de 90 entrou para história do time pernambucano devido à conquista do pentacampeonato estadual, o único em toda a existência do clube. A seqüência teve inicio em 1996 e terminou em 2000, com destaque para a campanha invicta de 1998. Além das conquistas estaduais, o Leão da Ilha alçou novos vôos e também venceu a Taça Norte-Nordeste em duas ocasiões, em 1991 e 1998.
O século 21 levou o time do Sport do céu ao inferno e aos céus novamente. Apesar do feito inédito do pentacampeonato e de boas campanhas no Brasileirão, o time acabou rebaixado em 2001, após terminar sua participação na última colocação.
O time pernambucano conseguiu retornar à elite apenas em 2006, depois de se sagrar vice-campeão da Série B. Além do acesso, a equipe também conquistou o título estadual por quatro três vezes - em 2003 e mais um tricampeonato em 2006, 2007 e 2008 - totalizando 37 títulos Pernambucanos, contra 24 do Santa Cruz e 21 do Náutico, seus maiores rivais.

O Sport venceu em 2008 a Copa do Brasil.


Títulos

Campeão Brasileiro (1): 1987.
Campeão da Copa do Brasil (1): 2008.
Campeão Brasileiro da 2ª Divisão (1): 1990.
Taça Norte-Nordeste (2): 1991 e 1998.
Campeonato Pernambucano (39): 1916, 1917, 1920, 1923, 1924, 1925, 1928, 1938, 1941, 1942, 1943, 1948, 1949, 1953, 1955, 1956, 1958, 1961, 1962, 1975, 1977, 1980, 1981, 1982, 1988, 1991, 1992, 1994, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2003, 2006, 2007, 2008 e 2009.

Estádio
Estádio da Ilha do Retiro

Nome oficial: Estádio Adelmar Costa Carvalho
Capacidade: 55 mil pessoas
Dimensões: 105m x 78m
Inauguração: 4 de Julho de 1937, Sport 6x5 Santa Cruz
Público Recorde: 56.875 pessoas (Sport 2 x 0 Porto-PE, 07/06/1998 - Campeonato Pernambucano)

Conhecido como Estádio da Ilha do Retiro é o templo do futebol do Sport Club do Recife. Fundado em 4 de Julho de 1937, foi uma das sedes da Copa do Mundo de 1950.

Hino

Com o Sport
Eternamente estarei
Pois rubro-negras são
As cores que abracei
E o abraço, de tão forte,
Não tem separação
Pra mim, o meu Sport
É religião
A vida a gente vive
Pra vencer
Sport, Sport
Uma razão para viver
Treze de Maio,
Mil novecentos e cinco
Dia divino em que Guilherme de Aquino
Reune, no Recife, ardentes seguidores
Fundando esta nação de vencedores
Que encanta, enobrece e dá prazer
Sport, Sport
Uma razão para viver
Eterno símbolo de orgulho
É o pavilhão
De listras pretas e vermelhas,
Com o Leão
Erguendo, imponente, o imortal escudo
Mostrando à gente que o Sport é tudo
Que a vida tem de belo a oferecer
Sport, Sport
Uma razão para viver
São gerações e corações
Fazendo a história
São campeões e emoções
Tercendo a glória
Do bravo Leão da Ilha, Sport obsessão
Que faz bater mais forte o coração
Torcida mais fiel não pode haver
Sport, Sport
Uma razão para viver
Sport! Sport! Sport!

Mascote

A mascote do Sport Club do Recife é um Leão batizado como Leo - tradução em latim para o nome do animal. O símbolo foi criado há mais de 25 anos e desde então marca presença nos jogos do time animando a torcida, além de ser peça fundamental em diversas promoções da agremiação, principalmente voltadas ao público infantil.

Site