segunda-feira, 31 de maio de 2010

Associação Atlética da Universidade Nilton Lins

A Associação Atlética da Universidade Nilton Lins, como o próprio nome sugere, é o clube de futebol da Universidade Nilton Lins, de Manaus, capital do estado do Amazonas. O clube foi criado para a participar do Campeonato Amazonense da Segunda Divisão, disputado em 2007. Suas cores são o branco e o vermelho.
A Associação Atlética da Universidade Nilton Lins, como o próprio nome sugere, é o clube de futebol da Universidade Nilton Lins, de Manaus, capital do estado do Amazonas. O clube foi criado para a participar do Campeonato Amazonense da Segunda Divisão, disputado em 2007. Suas cores são o branco e o vermelho.
Vice-laterna em todos campeonatos da segunda divisão que já disputou.

Estádio

O Estádio Roberto Simonsen, conhecido como SESI, é um estádio de futebol localizado na cidade de Manaus, no estado do Amazonas. Pertence ao SESI e com a demolição do Estádio Vivaldo Lima para a construção da Arena Manaus, estádio para a Copa do Mundo de 2014, será utilizado pelos times de futebol de Manaus no Campeonato Amazonense de Futebol de 2010 e nos seguintes até a conclusão do novo estádio.

domingo, 30 de maio de 2010

Brasilis Futebol Clube

O Brasilis Futebol Clube é um clube brasileiro de futebol da cidade de Águas de Lindóia, no estado de São Paulo. Atualmente disputa a Série B (Quarta divisão) do Campeonato Paulista. Foi fundado em 1 de Janeiro de 2007.

O clube tem como seu fundador e proprietário o ex-zagueiro Oscar Bernardi, que teve grandes passagens por Ponte Preta, São Paulo e Seleção Brasileira, sendo inclusive o capitão da Seleção na Copa de 1982 na Espanha. Tem como seu uniforme número um, camisa verde com detalhes laranja, calção e meias verdes e uniforme número dois camisa laranja com detalhes em verde, calção e meias laranja.
Em 2008, o Brasilis, clube comandado pelo ex-zagueiro Oscar, da Ponte Preta, São Paulo e seleção brasileira, deixou a torcida da cidade de Águas de Lindóia animada com a possibilidade de acesso. Mas na fase decisiva, a equipe pisou na bola e permaneceu na Quarta Divisão, No ano passado, o clube pediu licença e não disputou a competição. Mas, em 2010, novamente sob a direção do técnico Joarez Sobreiro, o time aposta no trabalho feito nas categorias de base para brilhar.
O clube possui umas das melhores estruturas do Brasil, com um centro técnico que é utilizado por grandes equipes em sua pré-temporada, como Corinthians, Palmeiras e muitas equipes do exterior. Manda seus jogos no Estádio Municipal de Águas de Lindóia, o Leonardo Barbieri, com capacidade para 7.329 pessoas.

Alcunhas Laranjada


Mascote Arara


Estádio
 
Leonardo Barbieri
Capacidade 7.329 pessoas

Site
http://www.brasilisfc.com/

sábado, 29 de maio de 2010

Olinda Futebol Clube

O Olinda Futebol Clube, fundado em 15/11/2007, tem como cores o azul claro e o laranja, tem seu estatuto definido, diretores constituídos e é presidido pelo prefeito da cidade, Renildo Calheiros, eleito em assembleia no conselho deliberativo do clube. Segundo Calheiros, o Olinda já tem vários sócios “com carnê (de mensalidade) e tudo”, e deverá ser criada em outubro uma campanha de sócios.

O novo estádio de Olinda (ainda sem nome) já passou pelo processo de terraplenagem e começará a ser erguido dentro de 15 dias, no bairro de Rio Doce. O estádio será municipal, e os recursos da construção são do Ministério dos Esportes; o ministro Orlando Silva, aliás, irá visitar as obras em 18 de outubro. A construção será finalizada no primeiro semestre de 2010. Enquanto a obra não termina, o Olinda deverá ter como mando de campo o Olindão, estádio que passou por um processo de reforma e estará sendo finalizado em breve.
A principal competição que o Olinda tem em vista é a Série A2 do Campeonato Pernambucano em 2010, que começará no fim do primeiro semestre. Mas o time entrará em atividade em breve, comandado por Nereu, para a disputa do Campeonato Municipal de Olinda, e fará vários jogos amistosos, segundo o presidente-prefeito. “Vamos montar o time com jogadores jovens e colocar para jogar, para desenvolvê-los e dar conjunto ao time, para depois fazermos nossa seleção com os jogadores mais talentosos. O time não vai ficar parado. Já conversamos sobre ele com vários clubes, para fazer jogos.”
O clube pretende, em breve, lançar as camisas, lançar o site (onde a mascote será escolhida, em votação). ”Queremos virar outubro com tudo funcionando”, disse Calheiros. Quanto às cores do time, azul e laranja, ele comentou que se clareou o azul e se escureceu o amarelo da bandeira da cidade. “Surgiu um grande time valorizando o azul!”.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Clube Atlético Patrocinense

Fundado em 19 de março de 1954 . O Patrocinense está sediado na cidade de Patrocínio, interior de Minas Gerais, na região do Triângulo Mineiro. Atualmente o time não disputa nenhuma das três divisões do estadual. Seus maiores feitos no estado são: o título em 2000 da terceira divisão e dois vices-campeonatos, um do Módulo II em 1990 e outro da terceira em 2004.
Diretores do hoje extinto CAP se sentiram traídos. Eles entendem que, se a prefeitura tivesse realmente uma predisposição de investir no futebol profissional, o governo 23 poderia ter negociado e pago a dívida do Clube Atlético Patrocinense com a FMF para que, assim, a Águia Grená pudesse voltar forte aos gramados, ‘O CAP tem uma tradição de 56 anos, tem identidade com o torcedor patrocinense. Não entendemos porque o prefeito abriu mão tão facilmente de tudo isso para montar um outro time.” – disse um componente da velha guarda do CAP.

Estádio

Pedro Alves do Nascimento, com capacidade para 8.500 pessoas.

Títulos


Vice-Campeonato Mineiro da Segunda Divisão: 1990.
Campeonato Mineiro da Terceira Divisão: 2000.
Vice-Campeonato Mineiro da Terceira Divisão: 2004.
Copa Regional Amapar : 2009.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Grêmio Esportivo Acreano

O Grêmio Esportivo Acreano é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Sena Madureira, no estado do Acre. Seu uniforme é camisa branca com detalhes vermelhos, calção vermelho e meias vermelhas. Fundado em 20 de junho de 1965 .

Estádio

Estádio Didier Tramborz, ou Tramborzão, é um estádio de futebol brasileiro do município de Sena Madureira, no estado do Acre, que atende à Associação de Futebol Sena Madureira.
Capacidade 1.000

Mascote Tigre

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Clube de Regatas do Guará

O Clube de Regatas do Guará é um clube da região administrativa do Guará, no Distrito Federal. Foi fundado no dia 9 de janeiro de 1957, sendo assim o clube mais velho do Distrito Federal.

O C.R.Guará foi fundado por um grupo de servidores do extinto Departamento de Topografia Urbana, órgão responsável pelas medições da futura capital federal. Entre eles Oswaldo Cruz Vieira, o Oswaldão, primeiro presidente do clube. Oswaldão, corintiano roxo, escolheu as cores preta e branca para o clube recém criado, além de adotar um distintivo semelhante ao do clube paulista.
O Guará participou do primeiro campeonato brasiliense, disputado em 1959 por 8 equipes: Defelê, Rabello, Pederneira, Alvorada, Nacional, Grêmio Brasiliense, Planalto e o próprio Guará, sendo que o Grêmio Brasiliense foi o campeão. Em 1960 o Guará foi vice perdendo o título para o papão da época: o Defelê.
Depois de altos e baixos o Guará ficou durante algum tempo sem atividades esportivas. Nos meados da década de 70 o Humaitá e o Corinthians, clubes amadores da então recente cidade-satélite do Guará se uniram e resolveram continuar o legado do saudoso Oswaldão, instalando no Guará o clube.
Em 1976 voltou a ser vice, perdendo o título para o Brasília Esporte Clube.
Em 1978 o Guará também ganhou um estádio para jogar, o Cave (atualmente cabendo 7 mil pessoas), facilitando as coisas para o torcedor e também criando mais indentificação com o lugar que representa.
No ano de 1979 o lobo participou pela primeira vez em sua históra do campeonato brasileiro, caindo no mesmo grupo de times do Distrito Federal, que foram na época o Gama e o Brasília. O time ficou na última colocação do grupo e do torneio com apenas 2 pontos.
Em 1980 e 1982 disputou a Taça de Prata (equivalente a segunda divisão nacional) e ficou na última posição do grupo. Em 1983 por pouco não classificou para a próxima fase.
A sina de vice do candangão continuou nos anos 80, quando foi vice por 3 anos seguidos (1981, 1982 e 1983), quando perdeu a final para o Taguatinga e pro Brasília duas vezes, respectivamente.
Mas nos anos 80 o lobo da colina teve também uma grande conquista: o torneio Centro-Oeste, quando acabou vencendo o bom time do Brasília por 4 x 2 nos pênaltis e conquistando o seu primeiro título.
No início da década de 90 a cor amarela juntou-se às cores preta e branca e completou o pavilhão atual do clube.
O Guará foi tricampeão de juniores de 90/91/92.
Em 1991 o time voltou a ser vice no candangão para o Taguatinga, mas no ano de 1996 o sonho do Guará ser campeão virou realidade: o o Guará comandado por Déo de Carvalho foi campeão derrotando duas vezes a equipe do Gama. No primeiro jogo, no campo do adversário, o Lobo venceu por 1 a 0. No jogo da volta um público de pelo menos 5000 torcedores presentes viu o Guará derrotar seu rival por 3 a 1 no CAVE e conquistar o título inédito.
Em 1997 o Guará disputou a Copa do Brasil, mas acabou levando 7 x 0 do Internacional em casa. O Inter após ver a boa atuação do jovem zagueiro Lúcio naquela partida contratou o jogador e o levou para Porto Alegre, e lá começando a ser reconhecido nacionalmente, e depois internacionalmente. Hoje é um dos maiores zagueiros do futebol mundial.

Em 1997 o lobo acabou fazendo uma campanha fraca no candangão, mas em 1998 o clube confirmou a sua má sorte, sendo vice novamente após perder para o campeonato para o Gama.

No ano de 1999 o Guará disputou novamente a Copa do Brasil, mas acabou novamente sendo humilhado por um time gaúcho, dessa vez foi o Juventude que enfiou 5 x 1 no Mané Garrincha e garantiu a vaga sem precisar de jogo de volta. Lembrando que o Juventude acabou sendo o campeão desse torneio.
Após lutar para não cair em alguns campeonatos dos anos 2000, o Guará acabou sendo rebaixado pela primeira no ano de 2006, quando ficou na lanterna do grupo B.

Em 2007 por pouco não foi rebaixado a terceira divisão do Distrito Federal.
Em 2008 não deu outra, o time auri-negro foi rebaixado para a terceira divisão, marcando o seu declínio no futebol, principalmente pela falta de competência dos dirigentes que levaram o campeão brasiliense de 1996 ao buraco.
Em 2009 para completar o time acabou desistindo de disputar a terceira divisão local, principalmente pela falta de dinheiro. Ficaremos na torcida para que o lobo do guará de tantas tradições no futebol brasiliense volte a ativa o mais rápido possível.
 
Títulos
 
Campeão Estadual 1996


Estádio
 
Antônio Otoni Filho
Local: Guará/DF
Inauguração: 16 de abril de 1978
Jogo de inauguração: Corinthians-DF 0 x 2 Vitória
Recorde de público: 7.138 sendo: 6.929 pagantes - Botafogo-DF 1 x 2 Ceilandense

Hino


Autor: José Wilson Costa Dias

Eu sou da turma do Guará
De união e força para lutar
Meu maior orgulho é viver
Sempre amando meu clube pra valer
Sua história é curta pra contar
Mas suas glórias encantam os mil
Meu amor eterno e plenamente
Em qualquer parte do Brasil
Guará campeão candango
Suas cores me fazer crer
Eu quero lhe ver jogando meu lobo querido
Sempre amarei você (x2)
Mascote

Lobo Guará
O símbolo do clube é o Lobo-Guará, animal que era abundante em Brasília na época de sua fundação e que batizou o mais antigo clube de futebol do Distrito Federal.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Itabaiana Coritiba Foot Ball Clube

O Coritiba Foot Ball Clube é um clube de futsal e futebol brasileiro de Itabaiana, no estado de Sergipe, sendo homônimo do time sediado em Curitiba. Foi fundado dia 14 de setembro de 1972 pelo desportista e político sergipano Wilson Gia da Cunha, o "Gia". Suas cores, nome, escudo e uniforme são uma homenagem ao Coritiba, sediado em Curitiba, no Paraná. Manda seus jogos de futebol no Estádio Presidente Médici, mas possui sede própria na Rua Coronel Sebrão (Itabaiana), muito frequentada por esportistas, especialmente nos fins-de-semana.
Representa o segundo time da cidade de Itabaiana, que também abriga a Associação Olímpica de Itabaiana, considerada o maior clube de futebol do interior do estado.
O nome Itabaiana Coritiba foi dado posteriormente.
O time disputava competições de futsal, tendo sido hexacampeão estadual e por duas vezes participou da Taça Brasil. O sucesso no futsal levou a direção do Coritiba a tentar o futebol profissional. A partir da metade da década de 90, o clube passou a a disputar os torneios das categorias de base e as divisões inferiores de FSF. Em 1999, conquistou a vaga na primeira divisão estadual onde está até hoje. Em 2000, disputou a Copa do Nordeste. As seis estrelas no escudo são referentes aos seis títulos do futsal.

Iniciou-se no futsal, onde conquistou seus maiores títulos, tais como o Campeonato do Nordeste de Futsal em 1992 e o heptacampeonato sergipano de futsal (1993 a 1999), participando ainda de três campeonatos brasileiros de futsal.


No futebol, conquistou a segunda divisão do campeonato sergipano em 1999 e participou da Copa do Nordeste de Futebol de 2000. Fez boas campanhas na primeira divisão do Campeonato Sergipano até 2003, ano em que foi rebaixado e não mais retornou à divisão principal do estado de Sergipe. O time de futsal está de volta depois de 10 anos longe das quadras sergipanas.
 
Títulos


Campeonato Sergipano - Série A2: 1999.
 
Estádio
 
Presidente Médici
Capacidade 12.123 pessoas

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Associação Desportiva Comunitária Astro

Fundada em 15 de agosto de 1978, no bairro dos Eucaliptos, parte sul da cidade de Feira de Santana, o Astro surgiu inspirado na novela "O Astro" exibida pela Rede Globo. O desportista Ermínio dos Reis Porto, conhecido no bairro por promover eventos esportivos, reuniu um grupo de amigos, dentre eles o professor Antônio Lopes Ribeiro, Antônio Jesus Coelho, Danilo Orgi, João Batista, José Rodrigues ( Zelão ) e Elias Lopes Ribeiro, fundando a agremiação que, a partir daquela data, passou a representar a comunidade, substituindo ao Real Feirense.

Em 1982, levando em conta a trajetória vitoriosa do clube, o advogado e radialista Dilson Barbosa então presidente da Liga Feirense de Desportos (LFD), convidou o ASTRO para participar do I Campeonato de Convidados, que correspondia à Segunda Divisão do futebol feirense. O tricolor foi além das expectativas, sagrando-se campeão nos dois anos que a LFD promoveu o evento. O ASTRO filiou-se à LFD no ano seguinte.
Sempre acreditei que chegaríamos onde estamos hoje. Ficamos sempre entre os quatro melhores classificados no certame profissional da Segunda Divisão, promovido pela FBF, à qual nos filiamos em 22 de maio de 1996" observa Ermínio Porto, lembrando que o tricolor dos Eucaliptos foi o campeão moral da Taça Estado da Bahia, realizada no ano de 1995 pela Federação Bahiana, devido à excelente campanha realizada, mesmo não chegando a ser finalista.
O ASTRO foi campeão de Feira de Santana nos anos de 1985, 1986, 1992 e 1995 e, também, campeão feirense de 1993 e 1998
A Associação Desportiva Comunitária Astro é o que podemos chamar de clubes persistente, disputa a 2ª Divisão desde sua filiação em 1996, só se ausentando em 2008, e nunca conseguiu o sonhado acesso para a 1ª Divisão. O clube esteve perto do acesso somente uma vez, em 2003, quando fez a melhor campanha na primeira fase, mas após empatar em Camaçari contra o Camaçariense em 2 a 2 sucumbiu em casa numa terça-feira a tarde por 2 a 0 no jogo de volta. Necessitava apenas de um empate para subir. Um ano antes protagonizou uma campanha sofrível, em 10 partidas perdeu as dez, não marcou um ponto sequer. O time entrará este ano longe de ser favorito, mas com a vontade de surpreender.




O Astro é uma ONG que atua na FAMFS (Fazenda de Apoio ao Menor de Feira de Santana) onde menores abandonados são bem cuidados e trabalham.

Estádio

Jóia da Princesa
Capacidade 16.274 pessoas

Mascote
Estrela

domingo, 23 de maio de 2010

Centro Sportivo Canavieiro

Na mão do homem o pau quebra a pedra, a água vence o fogo, até o sertão vira mar. Na mão de Zé Cláudio o Canavieiro assombra os irmãos do sertão e amedronta os rivais da capital, prova de que o açúcar pode ser amargo para os que chegam ao pote com muita sede. O Canavieiro é um clube cheio de singularidades, a partir da figura de Zé Cláudio, misto de Dom Quixote e Sancho Pança, mas sempre de pés plantados no chão somente onde brota a cana que faz a riqueza de Capela e garante a sobrevivência do Canavieiro.


Capela é uma cidade com tradição no futebol. Qualquer torcedor do CSA ou CRB lembra os anos de 1959 e 1962 quando o Capelense não fez por menos: foi campeão estadual. Muitos não conseguiram esconder um certo alívio quando o clube encerrou suas atividades em 1968. Alegria que durou pouco.

Em 1972, Capela ressurgia para o futebol, com o Canavieiro. Naquele mesmo ano foi vice-campeão do Campeonato Matuto, feito que se repetiria em 1973. Finalmente, em 1974, o Canavieiro achou chegada a hora de começar a incomodar os grandes e conseguiu a vaga na divisão principal. Foi o quinto. Nos dois últimos anos foi o quarto, firmando de vez a condição de melhor time do interior.

Enquanto CSA e CRB se apagavam no campeonato brasileiro de 1976, o Canavieiro fazia das suas no Torneio incentivo. Foi campeão com 16 vitórias e dois empates. Tal feito merece uma explicação sucinta de José Cláudio da Silva, presidente, técnico, preparador físico, médico, massagista e disciplinador do Canavieiro.

- Nesse time só joga cabra macho, homem com H maiúsculo.

No Torneio Divaldo Suruagy, cujo titulo o Canavieiro perdeu para o CSA, ao ser derrotado por 1x0, gol de pênalti, nos final do segundo tempo, houve um jogo com o Ferroviário que entrou para a historia. No final do primeiro tempo, o Canavieiro perdia por 2x0. Então Zé Cláudio entrou com sua psicologia sertaneja.

- Deu para ver que tenho 11 afeminados em campo. Agora vocês têm 45 minutos para provar que são machos. Vão lá e virem o jogo. Eu quero ganhar e vocês vão ganhar.

No final, o Canavieiro, com menos dois – Cigano e Pistola foram expulsos – virou e venceu por 3x2. Mágoas esquecidas. Zé Cláudio saiu do campo nos braços dos jogadores.

Para que possa exigir de seus homens-machos, Zé Cláudio providencia para eles cuidados especiais. Assim, todas as manhãs, os jogadores tomam uma dose do Biotônico Fontoura, que revigora e rejuvenesce. À noite não pode falta uma colher de Emulsão de Scott. As duas drogas são necessárias para que os jogadores não sintam as caminhadas diárias de 6km pelos canaviais e morros próximos a Capela.

Tantos cuidados explicariam o sucesso do time ? Para Zé Cláudio o que movimenta toda a engrenagem é a disciplina sertaneja. Disciplina rígida, de pai para filho, de marido para mulher. Zé Cláudio é quem diz.

- Indisciplina, pode ser até o Pelé, roda em 24 horas. Comigo é na lei do cão. No futebol brasileiro todo jogador é marginal até ser contratado pelo Canavieiro. Aqui, ele se torna um bom caráter ou vai ser marginal na casa da peste. No clube ele não fica. O lateral Café chegou aqui e se meteu a conquistador de mulher casada. Não tive dúvidas, mandei Café para o xadrez. Não é força de expressão. Mandei mesmo para o xadrez. Cana dura, garantida pelo carcereiro Bernardino, ex-ponta direita do Capelense.

Aconteceu em Capela mesmo. O goleiro Cícero engoliu um frango e um torcedor começou a xingar a mãe do goleiro. Zé Cláudio ouviu e não gostou. Na segunda vez não teve dúvidas. Pulou o alambrado e expulsou o torcedor de campo depois de lhe dar uns tabefes.

sábado, 22 de maio de 2010

Vitória do Mar Futebol Clube

O Vitória do Mar Futebol Clube foi fundado no dia 07 sde setembro de 1949, por empregados do porto de São Luís. A finalidade era reunir funcionários e familiares em volta de uma agremiação para a prática de esportes. As cores escolhidas foram o verde e amarelo.

Em 1952 o clube solicita inscrição para o campeonato maranhense, e a sua estréia não poderia ter sido melhor. Conquistou o título de forma invicta, causando surpresa entre os meios esportivos do estado. A campanha para o título foi a seguinte:
Vitória do Mar x Gonçalves Dias 5-0 3-0
Vitória do Mar x Sampaio Corrêa 3-1 1-1
Vitória do Mar x Moto Clube 2-2 1-1
Vitória do Mar x Maranhão 0-0 2-1

O clube disputou o campeonato maranhense de 1952 a 1962, 1965 a 1967 e de 1969 a 1994, quando já não apresentava condições de disputar competições profissionais.
Atualmente mantém apenas atividades sociais e esportes para lazer de seus associados. Transferiu sua sede social para a cidade de Paço de Lumiar, que faz parte da grande São Luís.

Estádio
 
Governador Castelo Branco (Castelão)
Capacidade: 75000 pessoas

Títulos

1 Campeonato Maranhense 1952

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Associação Campineira de Esportes

1944 - O clube participa do primeiro Campeonato Goiano, ficando na última posição, sem sequer marcar um ponto.

1946 - Muda de nome para Associação Bancária de Goiás, a ABG.
1948 - O clube paralisa suas atividades
1955 - O clube retorna com o nome Associação Mariana de Esportes.
1958 - Muda novamente de nome para Associação Campineira de Esportes.
1964 - Volta ao antigo nome de Campinas Esporte Clube
1972 - Mesmo com a quarta colocação no campeonato, o clube despede-se do Futebol.

Estádio
 
Antônio Accioly
Capacidade: 8.000 espectadores

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Comercial Futebol Clube

Em 1911, um grupo de comerciantes se reuniu com a finalidade de formar um time de futebol em Ribeirão Preto. Foi na casa Valeriano, uma loja de armarinhos, localizada onde hoje está instalada a fonte luminosa, que no dia 11 de outubro, pouco depois das 21 horas nascia o Commercial Football Club, embora, curiosamente, a data oficial de fundação do clube seja no dia anterior, 10 de outubro de 1911.

Seus fundadores foram os comerciantes: Antonio Maniero, Guilherme Nunes, Francisco Arantes, Adauto de Almeida, Timóteo Grota, Alvino Grota, Argemiro de Oliveira, Djalma Machado e Antídio de Almeida, que foi eleito o primeiro presidente do clube.
Com o investimento que os comerciantes de Ribeirão Preto fizeram no Commercial Football Club, a equipe logo começou ganhar destaque e ascensão no futebol da região.
A primeira grande contratação de um atleta, que não residia em Ribeirão, feita pela diretoria do Commercial, concretizou-se no dia 14 de julho de 1917, quando o clube recebeu o ponta-direita e atacante Belmácio Pousa Godinho (1892-Piracicaba - 1980-Ribeirão Preto), que vinha do XV de Piracicaba (clube ao qual a família de Belmácio participou da fundação em 1913).
Belmácio não era um craque, mas jogava muito bem. Além do mais, as contribuições que Belmácio traria ao alvinegro, não seriam só proveitosas dentro dos gramados, pois ele passaria a lutar pelo Commercial mesmo após abandonar o futebol.

Primeira conquista importante

Em 1919, o Commercial foi o primeiro time de futebol de Ribeirão Preto a disputar um campeonato importante. O torneio disputado pelo alvinegro de Ribeirão foi o CAMPEONATO PAULISTA - DIVISÃO DO INTERIOR da APEA (Associação Paulista de Esportes Athléticos).
No torneio, o Commercial demonstrou muita força, mas na final acabou sendo derrotado pelo EC Taubaté, ficando com o vice-campeonato.
No início dos anos vinte, mais precisamente em abril de 1920, o Commercial é convidado a uma excursão pelo Norte e Nordeste brasileiro, onde realizaria amistosos com os times e seleções estaduais daquela região do país.
A delegação comercialina partiu rumo ao norte e nordeste brasileiro de trem, saindo da Estação de Trem da Mogiana, em Ribeirão Preto, no dia 27 de abril de 1920.
A delegação do Commercial que participou da excursão era formada pelos atletas: Alvino Grota, Antonio Dantes, Lourenço Parera, Timóteo Grota, José Franco, João Palma Guião, Belmácio Pousa Godinho, João Fernandes, Benedito Rodrigues Santos (conhecido como "Zé Macaco"), Joaquim Marques Carvalho (conhecido como "Quinin"), Sebastião Rodrigues Moraes (conhecido como "Zico"), Augusto Achê, Alberto Lorenzon, Orestes Moura Pinto, José Guimarães, mais dirigentes.
O único empate aconteceu apenas no primeiro jogo, contra a Seleção do Estado do Pernambuco, 1 a 1. Depois desse jogo, cada adversário foi sendo batido sem muitos problemas, como o Sport do Recife (2º jogo) e o Náutico (3º jogo).
A vitória mais festejada, porém, foi sobre o Santa Cruz, no 4º jogo da excursão do Commercial. Na ocasião, a equipe pernambucana contava com a ajuda do árbitro, que foi a campo com um revólver, afim de favorecer na marra o time local. Mas não adiantou o revólver, porque o time pernambucano viu o Commercial abrir o placar com um gol incontestável de fora da área. O 1 a 0 a favor dos paulistas irritou a torcida local, mas o placar assim seguiu, até que no minuto final da partida, o juiz deu um pênalti inexistente contra o alvinegro... Mas para desgosto da torcida, e do árbitro, o goleiro comercialino defendeu a cobrança e selou a vitória comercialina.
O apelido de "LEÃO DO NORTE" nasceu no 5º jogo, quando a equipe ribeirãopretana conseguiu sua 4ª vitória, derrotando o Amércia Futebol Clube por 4 a 1. O apelido pertencia na época ao próprio América, que na ocasião era chamado de Leão do Norte por conquistar o título de campeão da Copa Norte por três vezes consecutivas.
Na volta a Ribeirão Preto, a delegação comercialina, agora chamada de "LEÃO DO NORTE", foi saudada com uma imensa festa na cidade, que teve direito a banda marcial, carro alegórico, arcos triunfais.
Da excursão o Commercial trouxe troféus, flâmulas, medalhas, além de ser destaque em importantes jornais das cidades de Ribeirão Preto, São Paulo e Rio de Janeiro.

Primeiro estádio

O primeiro estádio do Commercial estava localizado na Rua Tibiriçá, onde hoje fica a sede centro da Sociedade Recreativa, e tinha o nome de Estádio da Rua Tibiriçá.
Foi um dos primeiros campos com grama do estado de São Paulo, pois os freqüentadores eram ricos e reclamavam da poeira levantada durante os jogos no campo de terra batida. O Commercial o utilizou até 1936.

Ascensão de vez

Após a épica excursão pelo norte e nordeste, o Leão começou a ficar conhecido nacionalmente passando a disputar torneios amistosos, onde enfrentava grandes clubes do futebol brasileiro.
Em 1921, durante um torneio amistoso chamado "Taça Círculo Italiano", o Commercial, que entrou como convidado, derrotou a já poderosa equipe do Palestra Itália de São Paulo, atual Palmeiras, por 5 a 2.

Primeiro jogo internacional

O primeiro jogo internacional do Commercial terminou empatado em 1 a 1, e foi contra a Seleção da Argentina. O jogo aconteceu em 1923, num amistoso realizado no então estádio do clube, na Rua Tibiriça, em Ribeirão Preto.

Torneio Início, um passo da Primeira Divisão

Em 1927 o Commercial faria sua estréia na Primeira Divisão do futebol paulista, tornando-se o primeiro time da região de Ribeirão Preto a jogar a elite do futebol paulista. O clube jogaria o CAMPEONATO PAULISTA - DIVISÃO PRINCIPAL - APEA.
Antes, porém, de começar o Campeonato Paulista - Divisão Principal, a APEA, coordenadora do torneio, sempre realizava entre os clubes que iriam disputar o certame um curto campeonato, conhecido como TORNEIO INÍCIO. Como disputava a Divisão Principal, o Commercial pode jogar também o Torneio Início de 1927, mas acabou perdendo na estréia, de 5 a 2, para o Palestra Itália, e acabou eliminado.

A estréia na Primeira Divisão

O primeiro jogo do Commercial na elite do futebol paulista aconteceu no dia 03 de maio de 1927, e seu adversário era o poderoso Palestra Itália, atual Palmeiras, que terminaria campeão daquele ano. O jogo, que foi em São Paulo, acabou 6 a 2 para o Palestra.
A primeira vitória na primeira divisão aconteceu no dia 21 de agosto de 1927, em jogo realizado em Ribeirão Preto. Na partida, o Commercial venceu por 2 a 1 o AA São Paulo de Alpargatas, tradicional time da capital paulista.

De novo na elite

Mesmo com a má campanha feita pelo Commercial na Divisão Principal de 1927, onde só somou 6 pontos, em 1928, o Leão disputou novamente o Torneio Início e a 1ª Divisão.
No Torneio Início o Leão empatou em 2 a 2 com o Guarani FC, mas no critério de desempate, que era, na época, escanteios, o Commercial acabou eliminado, derrotado com 2 escanteios a 0 para o Bugre de Campinas.
Já no Campeonato Paulista o time terminou em último lugar, depois de abandonar o torneio, mesmo conseguindo bons resultados.

Primeiro jogo no exterior

Ainda em 1928, o Commercial fez seu primeiro jogo fora do país, quando enfrentou, em Montevidéu, o time do Peñarol Universitário, atual Peñarol, e venceu por 2 a 0 com gols de Vespu e Chapa.

Renasce o Leão do Norte

Em 07 de outubro de 1954, um grupo de comercialinos inconformados com o abandono dos gramados, resolveram ressurgir com o Leão do Norte.
Após desfilia-lo da Recreativa, o time passou por uma nova fusão, desta vez com o Paineiras Futebol Clube, fazendo com que ressurgisse o alvinegro.
Com reativação do clube em 1954, o nome da equipe foi atualizado, passando de Commercial Football Club, para COMERCIAL FUTEBOL CLUBE. Apesar da mudança da grafia de seu nome, a equipe do Comercial é a mesma que brilhou nos gramados paulistas de 1911 a 1936, ficando temporariamente afastado do futebol entre 1936 a 1954, e retornando, mais vivo do que nunca em 1954.
O escudo do Comercial, desde então, passou a ser igual ao da Recreativa, mudando apenas dois detalhes: a inscrição na faixa, que no símbolo da Recreativa é "Rib. Preto", e no do Comercial passou a ser "Ribeirão Preto"; e o acréscimo do acrónimo "CFC" (que foi o escudo do Commercial desde a metade da década 10), no lugar da palavra "Recra" (apelido da Recreativa), no espaço acima da faixa.

Campeão da Segunda Divisão

Após ser vice em 1954, ver o rival Botafogo ser vice de 1955 e campeão em 1956, e ainda não conseguir chegar a final de 1957, o Leão pode finalmente, em 1958, soltar o grito de campeão, e comemorar o título da segunda divisão, além do acesso para primeira divisão.
O Comercial Futebol Clube, de Ribeirão Preto, era o novo caçula da Divisão Especial. Uma eufórica torcida promoveu um grande carnaval na cidade para comemorar a conquista.

Melhor fase (anos 60)

O início do anos 60 foi uma época em que o Comercial tinha grandes craques, como o próprio Carlos César, e os potentes chutes de esquerda, que lhe valeram o apelido de "esquerdinha de ouro". Havia também o zagueiro Peter, um jogador de físico privilegiado, que se consagrou como o melhor marcador de Pelé, o maior jogador de futebol de todos os tempos, reconhecido pelo próprio Rei do futebol. E foi nessa época que o Comercial viveu um dos melhores momentos de sua história. Com um verdadeiro esquadrão, o bafo era imbatível dentro de sua casa e conseguia grandes resultados fora dela. Em 1962, o clube foi vice-campeão da Taça São Paulo, perdendo apenas a final para o Santos de Pelé.
Em 14 de outubro de 1964, inaugurou seu atual estádio, o Palma Travassos, na derrota de 3 a 2 para o Santos. Paulo Bin, atacante do Comercial marcou o primeiro gol.
Em 1965, venceu a Copa Ribeirão Preto jogando contra Corinthians, Fluminense e Botafogo carioca.

O "fatídico" 1986

Em 1986, para desespero dos comercialinos, o time caiu para a Divisão Intermediária do Campeonato Paulista. Tudo aconteceu depois de uma partida entre América e XV de Jaú, que ficou conhecida como o "jogo da marmelada", onde as duas equipes dependiam de um simples empate para permanecerem no grupo de elite do futebol de São Paulo. Mas não houve futebol em campo, mas uma marmelada para derrubar o Leão. O time ganhou a disputa nos tribunais, porém o presidente do Comercial na época achou melhor não polemizar mais e acatou as ordens da federação paulista e foi para divisão intermediária. O clube já havia passado pela mesma situação em 1967. Num confronto com a Portuguesa de Desportos, no Palma Travassos, aconteceram alguns incidentes. O Leão teve um gol anulado e alguns torcedores invadiram o gramado. A partida foi anulada. No jogo seguinte, o Comercial perdeu por um a zero, mas depois de uma longa briga nos tribunais, ganhou no Conselho Nacional de Desportos (CND) o direito de continuar na Primeira Divisão. A Portuguesa havia entrado em campo com um jogador que não estava inscrito.
Ainda em 1986, no dia 09 de julho, o Comercial conseguiu o feito de ser, até hoje, o último time a ganhar do São Paulo FC, dentro Morumbi, marcando 5 (cinco) gols. O placar do jogo foi São Paulo FC 4 x 5 Comercial.

Conseguiu o acesso, mas não subiu

Com a queda de 1986, o time mergulhou numa profunda crise financeira. Além de alguns equívocos administrativos, jogando numa divisão inferior, as rendas eram pequenas e não davam para manter um elenco capaz de levar o Comercial de volta a Divisão Especial. Foram sete anos de sofrimento para a apaixonada torcida. O Comercial montou um time competitivo em 1993, numa demonstração de que o futuro ainda reservava emoções para o torcedor do Leão. Neste mesmo ano, ficou em segundo lugar na Divisão Intermediária do Campeonato Paulista. Devido a mudanças na estrutura do campeonato, o Comercial disputou a Série A2, onde permanece até os dias de hoje.
Homenagem ao time de 1964

No dia 15 de outubro de 2008 o Comercial fez uma homenagem a todo elenco de 1964, considerado um dos melhores elencos da história do clube.
No Estádio Palma Travassos, o Leão do Norte entrou em campo para enfrentar o Juventus, em partida válida pela 2ª Fase da Copa Paulista de 2008, usando um uniforme novo, cujos detalhes eram inspirados no uniforme utilizado pelo clube em 1964, quando o time viveu uma de suas melhores fases, com grandes jogadores como Paulo Bin, Carlos César, e Piter.
Para completar a festa, dois dos craques daquele time de 1964, Piter e Paulo Bin, foram convidados a entrar em campo com os jogadores do atual elenco comercialino.
A partida terminou empatada em 2 a 2.

A queda e a maior crise

Dia 19 de abril de 2009 foi a data da última partida do Comercial na segunda divisão paulista. O empate em 1 a 1 com a equipe do São José era apenas mais um dos frustrantes resultados que levaram o glorioso Leão do Norte pela primeira vez em toda sua história á terceira divisão do campeonato paulista. A campanha pífia do Bafo, que terminou na 18ª posição do campeonato, somando apenas 16 pontos em 19 jogos (sendo 4 vitórias, 4 empates e 11 derrotas). O então atual presidente em exercicio Eduardo Mauro Baptista não negava a crise que o clube vivia,e não aceitou a ajuda de alguns empresários comercialinos para tentar salvar clube, ajuda essa que por exemplo seria para contratar um determinado tecnico, mas o presidente atual rejeitou a ajuda, culminando assim na queda do Comercial F.C para a série A3 em 2010.
Como se não bastasse o rebaixamento, a rejeição da ajuda, o descaso da cupula comercialina, o Comercial se depara com uma das maiores crises de sua história, onde até a posse de seu estádio, o Palma Travassos, está em jogo.

Na primeira semana após o rebaixamento, alguns diretores encabeçados pelo atual presidente em exercicio Eduardo Mauro Baptista e motivados pelo espirito politico do senhor Luis Joaquim Antunes, fizeram uma espécie de movimento para vender todo o patrimonio do Comercial Futebol Clube. Alegando que esta seria a unica saida para o Comercial renascer, como o clube esta afundado num mar de dividas trabalhistas, muitos de seus diretores resolveram acatar o movimento entitulado " VENDER O LEÃO É A SOLUÇÃO",movimento este que ganhou adptos importantes, como juizes, promotores advogados e afins. Porem quando tudo estava praticamente perdido faltando pouco mais de 3 dias para concretizar-se a venda de todo o patrimonio do comercial. Surgiu uma luz no fim do tunel,o senhor José Fernando de Athayde, um ex presidente respeitadissimo no clube, fez novamente brotar o sangue leonino nas veias daqueles que eram totalmente contra a venda do Estadio Drº Francisco de Palma Travassos, e convocou todos que eram contra a venda à lutar até o ultimo momento para tentar reverter a situação. Houve por parte de varias pessoas uma mobilização para salvar ao menos o estadio e todo este esforço por parte foi válido pois o estadio não fora a leilão.



Títulos
Campeonato Paulista do Interior: 1966.
Campeonato Paulista - Série A2: 1958.
 
Alcunhas: Bafo, Leão do Norte
 
Hino


Salve, Comercial!
Leão do Norte,
tens presença imortal
glória no Brasil,
a enriquecer nossa querida Ribeirão
Gente varonil, que em outra terra foi buscar,
tão destemida
bela conquista
que traduz toda a vida,
fibra de grande campeão.
Teu pavilhão a ver, de alvinegra a cor,
sinto presente em tua glória esse poder.
Porque vibrando
bravamente com amor,
lutando então como
altaneiro vencedor.
Grei Valorosa e forte,
não cai, nem morre não,
que o destino primordial
do Leão do Norte
lutar com alma indomável
sem temer
sempre mais nobre e forte a vencer.

Mascote

O Leão, mascote do Comercial, surgiu em abril de 1920, nove anos após sua fundação, quando o clube fez uma excursão ao Norte e Nordeste do País. Foram oito jogos e uma campanha irreparável, com sete vitórias e um empate. No retorno a Ribeirão Preto, a equipe foi recebida com muita festa e passou a ser chamada carinhosamente de “Leão do Norte”, como o Sport Recife.


Estádio:

Palma Travassos


Capacidade: 27.000 pessoas

Site
http://www.comercial-fc.com.br/

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Esporte Clube Pinheiros

A origem do Pinheiros está no longínquo ano de 1914, quando foi fundado no dia 14 de julho, na região do Borghetto, no bairro da Água Verde, o Savóia Futebol Clube. Os fundadores, descendentes de italianos, resolveram homenagear a família real italiana - Casa de Savóia - com o nome do clube. As cores do clube eram, obviamente, a da bandeira da Itália (verde, vermelho e branco). O primeiro presidente foi Traquino Todeschini, tendo como fundadores Luiz Perolla, Antonio Cavichiolo, Alexandre Gutierrez, Felizberto Passos, os Turin, entre outros. No mesmo ano de 1914 e no mesmo bairro, foi fundado o Esporte Clube Água Verde, no dia 17 de dezembro. O Água Verde adotou como cores o verde e o branco.


Doze anos mais tarde, em 1926, os dois clubes do mesmo bairro uniram-se, sob o nome Savóia - Água Verde. Durante a II Guerra Mundial, no dia 3 de março de 1942, o então Savóia - Água Verde foi obrigado pelo governo federal brasileiro a mudar seu nome para Esporte Clube Brasil, já que o país havia declarado guerra à Itália, e o nome "Savóia" era uma clara homenagem àquela nação. O Brasil tinha uniforme branco, com as cores brasileiras no escudo, que continha o mapa do Brasil.

Dois anos depois, em abril de 1944, o governo proibiu a utilização do nome "Brasil", e o clube então passou a se chamar novamente Esporte Clube Água Verde, com as cores verde e branca. No dia 15 de agosto de 1953 o Água Verde inaugura o Estádio Orestes Thá, na Vila Guaíra. Nos idos de 1960, o Água Verde, sabedor de que suas cores igualavam às do Coritiba Foot Ball Club, passou a jogar com camisas azuis e brancas.

Finalmente, em 12 de agosto de 1971, por plebiscito, modificou-se o nome do clube para Esport Clube Pinheiros. O Pinheiros inaugura, no dia 7 de setembro, a Vila Olímpica do Boqueirão, em jogo contra o Coritiba, válido pelo Campeonato Paranaense. O Pinheiros vence por 1 a 0, com um gol de cobrança de falta de Toninho Vieira.

A história do Pinheiros termina no dia 19 de dezembro de 1989, quando o clube uniu-se ao Colorado Esporte Clube, dando origem ao Paraná Clube.

Títulos


Campeonato Paranaense:3 vezes (1967,1984 e 1987).
Vice-Campeonato Paranaense: 3 vezes (1985, 1986 e 1988).
Campeonato Paranaense - Série Prata: 1982.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Bayer Esporte Clube

Foi criado a partir da filial da empresa Bayer existente na cidade. Estréia como time profissional em 1991 no Campeonato Estadual da Terceira Divisão de Profissionais do Rio de Janeiro. Ao fim de dois turnos, numa única fase, a equipe é a terceira na colocação geral, atrás do campeão Esporte Clube Barreira e do vice Porto Real Country Club, ficando à frente de Everest Atlético Clube, Opção Futebol Clube, Grêmio Olímpico Mangaratiba, Portela Atlético Clube, Nilópolis Futebol Clube, Bela Vista Futebol Clube e Associação Atlética Colúmbia.


Em 1992, é convidado a integrar a Segunda Divisão de Profissionais, não a verdadeira Segunda, que virara Intermediária da Primeira, mas o módulo logo abaixo. Na sua chave se classifica em segundo, atrás do Serrano Foot Ball Club e à frente de Pavunense Futebol Clube, Heliópolis Atlético Clube, Céres Futebol Clube, Tomazinho Futebol Clube e Esporte Clube Nova Cidade. Na segunda fase, fica em quarto lugar, atrás de Heliópolis Atlético Clube, Pavunense Futebol Clube e Serrano Foot Ball Club, ficando à frente de Tamoio Futebol Clube e Colégio Futebol Clube. Na decisão da sexta vaga, perde para o Serrano por 1 a 0 e fica eliminado da competição.

Em 1993, fica em segundo na sua chave, ao fim do primeiro turno, atrás somente do Barra Mansa Futebol Clube. No segundo turno é o líder do grupo, se classificando para o quadrangular final que reuniu União Macaé Esporte Clube, Duque de Caxias Futebol Clube e Barra Mansa Futebol Clube. O clube de Belford Roxo foi o campeão, ficando na segunda colocação o Barra Mansa Futebol Clube.

Em 1994, muda de denominação para Futebol Clube Bayer de Belford Roxo. Disputa a Divisão Intermediária, a que estava abaixo da elite. Ao término da primeira fase, termina em terceiro em sua chave, abaixo de Friburguense Atlético Clube e Saquarema Futebol Clube, e à frente de São Cristóvão de Futebol e Regatas, Olympico Futebol Clube e Serrano Foot Ball Club. Na segunda fase fica em quarto, abaixo de Friburguense Atlético Clube, São Cristóvão de Futebol e Regatas e Saquarema Futebol Clube, ficando alijado da final que foi disputada entre Entrerriense Futebol Clube e Friburguense Atlético Clube, sendo o clube de Três Rios o campeão daquele ano.

Em 1995, disputa novamente o Módulo Intermediário. Ao fim de dois turnos em fase única jogada em pontos corridos, o clube se sagra vice-campeão do certame, perdendo o título para o Barra Mansa Futebol Clube. O curioso é que havia ainda um outro grupo jogado separadamente no mesmo módulo, que teve Barra Futebol Clube e América Futebol Clube de Três Rios como seus vencedores, mas ninguém obteve acesso à Primeira Divisão do ano seguinte, com exceção do Barra, que ainda jogou uma partida de repescagem contra o Entrerriense Futebol Clube, mas a perdeu. Tal fato levou a diretoria do Bayer a resignar das disputas profissionais regidas pela FFERJ, retirando o seu time das competições.

Em 2006, houve uma tentativa de volta da agremiação à Terceira Divisão, mas que não foi concretizada. Desde então, o Bayer só disputa as competições regidas pela Liga de Nova Iguaçu. Posteriormente a antiga denominação de Bayer Esporte Clube é retornada.

Títulos

Campeão Estadual da Segunda Divisão: 1993;
Vice-campeão Estadual do Módulo Intermediário: 1995;

Estádio
 
Bayer Esporte Clube
Capacidade: 5.000 pessoas

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Unibol Pernambuco Futebol Clube

Fundado em 16 de Outubro de 1996 por uma parceria entre o Grupo Moura, o piloto Emerson Fittipaldi e o empresário José Carlos Brunoro, o Unibol é o primeiro clube-empresa de Pernambuco.

O Unibol foi comprado em março de 1998 pela rede de lojas Via Sports, a venda ficou em R$ 50 mil.

Os dirigentes do Unibol inspiraram-se no Blackburn Rovers, da Inglaterra, para desenhar o uniforme do clube. A camisa tem faixas horizontais nas cores azul e branca e um distintivo antigo apresentava o slogan Pela Arte e Pelo Trabalho, numa tradução livre do latim Arte et Labore, do distintivo do Blackburn. Ao lado do slogan, havia um sol, símbolo do clima quente de Pernambuco.

Em 1999, passa a disputar seus jogos em Goiana e em junho de 1999, o time passaria a chamar-se Pernambuco Futebol Clube, porém a Federação Pernambucana de Futebol não permitiu a troca do nome. Em dezembro de 2000, passou a se chamar Unibol Pernambuco Futebol Clube.

Hoje o clube está inativo profissionalmente devido a problemas com o Campeonato Pernambucano em 2000, o Ferroviário de Serra Talhada ganhou no STJD os pontos do empate com o Íbis Sport Club pelo quadrangular da morte, com isso o Unibol foi rebaixado mas permanece com o trabalho de base, com os treinamentos no CT de Paulista.

Títulos

Campeonato Pernambucano da 2ª Divisão: 1998.

Estádio

Ademir Cunha
Capacidade: 4.000 pessoas

domingo, 16 de maio de 2010

Clube Esportivo Paysandu

O Clube Esportivo Paysandu é um clube de futebol brasileiro sediado na cidade de Brusque em Santa Catarina. Foi fundado em 30 de dezembro de 1918.
O Paysandú nasceu com a finalidade de propor mais desenvolvimento ao esporte em Brusque. Um grupo de esportistas vendo a necessidade de maior incremento do esporte em nossa cidade, resolveu fundar uma agremiação, que nos campos esportivos, rivalizasse com o Sport Club Brusquense.
Quanto ao nome escolhido, “Paysandú”, os amigos decidiram fazer uma homenagem aos defensores da fortaleza de Leandro Gomes e a bravura dos soldados brasileiros neste período da história, quando o Brasil, em 1864, interviu militarmente no Uruguai, em razão da revolução entre “Blancos” e “Colorados”.
Até a sua fundação, todas as reuniões eram feitas em residências particulares, o que pode-se deduzir nas casas dos fundadores e demais pessoas que tinham interesse na criação do Paysandú. Após o início efetivo do clube muitas arrecadações contribuíram para a construção da sede do clube, que foi um marco na história do Paysandú.

Em meados de março de 1922 com a nova diretoria do clube, tendo como presidente Carlos Luiz Gevaerd, decidiram que o Paysandú deveria possuir um campo de futebol próprio.
Neste período o clube vivia de arrecadações sociais, o que tornava um valor insuficiente para a compra do terreno escolhido. Com a ajuda do proprietário das terras a serem adquiridas, Antônio Maluche, grande parte foi doada por ele, e o restante do valor a ser pago foi facilitado pelo mesmo.
A comunidade simpatizante do Paysandú, bem como seus atletas e sócios revezaram-se durante um bom tempo para retirada do aterro e construção do campo, que foi inaugurado em 15 de junho de 1924.
Atualmente licenciado, o clube cedeu sua vaga na primeira divisão em 1987 para o Brusque Futebol Clube, que acabara de nascer e obter força na cidade. O clube chegou a conquistar o Segunda Divisão Catarinense em 1986.
 
Quando questionado se o Clube Esportivo Paysandú pretende voltar a jogar na categoria profissional, o secretário executivo do clube, Célio de Souza argumenta que existe essa possibilidade, porém, por escolha da diretoria, a prioridade no momento é de restaurar todo o clube.

Atividades - Mesmo não tendo participação estadual nos campeonatos, o Paysandú em toda a sua trajetória jamais deixou de ter o seu lado social.
Hoje, o clube oferece para cerca de 120 meninos a famosa “Escolinha de Futebol”, em cinco categorias: fraldinha, pré-mirim, mirim, infantil e juvenil.

Estádio:

Cônsul Carlos Renaux - 8.000

sábado, 15 de maio de 2010

Clube Atlético Carazinho

O Clube Atlético de Carazinho foi fundado no dia 1º de Julho de 1970, como resultado da fusão das duas tradicionais agremiações esportivas de Carazinho: o GRÊMIO ATLÉTICO GLÓRIA, fundado em 07/09/1933 e o VETERANO FUTEBOL CLUBE, fundado em 25/10/1933, passando, desde então, a ser o grande representante da cidade no cenário esportivo gaúcho.

A agremiação teve uma trajetória brilhante, tendo conquistado em 1974, sob o comando técnico do treinador Francisco Neto, popular Chiquinho, o título de Campeão do Interior do Estado.
Infelizmente, ao final da década de 70, o clube fechou as portas. Voltou ao cenário esportivo, de forma humilde, em meados da década 80, mas não durou mais que dois ano, permanecendo fechado até 1992.
A partir de 1992 alçou uma nova trajetória, sob a liderança do então Prefeito de Carazinho, Dr. Iron Louro Baldo Albuquerque. Disputou em 92 o campeonato gaúcho de juniores e, a partir de 93, voltou ao profissionalismo.
Conquistou em 1994 o título da Segundona Gaúcha, sendo que em 1995 alcançou uma das vagas para a série A do Gauchão, competição que disputou naquele ano e em 1996.
Novamente fechou o departamento futebolístico em 1996, sendo, então, rebaixado da série A para a Série B a partir daquele ano, entretanto, não mais disputou nenhuma competição.
Ao longo desses trinta (30) anos, principalmente na década de 70 e nos quatro anos da década de 90, o Clube Atlético ganhou a confiança e a simpatia da comunidade esportiva de todo o Estado, sendo montadas equipes fortes e vencedoras.
No início de 2009, grupos de torcedores liderados pelo desportista Gilberto Augusto Kamphorst, que seria eleito presidente do Clube, trouxe o Atlético de volta ao futebol profissional.
Por suas façanhas e brilhantes vitórias em todo o Estado, o Clube Atlético ganhou o carinhoso apelido de "Galo da Serra".

Títulos


Campeonato Gaúcho - 2ª Divisão: 1994.
Campeonato do Interior: 1974.

Estádio

O Estádio Paulo Coutinho é um estádio de futebol localizado na cidade de Carazinho, no estado do Rio Grande do Sul, região norte. É um estádio com capacidade atual para quatro mil pessoas, pertencente ao Fundescar e à Associação Carazinhense de Futebol. Utilizado para disputa dos jogos do Campeonato Gaúcho de Futebol - Segunda Divisão de 2009 do clube carazinhense.

Alcunhas Galo da Serra


Mascote Galo

Site
 
http://www.atleticocarazinho.com.br/

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Clube Atlético Aliança

Clube Atlético Aliança é um clube de futebol da cidade de Santana no Estado do Amapá, Brasil. Foi fundado no dia 15 de novembro de 1995. O uniforme do clube é camisa amarela, calção azul e meias azuis. Seu mascote é uma águia. Manda seus jogos no estádio Antônio Villela. Foi campeão estadual em 1998.

Títulos


1 Campeonato Amapaense: 1998
1 Vice Amapaense: 1999
 
Estádio

Vilelão
Capacidade 3.000

Mascote Águia


quinta-feira, 13 de maio de 2010

Fluminense Esporte Clube

A fundação do Fluminense Esporte Clube, de Teresina, data de 31 de janeiro de 1938, quando, então, o amadorismo ainda era uma grande realidade em todo o norte e nordeste do país. Idealistas sem uma grande estrutura e, na maioria das vezes, sem apoio da sociedade, eram os dirigentes dos clubes de futebol, e com o Fluminense não seria diferente. Com o Automóvel, para ser mais preciso, pois o clube nasceu como Automóvel Esporte Clube, uma vez que vários motoristas participaram das reuniões que antecederam o seu surgimento.


Seu primeiro presidente, Manoelzinho, arcava com todas as responsabilidades, ladeado com os membros de uma diretoria que, com poucos recursos financeiros, não tinha como oferecer resistência aos grandes clubes da época – Botafogo e Flamengo.

Somente em 05 de janeiro de 1949, por sugestão de Belchior da Silva Barros, houve a mudança do nome de Automóvel para Fluminense. Era uma forma de angariar novos torcedores (simpatizantes do Flu carioca), uma vez que já tínhamos Flamengo e Botafogo. Começava, efetivamente, a presença do Fluminense na história do futebol piauiense.

Uma das formações do Automóvel Esporte Clube, que deu origem ao Fluminense, flagrante registrado em 1939, no Campo de Marte (hoje Estádio Municipal Lindolfo Monteiro). Não existem registros sobre a identificação dos atletas que aparecem na histórica fotografia, a mais antiga do clube.

Há mais de 10 anos, o Fluminense não disputa o torneio profissional do estado do Piauí. O clube mantém, com relativo sucesso, equipes nos campeonatos das categorias de base da FPF

Títulos


1 Campeonato Piauiense da Segunda Divisão: 1967

Estádio

Municipal Lindolfo Monteiro
Capacidade: 6.000 pessoas

O Estádio Municipal Lindolfo Monteiro, também conhecido por Lindolfinho foi inaugurado no ano de 1944. De lá para cá, o estádio passou apenas por duas reformas em 1964 e em 2008. Com as reformas, o estádio ganhou 1.868 assentos plásticos nas arquibancadas, além de 768 cadeiras, dentro dos padrões dos melhores estádios brasileiros. Um placar eletrônico de 15 metros quadrados também foi instalado no estádio que passou a oferecer boas acomodações para 6.000 torcedores. Neste estádio ocorreu um dos maiores jogos do Piauí, ocorrido em 20 de julho de 1958. Foi o jogo entre River-PI 2 x 2 Botafogo-RJ composto por Garrincha e Cia que era um time forte com experiência do título mundial de 1958 com a seleção brasileira.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Sport Club Atibaia

Fundado no dia 12 de dezembro de 2005, o Sport Clube Atibaia nasceu desacreditado, mas em pouco tempo foi ganhando a simpatia dos moradores da cidade. A agremiação tinha o objetivo de colocar o município de Atibaia novamente no cenário profissional do futebol paulista, já que o São João Futebol Clube virou clube social (São João Tênis Clube), o Boa Vista Futebol Clube está extinto e o Grêmio Esportivo Atibaiense está licenciado desde o início da década de 1990.


Com o intuito de aproveitar jogadores da própria cidade e da região, a equipe estreou em 2006 no Campeonato Paulista da Segunda Divisão, competição que não passou da primeira fase. Em conjunto com a equipe profissional, iniciou os trabalhos também com as categorias de base, disputando o Campeonato Paulista Sub 15, Sub 17 e Sub 20. O melhor resultado obtido foi neste último, chegando às oitavas-de-final, quando foi eliminado pelo Lemense.

No ano de 2007 o clube novamente participou do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, mas desta vez com mais êxito, passando à terceira fase da competição e ficando muito próximo do acesso à Série A3 Estadual. Suas três categorias de base também estiveram em atividade na temporada, mas tanto a Sub 15 quanto a Sub 17 foram eliminadas precocemente na primeira fase.

No ano de 2008, mais uma vez o acesso esteve perto de acontecer para a equipe da Região Bragantina, sendo eliminada na 2ªfase, isso ocorreu pelo fato de a equipe ter priorizado a competição dos Jogos Regionais. Agora em 2009, com o grande apoio vindo das arquibancadas, com grande numero de torcedores por jogo, e com a presença marcante da Guerreiros do Falcão, organizada que vem dando um verdadeiro show no apoio a equipe, esperasse a chegada do tão esperado acesso.

Estádio

Salvador Russani
Capacidade 3.000


Mascote


A diretoria escolheu para mascote do clube uma ave muito comum na região: o Falcão. Apesar da escolha ainda não ser definitiva, ela reflete os desejos, anseios e sonhos de toda uma comunidade. Assim como o Falcão, que voa alto e soberano, o desejo é de que o Atibaia esteja na busca constante de seus objetivos, ou seja: A ascensão à Série A1 do Futebol Paulista.

Esporte Clube Tarumã

O esporte Clube Tarumã foi fundado em 1974 na cidade de Manaus, precisamente no bairro da Praça 14 de janeiro, o bairro do samba, na avenida Tarumã, daí a origem do seu nome.


Tarumã, além disso é um pequeno rio que banha parte de Manaus e seu nome advém ainda da tribo que morava na cidade até meados do séc.XIX.

O símbolo do clube é um Lôbo. Suas cores: Vermelho e preto.

O time disputou as competições amadoras da FAF até 2007. Em 2008 disputou a Segunda Divisão profissional.

Tem tradição em sempre ter uma boa equipe de base, representando por várias vezes, inclusive, o Amazonas no Rio de Janeiro.

Hino
Autor:
Daniel Salles

Esporte Clube Tarumã da Amazônia
Tu és a raça dessa terra de façanha
Em teu Desporto o Futebol é forte
Triunfas Gramde Lobo do Norte
Vamos jogar com garra pra vencer
Sempre levado de justiça pra valer
Sou Tarumã - Raça forte e destemida
O futebol é alegria - a minha vida
1974 o Amazonas viu nascer
Vermelho e preto são as cores mais fortes
A Tua glória é tradição
No campo és fortaleza e valentia

(Refrão)
Campeão fascina a gente
Tarumã forte e valente
Gigante Lobo a Triunfar

terça-feira, 11 de maio de 2010

Associação Desportiva Unitri

Fundada em 2003, sua história começou um pouco antes, em 2002, como Sociedade Desportiva do Triângulo, idéia que surgiu depois da rescisão do contrato de parceria entre o Uberlândia Esporte Clube e a diretoria da Unit (Centro Universitário do Triângulo). As partes acabaram se posicionando como rivais e o novo time foi criado. Já em sua primeira competição amadora conquistou a Copa Tubal Vilela, principal torneio do Triângulo Mineiro. O sucesso fez com que a equipe se profissionalizasse, tendo como data oficial de fundação o dia 03/08/2003, e adotasse um novo nome: Associação Desportiva Unit. Poucos dias depois iniciou sua jornada na Segunda Divisão Mineira (correspondente à terceira) e, em uma campanha invicta, conquistou seu primeiro título como profissional.


O sucesso parou por aí. A equipe falhou nas três tentativas de ascender à principal divisão do futebol mineiro. Mas o principal insucesso do clube era demonstrado nas arquibancadas, com sucessivos recordes negativos de público. Na Taça Minas Gerais de 2006, última competição disputada pela equipe, em nenhum dos jogos que disputou como mandante, excetuando-se o primeiro jogo, contra o Uberlândia, conseguiu superar os 300 pagantes, chegando-se ao absurdo número de 31 pagantes no jogo da 13ª rodada – empate com a Caldense em 2x2.

A Desportiva Unit terminou seus dias como Associação Uberlandense Unitri (nome alterado em 2005), tendo desativado seu departamento de futebol para que o centro universitário retomasse sua parceria com o Uberlândia Esporte Clube. Repetiu, assim, as trajetórias relâmpago de outros clubes da cidade de Uberlândia, como o Ipiranga, o Floresta, o América e o folclórico XV de Novembro. Disputou onze jogos oficiais contra o Uberlândia Esporte Clube, conseguindo um grande equilíbrio: Foram quatro vitórias para cada lado, e três empates, com quinze gols para o Uberlândia e catorze para a Unitri.


Até 2005, tinha como nome Associação Desportiva Unit. Com a troca de nome da universidade que o mantinha, o clube também trocou seu nome.


Em 2006 disputou seus últimos campeonatos profissionais: o Campeonato Mineiro do Módulo II e a Taça Minas Gerais, tendo desativado seu departamento de futebol para que o centro universitário retomasse sua parceria com o Uberlândia Esporte Clube, para reunir e fortalecer o futebol uberlandense.

Sua partida derradeira foi uma vitória sobre o ex-rival Uberlândia por 3 a 0 no Parque do Sabiá, no dia 5 de novembro de 2006. Nas categorias de base, seu último jogo foi um empate por 1 a 1 com o Villa Nova, no dia 4 de outubro de 2006, no Estádio Municipal Airton Borges, em Uberlândia.

Em 2009, a Unitri retomou as suas atividades no futebol, visando a disputa da terceira divisão do Campeonato Mineiro de Futebol.


Mascote: Leão


Situação do clube: Desativado
Títulos:

1 Mineiro da Segunda Divisão: 2003
 
Estádio


Parque do Sabiá
Nome Oficial: Estádio Municipal João Havelange
Capacidade: 72.000 pessoas

domingo, 9 de maio de 2010

Associação Desportiva e Recreativa São José

A Associação Desportiva e Recreativa São José é um clube de futebol brasileiro da cidade de Palmas, no estado de Tocantins. Fundado em 14 de fevereiro de 1997 .

Permaneceu como equipe amadora de futebol até 2006, quando foi registrada na CBF.
Títulos: Vice-Campeão da 2ª Divisão 2009



Estádio Não tem

Localização Palmas (TO)
Mando de jogo em Nilton Santos
Capacidade (mando) 10.000

Mascote: Leão

sábado, 8 de maio de 2010

Mimosense Futebol Clube

O Mimosense foi criado no dia 20 de agosto de 1993. Em seu primeiro ano de existência, conquistou o titulo de Campeão Capixaba da 2ª Divisão.

No 1ª Divisão do Futebol Capixaba, a melhor colocação do Mimosense foi um 4º lugar em 1995, quando perdeu na semifinal para o Linhares, então Campeão Capixaba. O time passou à inatividade tempo depois, por falta de incentivos financeiros.
Em 2007, o clube se restabeleceu e em novembro do mesmo ano conquistou a Copa Sul.
No momento está licenciado.
 
Estádio
 
Coronel Paiva Gonçalves
Capacidade: 3.000 pessoas
 
Títulos


1 Campeonato Capixaba da Segunda Divisão: 1994
1 Vice Capixaba da Segunda Divisão: 1997
1 Copa Sul: 2007.
1 Vice da Copa Sul: 2008

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Náutico Futebol Clube

Fundado em 22 de Dezembro de 1962
Depois de ameaçar não participar do Campeonato Estadual de Futebol 2005, o presidente do Náutico, Osvaldo Texeira, confirmou o clube na competição. A princípio, o Náutico não utilizaria jogadores locais, mas diante da situação Texeira voltou atrás e irá utilizar a prata da casa para as primeiras rodadas da competição. Osvaldo ainda acredita na vinda dos jogadores responsáveis pelo fiasco na Copa São Paulo de Juniores, em janeiro deste ano. O presidente do clube confirmou ontem que Antônio Valêncio comandará o time interinamente na estréia no sábado. Desde que fechou parceria com a empresa New Soccer, os torcedores nauticanos esperam atitudes que os convençam de que realmente a atitude foi acertada. Até o momento, o que se viu foi um Náutico com poucos reforços no Estadual 2004 e um vexame completo na Copa São Paulo de Juniores. O grupo de jogadores locais ficou esperando as passagens prometidas pelo patrocinador para levá-los até São Paulo, mas isso nunca se tornou realidade. Com isso, o grupo de São Paulo vestiu a camisa do clube e o fiasco se consolidou.


Na temporada de 2006 o Náutico formou um time com jogadores do Atlético Forças do Bem, time do Rio de Janeiro que disputa a terceira divisão do Campeonato Carioca. O contrato entre os dois clubes é de 36 meses.

O Campeonato Roraimense 2007 estva previsto para se iniciar no dia 31 de março, portando a pouco mais de dois meses do começo da competição. A diretoria do Náutico não sabia como iria participar.

Motivo: a responsabilidade pela formação do elenco é do Forças do Bem. O vice presidente do clube, Roberto Lopes, acumulou a função de diretor de esportes em 2006 e trabalhou junto ao clube.

Em 2008, ainda vice do Náutico, Roberto aceitou a proposta do Baré e assumiu o futebol do colorado. Com isso, o Forças do Bem tem que nomear um novo diretor de futebol para o clube.

“O Forças é quem vai decidir como vai disputar o campeonato. Só sabemos que eles querem mandar novamente jogadores profissionais do Rio de Janeiro para atuar pelo Náutico”, afirmou Osvaldo Teixeira, presidente do clube. Sobre o cancelamento do contrato, Osvaldo disse não saber do fato e que vai entrar em contato com o clube no início de fevereiro.


Alegando falta de Recursos, o Náutico não disputou o Campeonato Roraimense de 2009. O clube protocolou um pedido à Federação Roraimense de Futebol avisando sobre seu afastamento dos gramados neste ano.

Estádio
 
Flamarion Vasconcelos (Canarinho)
Capacidade 10.000

Alcunhas O Clube Simpatia de Roraima

Mascote: Urubú

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Sociedade Esportiva Ariquemes


A Sociedade Esportiva Ariquemes, fundada em 02 de outubro de 1981 e que disputou os campeonatos de 1992 a 1996, conquistando o título estadual nos anos de 1993 e 1994.

Títulos


Campeonato Rondoniense: 2 vezes (1993 e 1994).
Vice-Campeonato Rondoniense: 1995.
 
 
Estádio
 
Gentil Valério
Capacidade 5.000 pessoas

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Serra Macaense Futebol Clube

Serra Macaense Futebol Clube é uma agremiação esportiva da cidade de Macaé, no estado do Rio de Janeiro, fundada a 18 de novembro de 2009, a partir da aquisição do Independente Esportes Clube Macaé, fundado a 29 de dezembro de 1992.
Após disputar a liga amadora de sua cidade, o Independente estréia no profissionalismo da Terceira Divisão, em 2000, como Associação Esportiva Independente de Macaé. Nesse mesmo campeonato, sagra-se campeão e promovido à Segunda Divisão com uma campanha extraordinária.

Em 2001, já na Segunda Divisão, não consegue passar da primeira fase. No ano seguinte também é eliminado prematuramente.

Em 2003, fica em último lugar no seu grupo na primeira fase e acaba rebaixado para a Terceira Divisão.
Em 2004, já na Terceira, é o vice-campeão, perdendo a final para o CFZ.

Em 2005, está de volta à Segunda Divisão, mas não passa da primeira fase. No ano seguinte, se retira do campeonato juntamente com o Goytacaz Futebol Clube.
Em 2007, volta às disputas ficando em oitavo lugar na classificação geral. Os cinco primeiros subiram.
Em 2008, faz uma péssima campanha e é rebaixado novamente à Terceira Divisão de Profissionais de 2009.
Rebaixado da Segundona em 2008, ao lado do Serrano Foot Ball Club, o Independente está sob nova direção para a disputa do Campeonato Estadual da Terceira Divisão de 2009. A agremiação foi vendida para um grupo de empresários e passará a se chamar Serra Macaense Futebol Clube, mesma denominação do centro de treinamentos do clube em fase adiantada de construção na localidade conhecida como Trapiche, em Macaé. Além de seis campos para treinamentos e jogos das categorias de base, o CT terá piscina de água natural e hotel-concentração. A marca Independente foi comprada por um grupo disposto a fazer do Serra Macaense, a nova sensação do futebol do Estado, em pouco tempo. Apesar de continuar a ser tricolor, a disposição das cores mudará. Entrará em cena o verde, deixando para trás o azul da combinação azul, preto e branco, que tanto fazia lembrar o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.
Em 2010, disputa com a nova denominação pela primeira vez, o Campeonato Estadual da Série C de Profissionais do Estado do Rio de Janeiro.

Estádio

Cláudio Moacyr de Azevedo
Capacidade 16.000

terça-feira, 4 de maio de 2010

Associação Desportiva Arsenal de Caridade

A Associação Desportiva Arsenal de Caridade é um clube de futebol da cidade de Caridade, no estado do Ceará. Seu time principal profissionalizou-se em 17 de maio de 2007, para a disputa da Terceira Divisão Cearense. O clube possui um escudo baseado no do Arsenal Football Club da Inglaterra, com a união das cores amarela e azul no uniforme, em homenagem ao Brasil.

Em 2009, o clube fez uma boa campanha na Terceira Divisão Cearense, chegando ao quadrangular final da competição e terminando-o na quarta colocação. O clube acabou conseguindo o acesso à segunda divisão devido ao Pacajuense não haver cumprido a perda de um mando de campo imposta pelo TJDF-CE. Como resultado da punição de três pontos ao Pacajuense, e sua queda na classificação do quadrangular, a vaga passou para o Arsenal.


Estádio

Rei Pelé
Capacidade: 5.000 espectadores
Inauguração: 25/02/1996

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Tanabi Esporte Clube

O Tanabi Esporte Clube foi fundado em 28 de dezembro de 1942, em meio à Segunda Guerra Mundial. De sua fundação até 1956, o clube de cores verde e branca viveu a era do semiprofissionalismo. Com a profissionalização naquele ano, o clube passou a disputar a terceira divisão. Logo em sua primeira competição, sagrou-se campeão.

Em 1958, o “Índio da Noroeste” paralisou suas atividades, retornando ao cenário futebolístico em 1964 e se afastando novamente em 1966. A partir de 1973, o clube voltou com tudo, conseguindo o vice-campeonato da terceira divisão em 1980 e o acesso para a segundona do ano seguinte. Cinco anos depois, o clube se torna campeão da primeira fase da segunda divisão, mas sucumbe na fase final frente ao Mogi Mirim e Grêmio Novohorizontino.
Em sua história, o Tanabi Esporte Clube revelou grandes talentos para o futebol nacional, como Teco (XV de Jaú), Rick (Botafogo), Sabino (Vila Nova (GO), Targa (Mogi Mirim, Araçatuba, CRAC de Catalão), Valdo (Anderlech da Bélgica), Damasceno (Cruz Azul do México), Neto (América) e, como maior destaque, o atacante Edílson, o “Capetinha”, que jogaria por Guarani, Palmeiras, Corinthians, Flamengo (RJ) e Seleção Brasileira, participando do elenco campeão mundial em 2002, na Copa da Coréia do Sul e Japão.
Atualmente está licenciado do Campeonato Paulista.

Títulos

Campeonato Paulista - Série A3 - Campeão: 1956

Alcunhas Tecão


Mascote Curumim

Estádio

Alberto Victolo
Capacidade: 11616 pessoas

Hino
 
Sua flâmula, altaneira,

Traz o nome da cidade,
Ela é, pois uma bandeira,
Para nossa mocidade
Verde e branco são as cores
Da camisa bicolor a fazer seus jogadores
Defendê-la com amor
Eia pra frente Tanabi Esporte
Que seu time vença,
De leste a oeste, de sul a norte.
Não importa que a vitória
Venha sempre a te sorrir
Tens também a tua glória
Do saber bem competir
Mas o lema de paulista
A lutar para vencer
Os seus jovens desportistas
Cumprem sempre o seu dever

domingo, 2 de maio de 2010

Associação Garibaldi de Esportes

A Associação Garibaldi de Esportes mais conhecida como Garibaldi é um clube de futebol brasileiro. Estreou em 2004, na segunda divisão do Campeonato Gaúcho, chegando à segunda fase. Tem sede no município de Garibaldi, no Estado do Rio Grande do Sul.


Foi fundada em 18 de agosto de 1998 e seu uniforme compõe-se de uma camisa com listras verticais vermelhas e pretas, calção branco e meias brancas.

Seu mascote é um índio.

Estádio

Seu estádio chama-se Alcides Santa Rosa, com capacidade para cinco mil pessoas.

sábado, 1 de maio de 2010

Associação Atlética Sinop

Iniciamos nossos trabalhos como Escolinha de Futebol no ano de 1996 já com o nome de Associação Atlética Sinop. Com muita garra e determinação participamos de vários campeonatos nacionais e internacionais e sempre trazendo na bagagem bons resultados. No ano de 2001, já com seis anos trabalho, estávamos com atletas nascidos nos anos de 1982 1983, 1984 e 1985 prontos para o mercado. Como o time que representava a cidade (Sinop F C) estava licenciado, lançamos em 27 de setembro de 2001 a Associação Atlética Sinop no futebol profissional. Nossa participação no futebol profissional foi um tanto quanto modesta, portanto, no ano de 2006 nos licenciamos e voltamos a trabalhar somente com as categorias de base. Hoje muitos dos atletas revelados por nós atuam em equipes nacionais e até internacionais e isso nos enche de orgulho, pois nosso maior objetivo é revelar e continuar revelando jogadores para o futebol brasileiro.

Estádio:

Municipal Gigante do Norte - Capacidade 25.000

Site


http://aasinop.blogspot.com/