sábado, 30 de abril de 2011

Club Deportivo San José

A origem do nome do clube tem duas explicações: a fundação aconteceu em 19 de março, dia de São José, padroeiro dos operários. E os fundadores eram trabalhadores da Mina San José, que se organizaram para disputar o campeonato da Asociación de Fútbol de Oruro, liga amadora local. O mentor da idéia foi Herry A. Keegan, administrador inglês da mina.

As cores permanecem inalteradas desde a fundação: azul e branco. O uniforme é semelhante ao Vélez Sarsfield da Argentina, embora não existam registros da influência fortín no clube boliviano. A equipe disputou a liga amadora orurenha até 1955, quando participou da fundação de uma liga semi-profissional em La Paz. A LFPB (Liga de Fútbol Profesional Boliviano) foi o embrião do profissionalismo no país, que culminou com o surgimento, em 1977, do campeonato nacional.

Logo no primeiro ano da competição, o San José montou o que é considerado até hoje o maior time de sua história. Jogando contra equipes muito mais tradicionais de La Paz e Cochabamba, os santos venceram o campeonato com cinco pontos de vantagem. O título veio em um empate diante do todo-poderoso Bolívar, em La Paz, por 2 a 2. Armando Escobar, um dos maiores ídolos orurenho, marcou os dois gols.

Foi num domingo, 29 de janeiro de 1956, que a torcida lotou o então “Monumental Oruro” (o nome Jesús Bermúdez viria somente depois, em homenagem a um grande goleiro do clube) para a partida final do campeonato, com a taça já assegurada. O adversário seria o Jorge Wilstermann e, segundo reportagem do “La Patria”, o San José expôs seu melhor sistema de jogo para vencer por 3 a 1.


Humberto Murillo, habilidoso avançado, abriu o placar com um gol olímpico logo a dois minutos de jogo. Após empate dos visitantes, a fulminante troca de passes entre Marcilla, Murillo, Escobar e Benjamin Maldonado culminou com o segundo gol. Jorge Orellana, de pênalti, decretou o placar final para delírio dos mais de 20 mil orurenses presentes.

Francisco Bonifacio, Silvano Valdivia, Juan Pedro Valdivia, René Torrico, Jorge Marcilla, Luis Peláez, Luis Castro, Armando Escóbar, Jorge Orellana, Humberto Murillo e Benjamín Maldonado receberam da imprensa e da torcida o apelido de “húngaros”, dada a consistência de seu jogo e a velocidade com que atacavam. À época, a seleção de Puskas, Kocsis, Czibor e Hidegkuti, ainda que derrotada na final da Copa da Suíça, era considerada a melhor equipe do planeta.

Mesmo com o sucesso nacional, o San José decidiu voltar a disputar a liga municipal de Oruro, que conquistou por seis vezes entre 1954 e 1972. Foi somente em 77 que o clube voltou ao cenário boliviano, com o surgimento do verdadeiro campeonato nacional, existente até hoje. Depois de seguidas campanhas sem destaque, o duplo vice-campeonato em 1991 e 92 (ambos para o Bolívar) levou o time à disputa da Libertadores da América.

O primeiro título verdadeiramente nacional viria em 1995, numa decisão surpreendente com o também pouco tradicional Guabirá. Derrota fora de casa por 3 a 1 no primeiro jogo, vitória no Jesús Bermúdez por 3 a 0 e empate em 1 a 1 no jogo extra. O título veio graças ao saldo de gols.

Após anos dourados, veio o descenso em 1999. Os dois anos na segunda divisão quase significaram o fechamento do clube, mas a volta por cima veio a tempo e o time foi campeão da Copa Simón Bolívar, garantindo o retorno. O título do Clausura 2007 devolveu a Oruro os dias de glória, impulsionados por dois brasileiros: Alex da Rosa, naturalizado, e Sandro Coelho, ambos meias. Para esta temporada, contratou o habilidoso Darwin Peña, que se destacou pelo Real Potosí no ano passado. Uma tentativa de alçar vôos em outras terras e respirar ares não tão rarefeitos quanto os de Oruro.  

Títulos

Campeonato Boliviano: 1995 e 2007-Clausura
Copa Simón Bolívar: 2001.
Estádio

O estádio tem esse nome em homenagem ao ex-goleiro da seleção boliviana Jesús Bermúdez, natural da cidade de Oruro. Capacidade 35.000 pessoas
Encontra-se na zona norte da cidade de Oruro, localiza-se a uma altitude de 3.702 em relação ao nível do mar
Apelidos Santos, Muchachos de la V azulada, el equipo minero
  




Site 

http://www.club-sanjose.com/

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Club Bamin Real Potosí

A data oficial de fundação do clube é o dia 1° de abril de 1986, quando recebeu o nome de Academia de Fútbol Real Potosí. Mas pouco depois ele se uniu ao clube do Banco Minero da Bolívia (BAMIM), este fundado no dia 20 de outubro de 1941. Por isso em muitos lugares essa data aparece como sendo a de fundação do Real Potosí, que após a fusão com o banco passou a se chamar Club BAMIM Real Potosí, nome que tem até hoje.
Foi a partir de 1994 que o clube começou a ganhar destaque dentro do país, vencendo três torneios de acesso consecutivos. Em 1997 a equipe sagrou-se campeã da Copa Símon Bolívar, equivalente à segunda divisão do futebol boliviano e, no ano seguinte, estreou na primeira divisão nacional.


Em 2002 o Real Potosí participou pela primeira vez de uma competição internacional, a Libertadores. E o time estreou bem, vencendo o San Lorenzo, da Argentina, então campeão da Copa Sul-Americana, por 1 a 0. Mas os bolivianos acabaram a competição em último lugar do seu grupo, que além do San Lorenzo tinha o Peñarol e o El Nacional, do Equador.
Nos anos seguintes, o Potosí não teve campanhas de destaque até a temporada 2006, quando o time foi vice-campeão nos dos torneios nacionais, o Apertura e o Clausura. O título estava amadurecendo. Então, para o ano seguinte, o clube contratou jogadores importantes do futebol boliviano, como o ala Luis Gatty Ribeiro e o meio-campo Líder Paz, ambos com passagens pela seleção. Ao lado do meia Darwin Peña, também da seleção, eles foram os principais jogadores da equipe que ganhou o título do Torneio Apertura de 2007, o primeiro e por enquanto único título nacional do clube.
Também em 2007, o Real Potosí disputou a sua segunda Copa Libertadores. E, assim como na primeira, não conseguiu passar da fase de grupos. O time ficou em terceiro lugar na chave, atrás dos brasileiros Flamengo e Paraná. Após jogar em Potosí, em partida que terminou empatada por 2 a 2, o time carioca chegou a entrar com um pedido na FIFA para que se proibisse jogos internacionais em cidades com altitudes tão elevadas. Após dizer que determinaria a tal proibição, a entidade máxima do futebol acabou voltando atrás, para a sorte do Real Potosí.


O ano de 2008 não começou muito bem para o Real Potosí. Na Libertadores, o time ficou em último do seu grupo. Já no Torneio Apertura da Bolívia, terminou com o vergonhoso 11° lugar entre 12 participantes. Mas, pelo menos, a temporada acabou bem. Após ficar em 3° lugar no Torneio Clausura, o time venceu os Playoffs que valem vaga para a Libertadores, derrotando o La Paz na decisão, após duas vitórias por 1 a 0.

Títulos

Campeonato Boliviano: 2007 Apertura

Estádio

O Estádio Víctor Agustín Ugarte, também conhecido como Estádio Mario Mercado Vaca Guzmán, é um estádio de futebol boliviano localizado em Potosí. Tem capacidade para 35.000 espectadores e é a casa do Real Potosí.

Localizado a 3.960 metros do nível do mar, em altitude, é o estádio mais alto do mundo. Tem suscitado inúmeras polêmicas no universo do futebol, posto que, tal condição geográfica, prejudica a absorsão de oxigênio no corpo de futebolistas que não estajam devidamente climatizados ao ar rarefeito, gerando assim, considerável vantagem aos atletas que habitam o local.

Apelidos El Fenómeno, León Imperial, El Equipo Minero

Site

http://www.imperiorealista.com/

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Club Universitario San Francisco Xavier

Em abril de 1961, o professor do Instituto de Educação Física da Universidade São Francisco Xavier Alfredo Sândi Navarro, com o aval da instituição, reuniu alguns alunos e fundou o Club Universitario. Para oficializar a criação, foi montada – e não eleita - uma diretoria, com o reitor acumulando o cargo de presidente. Os atletas, treinados pelo professor Navarro, eram estudantes dos cursos de Medicina, Ciências Econômicas, Agronomia e Artes Plásticas. O começo foi desastroso. A equipe patinava nos torneios amistosos e nas divisões inferiores. Muitos jogadores saíram. Uns porque não suportavam tantas derrotas. Outros porque iam concluindo a faculdade. Faltavam recursos, o que impedia o anúncio de contratações.
Em 1986, os estudantes, apelido dado ao Universitario, finalmente, chegaram à primeira divisão. E no ano seguinte já estavam jogando a Série B outra vez, de onde só voltaram a sair em 2005, quando a universidade resolveu dar mais atenção ao futebol.
Na prática, significa que o clube recebeu mais dinheiro. Algumas contratações na comissão técnica e no grupo de jogadores resolveram o problema. O Universitario foi campeão da segundona. E em 2006, terminou o Torneio Apertura em terceiro, levando uma vaga na Sul-Americana do mesmo ano. A alegria, de novo, foi curta. Inexperiente, caiu na primeira fase, eliminado pelo El Nacional, do Equador.
Até que em 2008, com os cofres ainda mais cheios, o Universitario surpreendeu e encantou. Muito superior aos outros 11 times da primeira divisão, venceu com sobras o Apertura, com nove pontos de vantagem sobre o segundo colocado. O título veio no início de julho, com três rodadas antes do fim do campeonato.
O meio-campo brasileiro Marcelo Gomes, 27 anos, ex-Bonsucesso, do Rio de Janeiro, foi o destaque e um dos melhores da competição. Inclusive, foi dele, o gol do título, num empate em casa, em 1 a 1, com o San José.

Ao contrário do que se previa, o restante de 2008 foi conturbado. Às vésperas do Clausura, cinco jogadores foram mandados embora. Três por insuficiência técnica e dois por indisciplina. Para completar, a campanha no torneio foi ruim e o técnico Eduardo Villegas pediu para sair.
As equipes são divididas em dois grupos de seis. Os dois melhores de cada chave avançam para as semifinais. O Universitario, com a faixa de campeão do Apertura, campeonato de pontos corridos em dois turnos, tropeçou e sequer se classificou.
Somente no início da pré-temporada, o presidente do clube e reitor da universidade, Jaime Barrón, bateu o martelo pela permanência do técnico. O atraso se estendeu à formação do time. Os reforços (dois zagueiros, dois volantes, um meia e um atacante) ainda não têm condições físicas ideais. E o goleiro Juan Marcelo rompeu os ligamentos do joelho direito e para, no mínimo, até julho.
O time começou 2009, da mesma forma que terminou 2008: jogando mal. Com o agravante de que no início da temporada só enfrentou adversários fracos. Nem o esquema foi definido. Villegas vem testando o 5-4-1 e o 4-4-2.

A ascensão do time da universidade, culminando com o título boliviano, incomodou o Real Potosí, que até 2005 reinava absoluto no sul daquele país. O Universitario foi crescendo, tirando torcedores do adversário e dividindo com ele as atenções da mídia esportiva da região.
O jogo entre os dois ganhou o apelido de “Clasico del Sur”. No ano passado, foram quatro. Duas vitórias do Universitario e uma do Potosí. Na abertura da temporada 2009, os rivais participaram, em grupos diferentes, de um torneio amistoso, com mais cinco times, patrocinado por uma empresa aérea, que dá ao campeão passagens gratuitas durante todo o ano. O Potosí, envolvido com o Palmeiras na pré-Libertadores, ficou na primeira fase. Enquanto o Universitario, mesmo com um futebol fraco, foi vice-campeão.

Títulos

Primera División Boliviana  2008-A
Segunda División Boliviana : 2005
Estádio

O Estádio Olímpico Patria é um estádio  localizado na cidade de Sucre, na Bolívia.
Inaugurado em 14 de dezembro de 1992, tem capacidade para 29.000 espectadores e é utilizado principalmente pelo clube  Universitario de Sucre no Campeonato Boliviano de Futebol.
Foi uma das sedes da Copa América 1997.

Apelidos U de Sucre, el docto, los rojos, el equipo estudiantil

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Club Social, Cultural y Deportivo Blooming

Em 1946, jovens que haviam dissolvido um time chamado Blue Sky, estavam dispostos a fundar uma outra associação na cidade. Guiados por Humberto Vaca Pereyra Montaño, queriam fazer um clube que agregasse atividades culturais, sociais e, claro, esportivas.
O nome adotado foi o de “Blooming”, que seria uma homenagem à juventude que florescia na cidade na época. Tão logo o clube foi fundado, passou a disputar competições amadoras da região, com algum sucesso. Em 1952, passou ao profissionalismo e foi aceito na liga principal da Associación Cruceña de Fútbol, vencendo um triangular com Alianza e La Esperanza.

Em 1954 veio o primeiro título da liga local para o Blooming. A equipe virou uma das principais da região, iniciando uma longa rivalidade com o Oriente Petrolero, que também é de Santa Cruz.
O time foi um dos que ingressaram na edição inicial do Campeonato da Liga Profissional Boliviana, em 1977. Na mesma época, Roberto “Tito” Paz assumiu a presidência da equipe, que, nos próximos anos, alcançaria sucesso nacional, a começar pelo bi-vice em 1982 e 1983.
Em 1984, o Blooming conseguiu seu maior feito até então: ser campeão nacional. No ano seguinte, foi semifinalista da Libertadores. O restante da década de 80 viu o time ficar sempre entre os primeiros, mas sem conquistar títulos importantes.

O aniversário de 50 anos do clube, em 1996, foi amargo para a torcida da Academia. A equipe disputou a segunda divisão depois de ser rebaixada no ano anterior. Menos mal que o Blooming conseguiu o retorno à primeira divisão logo na primeira temporada.
No retorno à elite, o time de Santa Cruz não demorou a voltar a brilhar. A equipe conquistou o bicampeonato nacional em 1998 e 1999, mas só voltaria a comemorar títulos novamente em 2005, com o Apertura daquele ano.
Seu mais recente título foi o Clausura de 2009. A equipe passou pelo Real Potosí, pelo rival Oriente Petrolero e depois venceu na final o Bolívar para conquistar o título e assim garantir sua presença na Libertadores deste ano.

Títulos

Campeonato Boliviano: 1984, 1998, 1999, 2005-Apertura e 2009-Clausura

Estádio

O Estádio Ramón Tahuichi Aguilera é um estádio localizado na cidade de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia.
Inaugurado em 1939, tem capacidade para 35.000 torcedores. É utilizado pelos Club Deportivo Oriente Petrolero, Club Blooming e Club Destroyers, no Campeonato Boliviano de Futebol.
Foi uma das sedes da Copa América 1997. É o segundo maior estádio da Bolívia, atrás apenas do Estádio Hernando Siles.

Apelidos La Academia, Millonarios , Los Pascaneros del Casco Viejo

Site

http://www.clubblooming.com.bo/

terça-feira, 26 de abril de 2011

Club Jorge Wilstermann

O Club Jorge Wilstermann é um clube de futebol da cidade de Cochabamba. É um dos clubes fundadores da Liga de Fútbol Profesional Boliviano, primeira divisão do futebol desse país. Em 2011 joga a Segunda Divisião da Bolivia e a Copa Libertadores de América.

Foi fundado em 24 de novembro de 1949 por un grupo de trabalhadores das linhas aéreas LAB Lloyd Aéreo Boliviano, com a finalidade de ter uma equipe local que represente a empresa, inicialmente nasceu com o nome de San José de la Banda, com as cores azul e branco. Posteriormente mudou o nome do clube a Jorge Wilstermann em homenagem ao primeiro piloto comercial da Bolivia.
As cores do clube foram mudadas na gestão do Dr. Jorge Rojas Tardío, quem sugeriu as cores atuais da instituição, "Escolhi essas cores porque significam força, garra e entrega total no campo de jogo, além era a única equipe no país que então começou a usar essas cores" explica o ex-presidente vitalicio de Wilstermann.
No ano de 2010, o clube Wilstermann descendeu de categoría pela primeira vez em sua historia. Inicialmente se consagrou como campeão do Torneo Apertura (não válido para pontos para media de descenso na fase final), porém caiu assustadoramente no Torneo Clausura causando seu descenso. Graças ao título obtido no Apertura conseguiu uma vaga para representar a Bolivia na Copa Libertadores 2011.

Títulos

Campeonato Boliviano: 1958, 1959, 1960, 1967, 1972, 1973, 1980, 1981, 2000, 2006-ST e 2010-A

Estádio

O Estádio Felix Capriles é um estádio  localizado em Cochabamba

O estádio tem capacidade para 32.000 torcedores e foi sede do Campeonato Sul-Americano de Futebol 1963 e da Copa América 1997.

Apelidos Cuadro Aviador, El Equipo de la Casaca Sangre ,El Hercules Aviador




Site

http://clubwilstermann.galeon.com/

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Club Deportivo Oriente Petrolero

Quando a Associación de Santa Cruz (liga de futebol local) era ainda amadora, se formou um clube com base em uma equipe de bairro chamada Petroleros, formada unicamente por trabalhadores da YPFB (companhia petrolífera estatal boliviana). Sua fundação foi em 5 de novembro de 1955. Se inscreveu na associação de futebol em 1956 já com o nome de Oriente Petrolero.
Em 1957, o Oriente Petrolero subiu para a primeira divisão local. Em 1958 e 1959 venceu campeonatos amadores locais. Foi bicampeão cruceño (natural de Santa Cruz de la Sierra) amador em 1961 e 1962 e tornou a vencer em 1964 sendo este o último campeonato da era amadora.

Em 1965, o profissionalismo se instalou definitivamente no futebol de Santa Cruz de La Sierra e o Oriente Petrolero venceu o seu primeiro campeonato cruceño profissional em 1967 iniciando um sensacional heptacampeonato vencendo também os campeonatos de 1968, 1969, 1970, 1971, 1972 e 1973. Voltaria a vencer o campeonato cruceño em 1976.

O Oriente Petrolero venceu seu primeiro campeonato nacional, a Copa Simón Bolivar (o equivalente ao campeonato boliviano de hoje) em 1971, o que lhe deu o direito de disputar a Copa Libertadores da América de 1972. O clube já participou desse torneio 18 vezes.
O Oriente Petrolero começou a participar da liga profissional em 1977 tornado-se campeão em 1979.
O vice-campeonato boliviano de 1987 deu ao Oriente Petrolero o direito de participar da Copa Libertadores da América de 1988. Nesse ano, o Oriente Petrolero fez sua melhor campanha até hoje na Libertadores: chegou às quartas-de-final eliminando equipes tradicionais da América do Sul tais como o Club Olimpia, do Paraguai e o Colo-Colo, do Chile. Acabou sendo eliminado pelo América de Cáli, da Colômbia. Para compensar essa tristeza, venceu mais um campeonato boliviano em 1990.

O Oriente Petrolero passou por um período de "vacas magras" que só seria interrompido em 2001 quando conquistou o campeonato boliviano desse ano. O clube vence, em 2003, a primeira Copa Aerosur (realizada na cidade de Buenos Aires, Argentina), um importante torneio patrocinado por uma companhia aérea e no qual participam os principais clubes bolivianos. O Oriente Petrolero volta a vencer essa competição em 2005 - no ano em que o club cruceño completou 50 anos de existência - e chegou à grande final da Copa Aerosur de 2007 contra a equipe do The Strongest que acabaria sagrando-se campeã.

Títulos

Campeonato Boliviano: 1979, 1990, 2001 e 2010

Estádio

O Estádio Ramón Tahuichi Aguilera é um estádio localizado na cidade de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Inaugurado em 1939, tem capacidade para 35.000 torcedores. É utilizado pelos Club Deportivo Oriente Petrolero, Club Blooming e Club Destroyers, no Campeonato Boliviano de Futebol.
Foi uma das sedes da Copa América 1997. É o segundo maior estádio da Bolívia, atrás apenas do Estádio Hernando Siles.
Todo ano, o estádio recebe um dos mais importantes campeonatos de juvenis (Sub-15) do mundo: O Mundialito. Vários clubes internacionais, entre eles o Real Madrid da Espanha, já disputaram esse torneio.

Apelidos Refineros, Albiverdes, Verdolagas

Site  
http://www.cluborientepetrolero.org/

domingo, 24 de abril de 2011

Club The Strongest

Foi fundado com o nome de The Strongest em 8 de abril de 1908, sendo assim o mais antigo do futebol boliviano. No ano de 1911, durante o primeiro período presidencial de Eliodoro Villazón, a Prefeitura do Departamento de La Paz organizou a primera competição de futebol do país, a Copa Prefectural. As equipes mais representativas do nascente esporte foram convidadas, entre elas The Strongest. Assim, a equipe aurinegra ganhou o primeiro campeonato em que participou.
Em 22 de fevereiro de 1914foi fundada a "La Paz Foot-Ball Association" (atualmente Asociación de Fútbol de La Paz). Constituindo-se na primeira organização da prática do futebol a nivel nacional. Desde sua criação, e pelas próximas quatro décadas, a LPFA se converteu na referência institucional do futebol a nivel nacional. Cabe destacar que a entrada da era profesional nos anos cinquenta, foi esta associação  e  não a mais nova Federación Boliviana de Fútbol (criada em 1925), a que levava as rendas da prática do esporte no país.
Nesse mesmo ano de 1914 The Strongest ganha o certame de iniciação de forma invicta na Copa Max de la Vega e posteriormente a Segunda Divisão denominada Copa "Bautista Saavedra".
Desde 1914 até 1949 The Strongest  ganhou 15 títulos, convertendo-se na equipe com mais títulos na etapa amadora.

No ano de 1930 Argentina Brasil Uruguay haviam iniciado o profissionalismo, Bolivia estava atrasada por 20 anos, no meio deste panorama o jogo combativo de The Strongest com força e identidade e se denomina "Derrubador de campeones". Durante 1941 The Strongest consegue uma sucessão de triunfos sobre a seleção de Jujuy(Argentina) por 5-2; Nacional,de Asunción, por 4-2;Universitario de Lima, por 4-0 e Cerro Porteño de Paraguay por 2-1. A isso se soma o espectacular 3-1 sobre Independiente, estes êxitos se deram o  batismo de "Derribador de campeones".

Em 24 de setembro de 1969, rodada em que se celebrava um aniversário mais do departamento de Santa Cruz, The Strongest foi convidado a participar nos festejos e dar realce aos atos de comemoração organizados pela Asociación Cruceña de Fútbol.
Para a equipe atigrada se tratava de um parenteses no campeonato paceño, cuja segunda fase acabava de começar.
Sem sequer ter imaginado, o Decano do futebol nacional havia jogado sua última partida oficial da temporada em 14 desse mesmo mes, oportunidade na qual foi derrotado frente a Universitario por 3 gols a 1.
Ao retornar de Santa Cruz de la Sierra, em 26 de setembro, se informou que o avião do Lloyd Aéreo Boliviano (LAB) que transportava a equipe principal de The Strongest havia desaparecido; era o mesmo día em que o país se via convulsionado pelo golpe de Estado de Alfredo Ovando Candia contra o Presidente Luis Adolfo Siles Salinas. Foram 24 horas de tensa espera, e de poucas esperanças, para receber a confirmação de que o avião se havia caído na localidade de Viloco, situada na Cordillera Tres Cruces. Morreram 16 jogadores e 3 da equipe técnica.
Poucos dias depois da tragedia , a ajuda chegava por todas partes, seu rival de toda su vida o Club Bolívar como varios outros clubes da liga cedíam a sus melhores jogadores para que o clube gualdinegro iniciara giros pelo interior e  exterior do país para buscar fundos.

Por sua parte a Confederación Sudamericana de Fútbol, encabeçada por Téofilo Salinas, doou 20.000 dólares; a Confederação Brasileira de Futebol organizou um clássico “carioca” entre Flamengo e Fluminense cuja arrecadação beneficiou o The Strongest. Só um ano depois do trágico acidente, o clube tornava novamente campeão da AFLP, um ano depois em 1971 The Strongest  voltava a ganhar,  superando nesta ocasião o Bolivar.

Títulos

Campeonato da "Asociacion de Futbol de La Paz": 1914, 1914 (Copa) 1916, 1916 (Copa), 1917, 1922, 1923, 1924, 1925, 1930, 1935, 1938, 1943, 1945, 1946, 1952, 1963, 1964, 1970, 1971 e 1974) 

Campeonato Boliviano: 1977, 1986, 1989, 1993, 2003-Apertura, 2003-Clausura e 2004-Clausura

Estádio

Manda seus jogos no Estádio Rafael Mendonza Castellón, com capacidade para 20.000 pessoas e no Estádio Hernando Siles, com capacidade para 42.000 pessoas. 

Apelidos Tigre, Tigre de Achumani, El Derribador de Campeones, Gualdinegro, Aurinegro, El Decano del fútbol boliviano

Site

http://www.clubthestrongest.com/

sábado, 23 de abril de 2011

Club Bolívar

Club Bolívar  foi fundado 12 de abril de 1925, na cidade de La Paz. Os fundadores do clube foram os jovens que se reuniam para jogar futebol a na Calle Junín. Formou-se uma equipe , que foi composta por Walter Miranda, Telleria Enrique, Felipe Gutiérrez Nieto, Leciere Victor, Carlos Teran, Garnica Germain, Segaline Roberto, Carreon Miguel, Luis Ernesto Sanz, sendo capitão Humberto Barreda. Pensando em aderir à segunda divisão de La Paz em 1926, foram incorporados Alfredo Molina, Roberto Gomez e Carlos Alvarez. Na sua fundação, o time era chamado de "o Atlético Bolivar Literatura Musical" e azul foi escolhido para diferenciar o clube, mudar este nome mais tarde para "Club Atlético de Bolívar".
Em 1927, dois anos após sua fundação, o Club Bolivar entrou na Liga de La Paz de Futebol,  pela primeira vez participou de um torneio oficial, jogado no campo de Miraflores, onde terminou em segundo lugar. Esta conquista foi o primeiro bolivarista gloriosa em um torneio local. Em 1928, o Club Bolívar ficou em quinto lugar na classificação da Associação de Futebol de La Paz. Em 1929, conseguiu subir ao terceiro lugar no torneio. Em 1930, o Club Bolívar conseguiu o vice-campeonato, o torneio durou apenas um curto período de tempo, pois esse ano eles jogaram a primeira Copa do Mundo no Uruguai. Em 1931 o torneio teve as más atuações de Bolívar e o rival  The Strongest , porque não dispunham de divisões inferiores que poderiam renovar o modelo.
Em 1932, Bolívar foi pela primeira vez campeão em sua história com o título do torneio na primeira divisão.
O certame foi suspenso pela Guerra del Chaco, razão pela qual a Asociación de Fútbol de La Paz determinou que a pontuação e a classificação do momento seria reconhecida como a tabela final, onde Bolívar se tornou campeão de 1932.

1933 e 1934 não apresentou nenhuma atividade devido a guerra. Em 1964, o Club Bolivar se perdeu e foi relegado, pensava-se que o declínio foi o início do colapso da instituição como foi para outras instituições. Na cabeça de Eduardo Siles tarefa difícil foi conseguido com o retorno à primeira parte do AFLP da Bolívia.
Em 1967, ele jogou a Copa Libertadores, Club Bolívar junto com o
Club 31 de Octubre.
O Club Bolívar foi o segundo Clube de Futebol da Bolívia a chegar em uma final de um torneio internacional (Copa Sudamericana 2004), caindo ante  o Boca Juniors.
Além disso, a equipe boliviana é uma maior participação internacional em torneios, com 22 Copa Libertadores,  4 Sul-Americana e 1 Copa CONMEBOL.


Títulos

Era Amadora(1914 a 1949)  Campeón nacional 1932, 1937, 1939, 1940, 1941, 1942.

Era semiprofesional (de 1950 a 1976) Campeón nacional  1950, 1953, 1956, 1966, 1968 e 1976.  Campeón de la Segunda Division  1965.

Era profesional (desde 1977) 1978, 1982, 1983, 1985, 1987, 1988, 1991, 1992, 1994, 1996, 1997, 2002, Apertura 2004, Apertura 2005, Apertura 2006,Apertura 2009.

Estádio

O Estádio Hernando Siles é um estádio  localizado em La Paz.
É o maior estádio do país, com capacidade para 42.000 torcedores e leva o nome de Hernando Siles Reyes, presidente da Bolívia entre 1926 e 1930.
Localizado a 3.637 metros do nível do mar, é um dos mais altos estádios profissionais do mundo. Inaugurado em 1931, é sede dos principais jogos dos clubes  The Strongest, Club Bolivar e La Paz F.C..
Recebeu torneios importantes, como o Campeonato Sul-Americano de Futebol 1963 e a Copa América 1997, e foi palco da primeira derrota do Brasil nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 1994.

Apelido La Academia

Site

http://www.clubbolivar.com/

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Audax Italiano La Florida SADP

O Audax Italiano La Florida, até 2008 conhecido como Audax Club Sportivo Italiano, é um clube da cidade de Santiago. Atualmente, a equipe disputa o Campeonato Chileno de Futebol, na 1ª Divisão.

Ruggero Cozzi idealizou a fundação de um clube para representar a colônia italiana no Chile. Alberto Caffi e Amato Ruggieri aderiram à idéia e, no dia 30 de novembro de 1910, nasceu o Audax Club Ciclista Italiano. Alberto logo assumiu a presidência, posto que ocupou por 23 anos.
No início, a agremiação focava suas atividades apenas no ciclismo, mas com o passar dos anos e com o aumento de sócios, outros esportes começaram a surgir. Em 1922, sob o comando dos irmãos Domingo e Tito Frutero, o setor futebolístico foi fundado oficialmente. Na mesma época o clube mudou seu nome para Audax Club Sportivo Italiano.
Com apenas dois anos de vida oficial, o futebol da agremiação faturou seu primeiro título, a Liga Metropolitana. Ainda no amadorismo, os Tanos, como também é conhecida a equipe, levantaram mais cinco taças, com destaque para a conquista da Liga Central de Football, em 1931, quando derrotaram, na final, a Asociación de Football de Santiago.
No ano seguinte o Audax chegou novamente à final, desta vez contra o Colo-Colo. Porém uma tragédia marcou a partida. Um camarote do Estádio Italiano caiu, deixando 130 feridos e três mortos. O acidente marcou o término da era amadora no Chile, já que em 1933 Audax, Colo-Colo, Magallanes e mais cinco clubes da época fundaram a Liga Profissional.
Os três primeiros anos de campeonatos profissionais foram dominados pelo Magallanes, sendo que a equipe da colônia italiana sagrou-se vice-campeã em duas oportunidades. Após longa espera, no ano de 1936, a glória foi alcançada. Realizando uma campanha impecável, com sete vitórias, dois empates e apenas uma derrota, o Audax faturou a competição e Hernán Bolanõs se tornou artilheiro com 14 gols marcados.
Porém, o título marcou o início de um grande jejum no clube. Os Itálicos passaram dez anos sem levantar uma taça, tendo a grande seca quebrada apenas em 1946. Sob o comando de Daniel Chirinos, o melhor goleiro da história da agremiação, a equipe conquistou novamente a primeira divisão do Chile, feito que se repetiu dois anos depois.
A década de 50 é lembrada pelos fãs como o período em que o clube começou a decair. Conquistando seu sétimo vice-campeonato em 1951, e seu terceiro título nacional em 1957, o Audax deu início a uma era de péssimos resultados.
Figurando sempre entre a parte intermediária e final da tabela, a equipe caiu para a segunda divisão em 1971. Voltou seis anos mais tarde, porém os maus resultados prosseguiram e, em 1986, a segunda divisão novamente contou com a presença do time.
Durante cerca de nove anos a era mais obscura da agremiação ocorreu. Em 1988, a terceira divisão esteve muito próxima, mas nos últimos jogos do campeonato o clube conseguiu manter-se na divisão de acesso. Em 1995 novamente voltou à elite do Chile e os bons resultados voltaram a aparecer.
Em 2006, com a chegada do técnico Raúl Toro, o Audax conquistou pela primeira vez a chance de disputar a Taça Libertadores, devolvendo aos seus fãs a felicidade e a confiança na tradicional equipe que representa um pedaço da Itália na América do Sul.

Títulos
 
Campeonato Chileno  1936, 1946, 1948 e 1957.

Estádio

No final de 2008 inaugurou o remodelado Estádio Bicentenário de La Florida,  por ocasião da Copa do Mundo Feminina Sub-20, de 2008, realizada no país. Com isto, o clube mudou seu nome para o Audax Italiano La Florida, como forma de identificar com a comunidade local onde joga. 
Capacidade 12.000

Alcunhas  Tanos, Audinos, Itálicos, Floridanos, La Máquina Verde, Verde de los Valles


Site

http://www.audaxitaliano.cl

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Club de Deportes Lota Schwager

O Club de Deportes Lota Schwager foi fundado em 10 de maio de 1966, graças a  fusão das equipes do Campeonato Regional de Concepción, Minas Lota e Federico Schwager, representantes das empresas carboníferas, Schwager e Lota respectivamente. Jogou  nesse mesmo ano na Segunda Divisão, obtendo um 9º lugar.
Com a direção do diretor técnico Isaac Carrasco, Lota Schwager no ano de 1969, depois de tres temporadas na Segunda, consegue seu primeiro título no profissionalismo, o que lhe valeu ser ascendido pela primeira vez a  Primera División.
Na Primera División se manteve até o ano de 1980, ano em que o clube terminou em 16º, de 18 equipes participantes. Novamente voltaria a  divisão de honra ao sagrar pela segunda vez campeão do torneio da Segunda División no  ano de 1987 com a direção técnica de Juan Ganga, porém só se manteria na Primera no ano de 1988, ano em que desceu novamente.
No ano de 1994, estando  Lota Schwager na Segunda División, desaparece, produto das crises nas minas de carvão.
Em 14 de fevereiro de 2001, depois de 7 anos de seu desaparecimento renasce Lota Schwager , desta vez como equipe amadora, participando da Tercera División do futebol chileno. Esse mesmo ano, obteve o título dessa divisão, o que significou que Lota Schwager voltara ao profissionalismo.
Desde o ano de 2002 Lota Schwager se mantém jogando sem novidade na Primera División B do futebol chileno, porém no ano de 2006, classificou para a  liguilla de promoción onde  enfrentou o Rangers, perdendo a primeira partida por 2-1 e ganhando a volta pela mesma contagem, a qual provocou uma definição por penaltis onde Lota Schwager venceu por 4-3, chegando a jogar na primeira divisão depois de 20 anos.
No ano de 2007, depois de chegar a Primera División, a equipe mineira teve um muito baixo rendimento no Torneo de Apertura, deixando como candidato a descender, logo teve que subir um pouco seu nivel no Torneo de Clausura, no entanto,  não  ajudou muito, pois na última rodada perdeu para Deportes Antofagasta por  2-1, deixando descender diretamente a  Primera B do futebol profissional chileno.

Títulos

Segunda División de Chile  1969, 1986
Tercera División de Chile 2001

Estádio

Estádio Municipal Federico Schwager está localizado na cidade de Coronel, Região do Bío Bío do Chile. Tem uma capacidade estimada em 5.731 espectadores.
O estádio tem o nome de Frederico Guilherme II empregador Schwager, relacionado com o aumento da mineração de carvão nas terras do Coronel e Lota. [2] foi construído em 1945 pelo National Coal Company (Enaco), do Chile, durante o extração mineral de pico, e tinha uma capacidade de 10.000 espectadores. Em 1984 ele foi transferido para o clube Lota Schwager, coincidindo com o início da crise do carvão. Desde 1994, o estádio pertence ao município de Coronel, que decidiu remover alguns aposentadurías ocupar para outros fins, reduzindo a actual capacidade máxima de 7.000 pessoas (em pé, sentado 5731).



Apelidos Lamparita, Mineros, Carboníferos, Lotita

Site

http://www.lotaschwager.cl/

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Club de Deportes Antofagasta

O clube foi fundado em 14 de maio de 1966, quando os clubes amadores Unión Bellavista e Portuário do Atacama mesclado. O nome original da equipe era Club de Deportes Antofagasta Portuário.
De acordo com o treinador Francisco Hormazábal, Antofagasta foi coroado campeão da segunda divisão em 1968. A final foi disputada em 19 jan 1969 contra o San Luis. O único gol da partida foi marcado pelo paraguaio Juan Ayala Pelayo. O time foi promovido à primeira divisão após esse jogo.
Em 21 de julho de 1974 a equipe mudou seu nome para Clube Regional de Antofagasta.
Em 1977, a equipe terminou em 18 º na tabela e voltou para o segundo nível.
Em 1979, Jorge León era presidente o nome da equipe e mudou o nome do clube para o Club de Deportes Antofagasta. O regional não era adequado mais, devido ao aparecimento de uma outra equipe na região de Antofagasta (Cobreloa).

Em 30 de junho de 1983 D. Antofagasta, finalmente ganharam uma promoção para o nível superior, mais uma vez, após derrotar Lota Schwager 9-0. A equipe era treinada por Manuel Rodríguez. No entanto, no ano seguinte a equipe novamente desceu para o segundo nível.
D. Antofagasta experimentou um de seus vãos de maior sucesso de 1991 a 1995, com o técnico croata Andrija Perčić no banco e jogadores como Marco Cornez e Gabriel Caballero.
Em 1997, mais uma vez, desceu para o segundo nível, terminando na parte inferior da tabela.
Em 2005, D. Antofagasta ganhou a promoção para a primeira divisão junto com o Santiago Morning.
Em 2008, o clube retornou à Primera B, terminando na parte inferior da tabela cumulativa 2007-2008.


Títulos

Segunda División de Chile  1968
Campeonato de Apertura de Segunda División  1990.

Estádio

Estadio Regional de Antofagasta é um estádio multi-uso em Antofagasta, Chile. É utilizado principalmente para partidas de futebol e é o estádio do Club de Deportes Antofagasta. O estádio tem capacidade para 26.339 pessoas e foi construído em 1964.

Apelidos Pumas, CDA, Albiceleste 


Site

http://www.cdantofagasta.cl/

terça-feira, 19 de abril de 2011

Deportivo Ñublense S.D.A.P

Ñublense Sports Club, também conhecido como a equipa vermelha (diablos rojos), devido à cor característica de suas camisas, que tem sido por 93 anos, o ponto de  entretenimento familiar ñublensina. Sua história é cheia de alegrias e decepções, que dão uma nuance diferente de dizer que o vermelho é mais que um sentimento, uma paixão. A história do clube remonta a 1916 quando um grupo de amigos, liderados pelo professor do Liceu de Homens, Manuel Lara Gutierrez, decidiram formar um clube desportivo, que é um paraíso para atividades relacionadas com o domínio do desporto em Chillán . Assim, em 20 de agosto do mesmo ano nos homens do ensino médio da cidade, que institui o desportivo "Liceo Football Club, que contou entre os seus ramos com basquete, boxe, futebol, entre outros.

A equipe de futebol, permaneceu por um longo tempo que participando do campeonato de desporto amador, onde um marco, sendo o campeão local de 11 anos consecutivos (1938-1948). Entre as suas fileiras, tornaram-se figuras proeminentes, entre eles estavam Martin Eduardo Sanhueza, Candelario Sepulveda, Tomas Bravo Figueroa, Carlos González Utreras, fontes Humberto Fagnilli, é a última, que renomeou o clube, tendo o adjetivo da província, chamando "Liceo Ñublense." 
Em 1959, graças à excelente administração do timoneiro na época, Mario Avendaño, aceitamos o pedido feito à Associação Nacional de Futebol, e vem para o profissionalismo, a partir daí que viaja em uma longa jornada marcada pela alegria e sem sabor . O primeiro ano de profissionalismo, futebol equipe preparada. O clube foi o técnico da Argentina, Martín García, distinta carreira. Com ele vieram os jovens jogadores que tinha experiência no futebol alugado. O primeiro jogador a assinar para a instituição foi Claudio Gonzalez, enquanto o primeiro goleiro do clube foi o jovem Luis Venzano Justiniano, da Universidade do Chile.


O ano de 1976 foi um dos momentos mais gloriosos da equipe, quando a presidência de Pedro Alvarez Guzman, e direcção técnica de Isaac Carrasco, campeão do time da segunda divisão e vai para o primeiro. O segundo ano na primeira divisão, a instituição viu passar um vermelho dos melhores treinadores tiveram a equipe com um novo estilo, o lendário Nelson Oyarzun Arenas marcou o jogo Reds. Apelidado de "caldo", porque o seu objectivo de obrigar uma porção generosa de sopa e de recuperação após os jogos, ele ganhou o respeito e carinho dos fãs. Na manhã de 10 setembro de 1978, morreu, vítima de câncer aos 35 anos de idade. Na tarde do mesmo dia, a equipe enfrentou ao Colo-Colo, vencendo por 2-1.

Em 1983, cai para a terceira divisão, trazendo com ela uma grande dívida, o que provoca uma mudança de nome forçada chamando de "Ñuble Reino". Durante estes três anos, percorreu uma série de técnicos e gestores, que tentou corrigir os problemas sem sucesso. 


Em 2008 nas mãos do treinador Fernando Díaz, Ñublense alcançou uma de suas melhores campanhas de futebol. Formar uma equipe com muitos jogadores que já sabia. É claro que o clube teve que lidar com a falta de um estádio, como o local de Nelson Oyarzun foi destruído e construído um mais moderno, que sediaria Sob o Mundial de Mulheres 20 Copa do Mundo. Portanto, os Reds exercido seus jogos no Estadio Fiscal de Linares, trazendo magra conseqüências econômicas para o clube, que terminou com um déficit que supera 100 milhões de pesos.

Atualmente joga na Primera Divisão do Chile 

Títulos

Segunda Divisón 1976
Tercera División: 1985, 1992 e 2004  



Estadio  

Estadio Bicentenario Municipal Nelson Oyarzún é um estádio localizado em Chillán, no Chile e propriedade do município Chillán. É a casa de Ñublense clube de futebol. É nomeado após Nelson Oyarzún Arenas, um treinador Ñublense. Foi inaugurado em 1961 e tem uma capacidade de 12.000.

Em 2007 o estádio foi escolhido como local para Mundial de 2008 FIFA U-20 Women's Cup, e para cumprir com as normas da FIFA, foi totalmente demolido e reconstruído (mesmo a direção do campo enfrenta foi alterada), a capacidade foi reduzida de 17.500 para 12.000, e um telhado que cobre todos os lugares foi construída. O estádio foi reinaugurado em 02 de novembro de 2008.


Hino
 
Es ñublense una sola bandera
Desde la cordillera hasta el mar
Es su nombre ese grito de guerra
Todo Ñuble le quiere cantar
Es el canto del hombre en los campos
Y ciudades de nuestra región
Diablos rojos de todos los barrios
Un ejemplo de esfuerzo y valor.
Va Ñublense flameando en el viento
De esa espera altanera hasta el fin
Ñublensino de todos los tiempos
Con la fuerza que quiere vivir
Diablos rojos de nuestra región
A ñublense todo el corazón
Ñublensino de esfuerzo y valor
Es Ñublense una sola canción (Bis)

Apelidos Diablos Rojos ; Longaniza Mecánica 

Site 
http://www.cdnublense.cl