sexta-feira, 30 de abril de 2010

União Esportiva Coelho da Rocha

Clube formado a partir da fusão do Novo Rio Futebol Clube, fundado a 14 de novembro de 1974, que já havia disputado a Divisão de Acesso (Segunda Divisão de Profissionais) de 1978, 1979 e 1980, com o escrete amador Sport Club União da Mocidade, o então detentor da sede. A união de ambos criou uma das agremiações mais tradicionais da Baixada Fluminense.
Sua estréia no futebol profissional se dá, em 1981, quando disputa o Campeonato Estadual da Terceira Divisão. É o terceiro colocado no certame que promoveu o campeão Mesquita Futebol Clube e o vice Rubro Atlético Clube.
Em 1982, é o segundo colocado na primeira fase, classificando-se para o quadrangular final, no qual é o último colocado, e que promoveu Esporte Clube Siderantim e Clube Esportivo Rio Branco.
Em 1983, se classifica em terceiro em sua chave, voltando a figurar na fase final composta por sete equipes. Fica na posição de sexto colocado no certame que promoveu o Nacional Foot-Ball Club e a Associação Atlética Cabofriense.
Em 1984, se licencia do campeonato provavelmente por problemas de ordem financeira. Volta em 1985, com uma campanha bastante fraca, permanecendo na última posição na fase inicial em uma chave composta de seis times.
Em 1986, protagoniza um clássico duelo no estádio do Maracanã contra o Tomazinho Futebol Clube na preliminar de uma decisão de Estadual entre Clube de Regatas Vasco da Gama e o Clube de Regatas Flamengo. Naquele campeonato da Terceira Divisão foram promovidos o próprio Tomazinho e o Esporte Clube Nova Cidade, de Nilópolis, que começava a sua trajetória ascendente rumo à Primeira Divisão. O Coelho da Rocha foi o quarto na classificação geral.
Em 1987, é o último colocado entre quatro agremiações de sua chave e é precocemente eliminado do campeonato. Em 1988, termina como líder da primeira fase em seu grupo, se habilitando à seguinte, à qual fica em segundo, caindo ante ao Itaguaí Atlético Clube, que chega às semi-finais. Foram promovidos naquele ano o União Nacional Futebol Clube e o América Futebol Clube de Três Rios.
Em 1989, advém um novo período de licença que perdura até o ano seguinte quando a agremiação das cores preta, vermelha e branca retorna à Terceira Divisão de Profissionais. Em 1990, a campanha é ruim. É apenas o último colocado em uma chave composta de nove participantes, e acaba eliminado.
Em 1991, com a transformação da Segunda Divisão em Módulo "B" da Primeira, o clube é remanejado à Segunda Divisão, na prática a antiga Terceira. Fica em último na sua chave composta de oito equipes.
Nos dois anos seguintes o Coelho da Rocha se distancia novamente dos campeonatos de âmbito profissional devido a problemas de ordem financeira.
Em 1994, volta na mesma Segunda Divisão. A campanha é regular. Sexto colocado em um grupo composto de dez agremiações. Não se classifica para a fase posterior.
Advém um novo período de licenciamento que dura até 1997, quando volta na Quarta Divisão, conquistando o vice-campeonato, ao perder a final para o Cosmos, de São Gonçalo.
No ano seguinte, se licencia novamente do profissionalismo. Volta, em 1999, na Terceira Divisão com um retrospecto bastante bom. Se classifica em segundo em sua chave, perdendo a liderança para o Everest Atlético Clube. Na segunda fase termina em quarto em outra chave e não chega às finais do certame vencido pelo Angra dos Reis Esporte Clube.
Em 2003, joga o seu último campeonato em âmbito profissional ao disputar a Terceira Divisão de Profissionais. Se classifica em segundo em sua chave,, chegando à segunda fase. Nesta, acaba eliminado ao ficar em quarto lugar numa chave que classificou apenas dois clubes, o Bonsucesso Futebol Clube e o Três Rios Futebol Clube.
Problemas de ordem financeira e maiores exigências por parte da FFERJ fizeram com que o clube se afastasse das competições profissionais, se dedicando somente aos campeonatos de São João de Meriti, promovidos pela Liga Independente de Futebol Meritiense, os quais sempre se destaca. Todavia, não está descartada uma futura volta da agremiação à disputa dos campeonatos promovidos pela FFERJ.

Foi no estádio do Coelho da Rocha, o José Amorim Pereira, que Ronaldo "Fenômeno" fez a sua estréia nos gramados, assinando a sua primeira súmula. Ele estreou pelo São Cristóvão de Futebol e Regatas no dia 12 de agosto de 1990, quando tinha apenas 13 anos, em um jogo contra o Tomazinho Futebol Clube. Marcou três gols na vitória por 5 a 2 pelo Estadual da categoria Mirim.

Estádio
Manda seus jogos no estádio José Amorim Pereira, que possui capacidade para 5.000 pessoas, e que possui até refletores. O Coelho da Rocha veste vermelho, preto e branco.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Pinheirense Esporte Clube

Pinheirense Esporte Clube é um clube brasileiro de futebol, do Distrito de Icoaraci, pertencente à cidade de Belém, capital do estado do Pará
Esse denominação deriva-se do primeiro Clube de Futebol de Icoaraci, bem como, do primeiro nome dado à Vila Sorriso, São João do Pinheiro.
O Pinheirense foi o vice-campeão da segunda divisão do torneio em 2007. Passaram pelo “General”  o zagueiro Totti (Ex-Tuna), a jovem revelação Jabá e o atacante Albertinho(Ex-Paysandu, Guarani e Tuna), famoso por ter vestido a estátua do leão azul presente no estádio do Clube do Remo com a blusa do Paysandu, ao comemorar um gol em um Re x Pa.
Fundado em 8 de dezembro de 1925, manda seus jogos no Estádio Abelardo Conduru, com capacidade para 5.000 espectadores. As suas cores são azul e branco.
Alcunhas
General da Vila

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Sport Club Barueri

O Sport Club Barueri é um clube brasileiro de futebol da cidade de Barueri, no estado de São Paulo. Até o ano de 2010, chamava-se Campinas Futebol Clube, e pertencia a cidade de Campinas. Disputa a Série A3 do Campeonato Paulista, e manda seus jogos na Arena Barueri, que tem capacidade para 26 mil pessoas.
No dia 1 de janeiro de 1998 foi realizada a fundação do Campinas Futebol Clube, por iniciativa dos ex-jogadores Careca e Edmar Bernardes. No começo, o time mandava seus jogos na cidade de Pedreira, cerca de 44 km de Campinas, mas com a reforma em 2003 do Estádio Cerecamp, também conhecido como Estádio da Mogiana, a equipe passou a mandar seus jogos no local, onde o Esporte Clube Mogiana mandava seus jogos nas décadas de 1940 e 1950.
Após boas campanhas realizadas na Série B em anos anteriores, a equipe enfim consegue o acesso da quarta para a terceira divisão do Paulistão em 2008. Estreia no ano seguinte na A3, onde acabou ficando numa posição intermediária na tabela, garantindo assim a permanência na divisão.
No dia 09 de outubro de 2009, o filho do Prefeito de Barueri, Rubens Furlan Júnior, os Secretários Municipais de Barueri, José Roberto Piteri (Obras), Antônio Eustáquio Moisés (Comunicação), José Calil (Esportes) e o Assessor do Prefeito, Sr. Luiz Roberto Correa, além de outros amigos fundaram o Sport Club Barueri.
No dia 24 de janeiro de 2010, com problemas financeiros, o Campinas Futebol Clube é vendido e se transfere para o município de Barueri, somado a falta de apoio da prefeitura de Campinas e ação de empresários, e passa a se chamar Sport Club Barueri, jogando na cidade de mesmo nome e utilizando os CTs e estádio deixados pelo Grêmio Barueri Futebol Ltda., que se transferiu em 2010 para Presidente Prudente.
Em sua primeira partida na nova sede, realizada no dia 31 de janeiro de 2010 pela Série A3 do Paulistão, a equipe ainda utilizava o nome, uniforme, escudo e os jogadores da antiga sede, mas acaba sendo derrotado pelo Penapolense pelo placar de 2x1, em Barueri.
Ainda na primeira participação da Série A3 do Paulista, o Sport Club Barueri não obteve o mesmo êxito que outrora obtivera o Grêmio Barueri (que obteve 7 acessos consecutivos), tendo escapado do rebaixamento apenas na última partida.

Estádio

Arena Barueri
Capacidade 26.000

Site

http://www.scbarueri.com/

terça-feira, 27 de abril de 2010

Miramar Esporte Clube

O Miramar Futebol Clube é um clube brasileiro de futebol, sediado na cidade de Cabedelo, no estado da Paraíba. Irá disputar o campeonato paraibano da segunda divisão em 2010.
Fundado em março de 1923. Na história recente do clube foi campeão da segunda divisão do campeonato paraibano em 2001, passando quatro anos na primeira divisão. Já esteve à frente de times como Treze e Campinense no campeonato paraibano de 2003. Em 2004 foi vice-campeão da Copa Paraíba.

Estádio

Manda seus jogos no Estádio Francisco Figueredo.
Capacidade 2000
  
Títulos

Campeonato Paraibano - 2ª Divisão: 2001.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Futebol Clube Cascavel

Foi fundado em 23 de janeiro de 2008 pelo jogador do Chelsea Football Club da Inglaterra Juliano Belletti, com a finalidade de promover e ajudar o futebol de base na regiao oeste do Parana. Em 2008, o clube tinha apenas a categoria de base, mas em agosto de 2009 deu inicio ao futebol profissional com a participação na Campeonato Paranaense de Futebol de 2009 - Terceira Divisão, onde fez a final da competicão contra a equipe da cidade de Pato Branco o Pato Branco Esporte Clube onde acabou deixando escapar o título em sua própria casa sendo goleado por 4 a 0 mais mesmo com esse resultado,a equipe de Cascavel. garantiu sua presença na divisão de acesso e ira disputar em 2010 o Campeonato Paranaense de Futebol de 2010 - Segunda Divisão ou Série Prata
O Futebol Clube Cascavel conta com o centro de treinamento Belletti Sports, que tem dois campos para treino com medidas oficiais e conta com alojamento para seus jogadores.

Estádio

A equipe manda seus jogos da categoria de base na Associação Atlética da Coopavel e do profissional no Estádio Olímpico Regional Arnaldo Busatto.

Site

http://www.fccascavel.com.br/

domingo, 25 de abril de 2010

Itinga do Maranhão Esporte Clube

Fundado em 2007, disputa a segunda divisão e é campeão logo no seu ano de estréia. Em 2008, o clube diputou pela primeira vez o Campeonato Maranhense da Primeira divisão, terminando em 8°. Rebaixado em 2009, após terminar na laterna do campeonato. Suas cores são verde, amarelo e branco.

Estádio

O Estádio Ildemar Gonçalves dos Santos, também chamado de Demazão, é um estádio de futebol localizado na cidade de Itinga do Maranhão, no estado do Maranhão, tem capacidade para 1.720 pessoas e pertence à Prefeitura Municipal.

Título

Campeonato Maranhense - 2ª Divisão: 2007.
Mascote Onça

sábado, 24 de abril de 2010

Associação Atlética Aparecidense

Fundada em  22 de Outubro de 1985, se profissionaliza em 1992,  disputando a Segunda Divisão Goiana. Em 1995 , conquista o Vice Campeonato Goiano da Segunda Divisão, vencido pelo Bom Jesus, conquistando assim a vaga na Primeira Divisão
Penúltimo colocado no Estadual de 97 , o Aparecidense acaba sendo rebaixado para a Segunda Divisão, mas acaba não disputando no ano seguinte.
Retorna a disputar a Segundona em 99, nesse ano foram promovidos 8 clubes, com o Aparecidense ficando em quinto, mas o clube pede licenciamento á federação.
O clube retorna as competições em 2002 , tornando-se o primeiro Campeão da Terceira Divisão Goiana. Logo após o término do torneio o clube disputou a Segunda Divisão.
Novamente fica com o Vice Campeonato da Segundona em 2004 e conquista o acesso, em um quadrangular final conquistado pelo Mineiros.
Em 2007, o time desiste da disputa do Campeonato Goiano, é rebaixado, e cede o lugar para a Canedense.
Em 2008 , mais um acesso, mais um vice campeonato, em quadrangular final vencida pelo Santa Helena.
Em seu retorno a elite o clube fica em último lugar na competição e é novamente rebaixado.

Títulos

Vice-Campeonato Goiano da Segunda Divisão: 2 vezes (1995, 2004 e 2008).
Campeonato Goiano da Terceira Divisão: 2002.



Estádio 

Aníbal Batista de Toledo
Capacidade: 8000 pessoas
 

Hino

É o azul e branco, que faz meu coração bater/ Pela Aparecidense que nasceu pra vencer!
É o azul e branco, que faz meu coração bater/ Pela Aparecidense que nasceu pra vencer!
Desde 1985 a Aparecidense faz parte da nossa vida/ É o orgulho da Cidade, de Aparecida,
É garra é amor é a nossa emoção/ Sou Aparecidense de coração!
É garra é amor é a nossa emoção/ Sou Aparecidense de coração!
Rolando de pé em pé/ A gente chega junto com a Aparecidense/ Onde o azul e branco estiver!
 

Mascote: Camaleão 

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Sociedade Esportiva Brazlândia

A Sociedade Esportiva Brazlândia é um clube de futebol da cidade-satélite de Brazlândia no Distrito Federal,Brasil. Fundado 5 de Junho de 1995
Em 2007, desbancou qualquer favoritismo do Legião Futebol Clube, e mostrando uma raça impressionante conseguiu vencer a segunda divisão estadual, ingressando com tudo para o candangão 2008.
A camisa do Sociedade Esportiva Brazlandia, foi inspirada na Obra do artista plastico Francisco Galeno, morador da cidade de Brazlândia, esta figura representa a calçada do principal ponto turistico da cidade o lago Veredinha.

Títulos 

Campeonato Brasiliense - 2ª Divisão: 2007.



Estádio

Com capacidade para 8 mil pessoas, o Chapadinha serve de casa para a Sociedade Esportiva Brazlândia.

Apelido : Tricolor da Chapadinha

Mascote : Onça



quinta-feira, 22 de abril de 2010

Esporte Clube Associação dos Sargentos da Amazônia

Esporte Clube Associação dos Sargentos da Amazônia é um clube brasileiro de futebol da cidade de Manaus. O Clube é formado por militares, e estreou no futebol profissional amazonense em 13 de setembro de 2009 contra o Nilton Lins com derrota por 4 x 1.
No primeiro turno da 2ª divisão do Campeonato Amazonense 2009 o time não se saiu bem, ficando apenas em 4° lugar entre os cinco participantes. Já no segundo turno a equipe recebeu alguns reforços e recuperou-se, ficando em 1° lugar, indo para a final contra o Manaus Compensão,Asa da Amazônia sagrou-se vice campeão da 2ª divisão do Campeonato Amazonense 2009 classificando para a Primeira Divisão do Campeonato Amazonense de 2010.
Na elite do estadual, em 2010, o ASA fez uma péssima campanha, tendo perdido todas as 13 partidas que disputou, culminando assim com o último lugar na classificação geral, sem ter marcado nenhum ponto, e consequentemente, o rebaixamento à Série B amazonense de 2011.

Estádio

O Estádio Roberto Simonsen, conhecido como SESI,  localizado na cidade de Manaus, no estado do Amazonas. Pertence ao SESI e com a demolição do Estádio Vivaldo Lima para a construção da Arena Manaus, estádio para a Copa do Mundo de 2014, será utilizado pelos times de futebol e nos seguintes até a conclusão do novo estádio. de Manaus no

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Sendas Esporte Clube

Clube-empresa pertencente a uma grande rede de supermercados homônima, a agremiação começa através de um projeto social na sua sede em São João de Meriti. A ideia, que parecia inicialmente limitada às categorias de base, acaba por se engrandecer à medida que é formado um plantel para as competições de âmbito profissional.
Estreia em 2007 no Campeonato da Terceira Divisão de Profissionais, tornando-se o campeão e sendo promovido à Segunda Divisão do ano seguinte, à qual disputa e passa da primeira fase, mas é logo eliminado na segunda.
Em 2009, obtém a terceira colocação na Copa Rio, tendo o melhor ataque e o artilheiro Daniel, além de campeão estadual da Segunda Divisão de Juniores, ao derrotar na final o Artsul Futebol Clube por 2 a 0, no Estádio Nivaldo Pereira, em Austin.
Suas cores são o laranja, o verde e o branco.

Títulos

Campeonato Carioca - 3ª Divisão: 2007;
Campeonato Carioca - 2ª divisão - Categoria Juniores: 2009

Estádio 

Mini-Estádio CT Sendas E.C. 

A equipe Profissional e as equipes das categorias de base do Sendas E.C. mandam seus jogos no estádio que fica em nosso Centro de Treinamento.

O principal campo do CT Sendas E.C. tem como medidas: 100 x 68m, capacidade para atender 1000 espectadores divididos em local para visitantes e local para a torcida da casa, 2 lanchonetes, área VIP com ar condicionado, tribuna de imprensa, além de possuir um dos melhores gramados do Brasil.



Site
http://www.sendasec.com.br

terça-feira, 20 de abril de 2010

Atlético Esportivo Araçatuba

No final de 2004, o presidente da Associação Esportiva Araçatuba, Nei Giron, pretendia mudar o nome do clube que representaria a cidade de Araçatuba na Segunda Divisão Paulista (Série A2) em 2005. O novo nome seria o Atlético Esportivo Araçatuba. O clube entraria na vaga da Araçatuba graças a uma manobra jurídica. Oficialmente, o Canário fora dado como licenciado. A Federação Paulista de Futebol permitiria então que um clube da mesma cidade ocupasse a vaga do outro de forma provisória. O novo clube de Araçatuba seria o Atlético Esportivo Araçatuba, fundado em 5 de outubro de 2002, com as mesmas cores do AEA e com o apelido de Tigrão.

Alguns clubes do interior - XV de Piracicaba e São José - indignados com a manobra recorreram da novidade e exigiram a vaga na Segunda Divisão. O presidente Nei Giron confirmou que a mudança seria em razão das enormes dívidas judiciais existentes no clube, orçadas em mais de R$ 4 milhões. Segundo entrevistas para a Folha da Região, Nei Giron confirma que "a troca da Associação Esportiva Araçatuba para Atlético Esportivo Araçatuba é uma maneira jurídica de colocar um time com nome totalmente limpo praça e que não ficará sujeito às penhoras da Fazenda Nacional e a bloqueiros de receita pela Justiça do Trabalho"
Em dezembro de 2003, a Araçatuba foi notificada pela Federação Paulista de Futebol de que não poderá alterar o nome de "Associação Esportiva Araçatuba" para "Atlético Esportivo Araçatuba", conforme pretendia o presidente Nei Giron. Segundo a Federação, para que o time mudasse de nome e permanecesse na Série A-2 do Campeonato Paulista, teria que assumir todas as dívidas contraídas com antigo nome. Com a impossibilidade de mudança, que sanearia as dívidas do clube, Nei renunciou ao cargo. Eleições foram convocadas e o nome presidente manteve o nome e disputou o campeonato com o velho Associação Esportiva Araçatuba. Um mês depois, o Atlético Esportivo Araçatuba decidiu disputar a Quarta Divisão do futebol paulista.
Com o recente rebaixamento da Araçatuba, caso Atlético não consiga o acesso, os clubes poderão se enfrentar pelo Campeonato Paulista da Segunda divisão em 2008, iniciando certamente uma nova rivalidade municipal no futebol do interior paulista.
No ano de 2009 o Tigrão da Noroeste conseguiu o acesso para a série A3 de 2010 com o vice campeonato da Segunda Divisão do Campeonato Paulista de 2009, podendo então voltar a disputar o clássico regional contra o Bandeirante.

Estádio

O Estádio Municipal Adhemar de Barros, conhecido por Ademarzão, é um estádio de futebol localizado na cidade de Araçatuba, no estado de São Paulo, tem capacidade para 5.010 pessoas.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Associação Esportiva Araçatuba


O Araçatuba foi fundado em 15 de dezembro de 1972 tendo como 1º presidente Geraldo da Costa e Silva. O Ferroviário do Santana inspirou a criação do Esporte Clube Ferroviário, clube que se tornou profissional nas mãos do comerciante Hélio Protti, dono de selaria, e disputou os quadrangulares finais da antiga Divisão Especial (atual A-2) nos anos de 1967 e 1968. Dirigido pelo folclórico João Avelino, o popular 1971, o time foi eliminado na reta final. Em 1969, o Ferroviário virou o Araçatuba Futebol Clube, que em 1971 se transformou em T-Maia — o time profissional da cidade passou a ter o patrocínio do frigorífico do milionário pecuarista Sebastião Ferreira Maia. Apenas em 1972, quando o então presidente da Federação Paulista, Mendonça Falcão, proibiu que os clubes tivessem nome de empresas, foi criada a AEA.

Atualmente a equipe enfrenta uma grave crise dentro e fora do campo. A equipe venceu pela última vez em 31 de julho de 2005 - a equipe foi rebaixada de divisão nas últimas duas temporadas (da segunda para a quarta divisão do Campeonato Paulista). Devido ao desempenho da equipe (o pior dentre as equipes das três principais divisões do campeonato paulista), a AEA já foi chamada de "Íbis Paulista", numa alusão à equipe pernambucana do Íbis Sport Club.
Atualmente a equipe se encontra licenciada da federação paulista.

Estádio:
 
Ademar de Barros
Capacidade: 18.000 pessoas

Títulos
Campeonato Paulista - Série A2: 3 vezes 1973, 1991 e 1994)

Alcunhas: AEA, Canarinho


Mascote: Canário

domingo, 18 de abril de 2010

Amadense Esporte Clube

O Amadense Esporte Clube é um clube de futebol da cidade de Tobias Barreto (até 2005, a equipe tinha como sede a cidade de Nossa Senhora da Glória), no estado de Sergipe. Foi fundado dia 23 de agosto de 1981 e suas cores são o verde e o branco.
O time de Sergipe recebeu o nome de Amadense em homenagem ao escritor Jorge Amado, que ajudava o clube financeiramente na disputa do Campeonato Sergipano. Com a morte do escritor, os torcedores temem que o Amadense se acabe.

Estádio

O Estádio Antônio Brejeiro, mais conhecido como Brejeirão, é um estádio de futebol localizado em Tobias Barreto, no estado de Sergipe.


Seu nome foi dado em homenagem a um nobre parlamentar da cidade. Fundado em tempos recentes, serve como mando de campo para dois times da cidade de Tobias Barreto: o Amadense e o Sete de Junho. É, desde sua construção, administrado pela prefeitura da cidade e possui desde o erguimento capacidade para 3 mil pessoas

sábado, 17 de abril de 2010

Clube Atlético Potengi

O Clube Atlético Potengi nasceu com o objetivo de revelar atletas para o futebol brasileiro. Tentou uma parceria com o Atlético Parananense, que acabou não dando certo. Mas, a recompensa em investir no futebol profissional concretizou-se esta semana, quando o clube foi convidado pela Federação Norte-rio-grandense de Futebol para disputar, pela primeira vez, o Campeonato Estadual.

Ainda comemorando a conquista da vaga para disputar a elite do futebol profissional, o presidente Carlos Alberto já anunciou que pode contratar jogadores de renome no Estado para reforçar o time, que é formado apenas por jogadores juvenis e juniores. Biro-Biro, ex-América, Silvio "Madona", o "veterano" Romildo e Joelson, do futebol de areia, estão na lista do presidente rubro-negro. "A nossa intenção é mesclar a juventude com a experiência. Não queremos fazer feio. Temos que honrar o futebol da zona norte e para isso, precisamos fazer um bom campeonato", comentou Carlos Alberto.
O Atlético da Zona Norte, como é mais conhecido, filiou-se a FNF em 2001 para disputar os campeonatos estaduais das categorias juniores e juvenil. Nesta temporada, inclusive, o time surpreendeu e terminou na quarta posição geral.
O Atlético treina diariamente em três campos da zona norte: Formigão, área de lazer Panatis e em Pajuçara. "Com essa oportunidade de participar do campeonato profissional poderemos reivindicar um estádio para a zona norte", disse Carlos Alberto. O CAP vai mandar os seus jogos no estádio Luiz Rios Bacurau (Alçapão do Touro).
O Atlético Potengi é o mais novo clube a ser inserido no seleto grupo de clubes de futebol profissional do Rio Grande do Norte. A direção do Atlético Potengi já tentava desde o ano passado disputar o Campeonato Estadual na Série B, patrocinado pela Federação Norte-rio-grandense de Futebol, mas não aconteceu a competição para possibilitar o acesso, via bola rolando nos gramados, do clube da Zona Norte (Atlético Potengi) chegar a elite do futebol do RN. Devido a quebra temporária do futebol profissional da cidade de Mossoró, que resultou na desistência do Estadual 2003 pelos clubes Potiguar e Baraúnas, a Federação Norte-rio-grandense de Futebol - FNF fez o convite para que o Atlético Potengi entrasse na competição no grupo B. Os nove clubes que estavam representados na terceira reunião do Conselho Arbitral para tomar decisões a respeito do Estadual 2003 aceitaram de bom agrado a entrada do Atlético Potengi e desejaram uma boa participação da nova equipe de futebol profissional na sua estréia no Campeonato Potiguar 2003.
Vice-campeonato potiguar - 2ªdivisão:2009.

Há alguns anos, quando o Clube Atlético Potengi ainda jogava no Machadão contra o Potyguar de Currais Novos, na 2ª divisão do Campeonato do Rio Grande do Norte, um jogador atleticano se destacava por ser baixo e por seus dribles desconcertantes. Era o Dirran, com seus lançamentos perfeitos e seus gols desconcertantes.

O narrador da Rádio Poti não cansava de gritar:
"Dirran é um craque, Dirran é uma revelação do futebol norte-riograndense". E era Dirran prá cá, Dirran pra lá
No final do jogo, o Clube Atlético Potengi perdeu por 3 x 1, mas o destaque daquele jogo foi o jogador Dirran.
Vendo aquele sucesso todo do jogador atleticano, um jovem repórter da Rádio Poti foi fazer uma entrevista com o craque na beira do gramado e foi logo perguntando:
"Você tem parentes na França? Esse seu nome é de descendência francesa?".
O jogador, olhando espantado para o repórter, respondeu:
"Não sinhô! É que eu sô baixinho! Por isso o meu apelido é Cú de Rã, mas como num pode fala na rádio. então, eles abrevia".
 
 
Estádio

As partidas do time da Zona Norte serão disputadas no estádio Luís Rios Bacurau, em Santo Antônio dos Barreiros, município de São Gonçalo, bem próximo a Zona Norte de Natal.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Grapiúna Atlético Clube

O Grapiúna Atlético Clube é um clube de futebol brasileiro, da cidade de Itabuna, no estado da Bahia. Suas cores são amarelo e preto. Fundado em 11 de março de 1996



Estádio

Luiz Viana Filho

Capacidade 14.000

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Independente Atlético Clube

O Independente Atlético Clube foi fundado no dia 28/11/1972 e registrado na Federação Paraense de Futebol no dia 06/10/1981, o clube foi um ideal do seu fundador e patrono, Francisco Marques Bastos, o qual sempre administrou clubes de futebol, entre eles o Izabelense e a agremiação de nome Internacional, que era conhecido como a Seleção Paraense, devido possuir vários atletas profissionais do Clube do Remo, Paysandú Sporte Clube e Tuna Luso Brasileira.
O Francisco Bastos resolveu oficializar a criação de uma agremiação, fundando o Independente Atlético Clube, adotando as cores verde, branco e azul com a cruz de malta vermelha em homenagem ao Clube de Regatas Vasco da Gama, tendo o galo como símbolo, transformando-se em uma agremiação de família, e, a partir de 1983, passou a adotar, também, a prática do Futebol Feminino, onde já passaram várias atletas da Seleção Brasileira de Futebol Feminino, como cebola, formiga e outras, inclusive chegando a conquista do Brasileiro de Futebol Feminino no ano de 1990 na cidade de Águas de Lindóia.
Trocou a sede de Marambaia para Tucuruí em 2009


O dinheiro de prefeituras também entra em cena no futebol do Pará. Cinco das oito equipes da primeira divisão são financiadas pelo poder municipal. Um desses casos é o Independente, sustentado pela prefeitura de Tucuruí. Após vários anos longe da elite paraense, o clube retornou em 2010 e chegou até as semifinais do primeiro turno.


O Independente conquistou  o título de Campeão Paraense da Segunda Divisão 2009. O título veio após o empate em 3 a 3 com o Santa Rosa no estádio Navegantão em Tucuruí-PA.
Pela primeira vez, com apoio da Prefeitura Municipal, Tucuruí tem um time profissional com vários atletas do município, compondo seu elenco.

Títulos


Campeonato Paraense - 2ª Divisão: 2009.
 
Estádio: Navegantão
Capacidade: 5.000 lugares
 
Alcunhas Galo Elétrico


Mascote Galo

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Associação Desportiva Senador Guiomard

A Associação Desportiva Senador Guiomard, ou Adesg é um clube brasileiro de futebol, sediado na cidade de Senador Guiomard, no Estado do Acre. Seu mascote é um leão. É o primeiro campeão sediado em uma cidade do interior do Estado, desde a criação do campeonato estadual.

A Adesg foi fundada no dia 26 de janeiro de 1982. O clube recebeu o nome da cidade que, por sua vez, homenageou José Guiomard dos Santos, parlamentar autor da lei nº 4.070, de 15 de junho de 1962, que elevou o então território do Acre à categoria de Estado.
Em 2005, ao derrotar o Juventus na final pelo placar de 2 a 0, a Adesg conquista o Torneio da Imprensa (Torneio Início). E no dia 28 de maio de 2006, a Adesg alcançaria sua maior glória: conquistou o Campeonato Acreano de forma invicta, ao derrotar o Independência por 3 a 0 no Estádio José de Melo, garantindo seu passaporte para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C e da Copa do Brasil do ano seguinte. Pela primeira vez, um clube fora da capital Rio Branco era campeão acreano.
Na disputa pela Copa do Brasil de 2007, a Adesg perdeu a primeira partida para o Fluminense no Acre por 2 a 1, vindo a jogar a partida de volta no Estádio do Maracanã, perdendo desta vez por 6 a 0, mas se apresentando pela primeira vez neste grande estádio.

Títulos

Campeonato Acriano: 2006.
Torneio Início: 2005.

Estádio

O Estádio Nabor Júnior, conhecido como Naborzão, é um estádio de futebol da cidade de Senador Guiomard, estado do Acre. Pertence à Prefeitura Municipal e atende à Associação Desportiva Senador Guiomard e ao Floresta Futebol Clube. O nome é uma homenagem ao senador acreano Nabor Júnior.
Capacidade 4000

Mascote  Leão

Apelido Leão do Quinari

terça-feira, 13 de abril de 2010

Clube Esportivo Rio Branco

O clube revelou Didi, o famoso inventor da "Folha Seca". Sua melhor performance, após a fusão dos estados do Rio de Janeiro e da Guanabara, foi a 4º colocação no Estadual da Segunda Divisão, em 2002. Ganhou em 1980, o Campeonato Estadual de Juiniores da Divisão de Acesso, o primeiro título em se tratando de Divissão de base após a fusão.

O início foi modesto, já que a grande agremiação foi fundada por meninos, cujas idades oscilavam entre 13 e 15 anos e que pertenciam as melhores famílias de Campos.
A tonalidade rósea dos seus rostos corados e sadios determinou a escolha da cor preponderante das camisas da agremiação, por sugestão, aliás, de Yayá Linhares, irmã de Celso Linhares, um dos fundadores.
Ao lado de Celso Linhares, os meninos Custódio Barroso dos Santos, Manoel Landim, Fausto Apady da Cruz Saldanha e Brasil Castilho Leão pensaram criar um clube, pois residindo nas imediações da Praça da República, assistiam sempre os treinos do Goytacaz Futebol Clube, o que lhes despertou o interesse pelo viril esporte bretão. De início, houve a fase dos treinos despretensiosos com bola de meia. Mais tarde, apareceu a idéia de nome ao time. Todos estudantes, resolveram escolher para denominar a agremiação por eles arquitetada, em seus sonhos juvenis, a legenda Barão do Rio Branco.
Com efeito, o grande estadista brasileiro morrera em fevereiro de 1912 e os moços campistas aproveitaram para prestar uma singela homenagem ao homem que é responsável pela consolidação dos limites do Brasil. Estava, assim, fundado o clube que iria exercer um papel relevante na história do futebol campista.
Depois de fundado o Clube, veio a fase mais difícil da novel agremiação, isto é, quando os meninos róseos da Praça da República deveriam enfrentar a turma adulta dos outros times.
A fase difícil, porém, parecia não terminar nunca. Quando a “garotada” cresceu e quando tudo parecia que o clube iria se estabilizar, surgiu a grande crise de 1914, quando oito integrantes da agremiação, sem dúvida, os seus melhores jogadores, liderados pelos irmãos Pamplona, deixavam o time para fundar o Americano Futebol Clube, com jogadores egressos do Luso Brasileiro e Aliança. A morte do Rio Branco foi impedida pelos valorosos Floriano Quitete, Velho Grilo e os irmãos Celso e Carlos Linhares.
As coleções dos jornais campistas da época têm perpetuada a flama desses homens que através deles deixavam claro que o seu time não morreria com o êxodo terrível, mas que seria recomposto com integrantes novos. E assim foi. E graças ao grande amor devotado as cores do time, a fase má foi vencida e três anos mais tarde, isto é, em 1917, a agremiação se transformava numa das grandes forças do futebol fluminense, levantando o Campeonato Campista daquele ano com o seu célebre time: Grain; Batista e Germano; Badanho, Velhinho, e Barreto; Otacílio(Dedé), Floriano Quitete, Velho Grilo, Antoninho Manhães e Álvaro Linhares.
Teve, inclusive, em certa época de sua vida, até mesmo o “boicote” dos cronistas esportivos da cidade, o que levou os riobranquenses a fundar o jornalzinho “O Róseo Negro”, dirigido por Hélvio Bacelar da Silva, para dar notícia sobre suas atividades. Há, ainda, a dissidência que deu origem à fundação do Itatiaia Atlético Clube, dessa vez liderada pelos irmãos Bacelar da Silva, mas que não conseguiu apagar o “fogo” sagrado, aceso pela garotada corada da Praça da República!
O Itatiaia acabou após uma goleada de 17 a 0 sofrida diante do Americano e um incêndio na sede onde promovia bailes na antiga Rua da Direita, hoje, Boulevard Francisco de Paula Carneiro.
O crescimento não parou mais. Saiu da Praça da República para outros campos até adquirir, na gestão Mário Veloso – do sr. Menês dos Santos por trinta contos de réis -, os amplos terrenos da avenida Sete de Setembro, somando 12 mil metros quadrados, onde funcionou até o final da década de 70. Em 6 de janeiro de 1978, o então presidente Clóvis Expedito Arenari, apoiado pelo Conselho Deliberativo, presidido por Chaquib Machado Bechara, adquiriu a área do hoje Parque Barão do Rio Branco, com 97 mil metros quadrados ao preço de Cr$3.700.000,00 (Três Milhões e setecentos mil cruzeiros).
O primeiro campo do fundado Rio Branco Futebol Clube foi na Rua Dr. Siqueira, depois na Rua da Minhocas (hoje, Espirito Santo), passando depois para a Rua do Gás( onde funcionou o Itatiaia), Sete de Setembro e finalmente Parque Calabouço (hoje, Parque Barão do Rio Branco). Um fato marcante ajudou na aquisição dos terrenos da Sete de Setembro. Os jogadores campeões de 1928 doaram as medalhas de ouro que receberam ao Clube, dentre eles Carino Quitete, Constantino Escocard, Osvaldino Lima Ribeiro , Vicente Arenari e Mário Jobel.
A recente história pode ser contada a partir da mudança para o Parque Calabouço, hoje Barão do Rio Branco, mudança efetivada a partir de proposta do vereador Geraldo Augusto Venâncio. A mudança da Av. Sete de Setembro para a atual sede da avenida Senador José Carlos Pereira Pinto, ocorreu no final da década de 70, promovida pelo então presidente Clóvis Expedito Arenari.No ano de 1962 o Rosão foi vice-campeão da Zona Sul da TAÇA BRASIL,o campeão foi o Cruzeiro.
O bacharel em direito Clóvis Arenari não só entrou para a história como o presidente que teve a coragem de vender uma sede em área urbana e adquirir um imenso terreno num inabitado e na época periférico bairro, como também está na história do Clube como o dirigente que mais vezes presidiu o Clube. No início dos anos 90, este mesmo Clóvis Arenari convidou o vitorioso médico, Paulo Sérgio dos Santos Machado, para candidatar-se a presidência.
O convite foi aceito e uma nova fase estava sendo inaugurada com prioridade total para o futebol. Com o apoio do próprio Clóvis Arenari e de outros desportistas como, Reginaldo Henriques Mota, José Carlos Azevedo, Édio Pereira Filho, Luiz Antônio Petrucci, Carlos Fernando Dutra de Andrade, Ramildo Rangel de Azeredo, Edward da Silva Ferreira, João Carlos Guimarães Machado, Sebastião Siqueira, José Luis de Macedo e Josaphat Ribeiro, o time dirigente passou a trabalhar muito o futebol, o que redundou no sucesso de 1983, com a conquista do Campeonato Estadual da Terceira Divisão, passando a disputar a chamada “Segundona” do Rio de Janeiro. Mas nem tudo foram flores.
Terminado o mandato de Paulo Machado ao final de 1984, em que se bateu a porta para subir para a primeira Divisão, ele se afastou do Clube, com o grupo por ele liderado, tomando o mesmo caminho. Dr. Clóvis Arenari voltou ao comando do Clube, rompendo com “Dr. Paulinho” logo em seguida. Foram dias difíceis, mas o Rio Branco ainda disputou a Segunda Divisão de 2005, marcado por duas partidas incríveis contra o Volta Redonda Futebol Clube, no Ary de Oliveira e Souza (onde o Rosão mandava os seus jogos) e no Raulino de Oliveira.
Mas o tempo passou, o Clube abandonou o futebol profissional e houve o convite ao comerciante Adauto Alves Rangel para fazer parte da diretoria, cabendo a ele a vice presidência social. Bons momentos aqueles em que o Clube passou a promover serestas dançantes, como a mínima estrutura, mas com todo o sucesso que requer uma promoção deste quilate.
Em 1992, Adauto Rangel foi eleito presidente do Rio Branco. Estava ali inaugurada uma nova fase na história do Clube fundado em 1912. No seu discurso de posse, no Centro Esportivo Fluminense, “Edu” como gosta de ser chamado, anunciou que não havia grandes pretensões no seu mandato, e o maior objetivo era dar projeção ao Rio Branco, incentivando as categorias de base, administrando com carinho, respeito e muito amor, seguindo o legado dos presidentes imediatamente anteriores, reconhecendo que cabia a ele o principal papel: o de não decepcionar. E o Edward não conseguiu avançar muito, mas também não decepcionou.

Títulos


Campeonato Fluminense de Futebol: 1961
Vice-Campeonato Fluminense: 2 vezes 1958 e 1962
Campeonato Carioca da Terceira Divisão: 2 vezes 1984 e 2001
Campeão Estadual do RJ de Juniores: 1980
Campeonato Citadino de Campos dos Goytacazes: 8 vezes 1917, 1928, 1929, 1931, 1949, 1958, 1961 e 1962
vice-campeão Zona Sul da Taça Brasil:1962.
Campeonato Brasileiro de Juniores: 2003 (invicto).
Campeão da Copa Rio Sub-17: 2001


Estádio: Mílton Barbosa

Alcunhas: Róseo-Negro


Torcedor: Riobranquense ou Róseo-Negro

Mascote: Carcará

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Barreiros Futebol Clube

O Barreiros Futebol Clube é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Barreiros, no estado de Pernambuco. Atualmente disputa a Campeonato Pernambucano de Futebol - Série A2.

Estádio

Estádio Municipal Luiz Brito Bezerra de Melo

domingo, 11 de abril de 2010

Itaú Esporte Clube

Em 1956, inaugura-se o Itaú Esporte Clube, criando maiores oportunidades de diversão para os itauenses, com grandes e inesquecíveis bailes de debutantes, carnavais, além das piscinas, quadras e brinquedos que entusiasmavam as crianças e jovens.

Cores: Azul e Branco

Estádio: Engenheiro Jorge Oliva
Oficialmente, em 15 de agosto de 1960, acontece a tão esperada visita do jogador “Pelé”, para inauguração do Estádio Engenheiro Jorge Oliva, e que, obviamente, ficou lotado para sua recepção. Foi o jogo entre o time do Santos Futebol Clube contra o time local, terminando com o placar de Santos 3 e Itaú 2.

Histórico: Campeão Mineiro da Segunda Divisão 1961

Mesmo o clube sendo campeão da 2a divisão em 1961, nunca chegou a disputar a 1a divisão mineira, pois perdeu a vaga em uma disputa obrigatória neste ano com o Bela Vista, ultimo colocado da 1a divisão.
 
Fonte: http://cacellain.com.br/blog/?p=7993

sábado, 10 de abril de 2010

Colatina Sociedade Esportiva

Surge em Colatina uma nova equipe de futebol, – o Colatina Esporte Clube – que contará com a participação de um grupo de desportistas de nossa cidade, com uma visão diferente do profissionalismo que se deve ter, quando se trata de futebol, tanto nas categorias amadoras, quanto profissional. Este grupo, realmente quer ver a Princesinha do Norte reconhecida nacionalmente.


Desde a noite de quinta feira, 10, quando foi enviado um representante, com a documentação necessária para fazer o registro do clube na Federação, e participar de um arbitral sobre a Segunda Divisão Capixaba, o Colatina Esporte Clube, transformou em realidade o sonho de pessoas ligadas ao esporte e que querem ver o nosso futebol bem representado nas competições oficiais do estado.

Mal o Colatina Esporte Clube foi criado, já mudou de nome. Passou a se chamar Colatina Sociedade Esportivo. "A mudança do nome deu-se por que já existe um registro na federação de "Colatina Esporte Clube". Então optamos por 'Colatina Sociedade Clube'. Nós pensamos em alguma coisa que realmente envolvesse a sociedade e como o time é feito em cima de um trablho social, veio o nome Sociedade. O primordial que o nome seja 'Colatina' e as cores predominantes o azul e o branco", disse o presidente do clube Célio Locatelli. O Colatina vai disputar a série B do Capixabão 2010.

Com a possível extinção do Clube Atlético Colatinense, o Colatina Sociedade Esportiva, ao lado do CTE Colatina, serão os nossos representantes na Segundona, que começará em março de 2010. Esta competição contará com a participação de nove equipes, e os clubes de nossa cidade ficaram na chave Centro-Norte, ao lado do Grêmio Esportivo Laranjeiras, Tupi, e Aracruz.

 
Eliminado nas semifinais, ficando a um passo logo no ano de estréia.
 
Estádio
 
Justiniano de Melo e Silva
Capacidade 12000

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Clube Esportivo Dom Bosco


O Clube Esportivo Dom Bosco é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Cuiabá, no estado de Mato Grosso. É o mais antigo do estado, tendo sido fundado no dia 4 de janeiro de 1925. Suas cores são azul e branca. Seu mascote é o Leão da Colina. Manda seus jogos no Estádio Governador José Fragelli.

Dom Bosco (o time mais antigo do Mato Grosso) e Mixto (o time com a maior torcida do estado) fazem o grande derby de Cuiabá. O encontro entre eles é conhecido como "Clássico Vovô", por ser o clássico mato-grossense mais antigo.

Apesar de encontrar-se hoje licenciado, conta com várias personalidades como torcedores ilustres, pois o Dom Bosco possui uma sede social que em tempos anteriores abrigavam grandes bailes e eventos sociais que atraíam as celebridades locais.

Lembrando que sempre foi um clube onde os frequentandores eram considerados a elite Cuiabana, cujo sua sede social se localiza no centro da capital mato-grossense que já foi a melhor estrutura dentre os clubes do estado, hoje em dia está abandonada e ruindo pelas más administrações dos passado.

Licenciado desde 2007 e às vésperas de uma nova eleição, o Clube Esportivo Dom Bosco pode ser convidado para disputar o Campeonato Estadual da Segunda Divisão. Foi o que informou na manhã desta terça-feira o presidente da FMF, Carlos Orione. O dirigente disse que entraria em contato com o presidente dom-bosquino, Álvaro Scolfaro, “para saber do interesse deles na competição”. Citando a tradição do Azulão – time mais antigo do Estado -, Orione considera ser “importante que eles voltem ao futebol profissional”. O Dom Bosco tem eleição prevista para junho e, segundo informações do presidente do Conselho Deliberativo, José Eurípedes Leão, os 25 conselheiros do clube estão tentando marcar uma reunião com o atual presidente do clube. Confirmando informação anterior, Orione disse que “com certeza” serão convidados Palmeiras, REC, Cacerense, Primavera, Jaciara e Tangará. A competição será realizada em junho, durante a Copa do Mundo da África.

Títulos

Campeonato Mato-Grossense: 6 vezes (1958, 1960, 1963, 1966, 1971 e 1991).

Estádio

Verdão
Capacidade: 40.000 pessoas

Alcunhas: Clube da Colina Iluminada
Torcedor: Dombosquinos
Mascote: Leão da Colina, Academia

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Clube Atlético Paulistano

O Club Athletico Paulistano é um clube poliesportivo brasileiro sediado em São Paulo, fundado em 29 de dezembro de 1900. Sua sede encontra-se no Jardim América, próximo ao centro da cidade. Formou um importante clube de futebol no início do século XX, tendo vencido o Campeonato Paulista onze vezes (1905, 1908, 1913, 1916, 1917, 1918, 1919, 1921, 1926, 1927 e 1929).

Até hoje, o Paulistano, que fechou seu departamento de futebol em 1929, é o único clube a ter sido tetracampeão paulista consecutivamente, em 1916, 1917, 1918 e 1919. Nenhum clube paulista conseguiu igualar tal marca.

Seu uniforme titular era formado por uma camisa e calção brancos com detalhes em vermelho, e meias pretas . O segundo uniforme tinha camisa vermelha, calção branco e meias pretas.

História

Renato Miranda, Olavo de Barros e Sílvio Penteado assistiram, no Colégio Mackenzie, uma partida de futebol deste contra o Internacional, e ficaram estusiasmados. Assim, começou a nascer a ideia de se criar uma nova equipe de futebol que fosse para brasileiros e que representasse a cidade.

No fim de dezembro de 1900, na rua São Bento, nº5, houve a reunião que selou definitivamente a fundação daquele que seria o maior time do país no seu tempo. Como um dos fundadores da Liga Paulista, o Paulistano disputou todos os campeonatos por ela promovidos até 1912.

Em 1913 ocorre a primeira cisão das ligas, e o Paulistano liderava a criação da APEA. Na verdade, a equipe discordava da popularização que o esporte estava sofrendo com o surgimento de clubes como Corinthians e Ypiranga. Em 1915, houve a desapropriação do terreno do Velódromo, o Club Athletico Paulistano ficou sem sua sede esportiva. Foi então decisiva a ação de um dos sócios fundadores, Manuel Carlos Aranha, neto, o Carlito Aranha que, juntamente com um grupo de rapazes, conseguiu que o time do Paulistano não acabasse. Um novo terreno foi adquirido no Jardim América, entretanto o Paulistano não possuía, de imediato, local para seus treinos. Carlito Aranha pediu emprestado os campos do Palestra Itália e do São Bento e, graças à sua iniciativa, a equipe de futebol do Paulistano pôde participar dos campeonatos. Por fim, em 1917, foi inaugurado o novo campo do Paulistano, o Estádio Jardim América. Em 1916, a LPF é extinta e a liga criada pelo Paulistano continuou forte de prestigiada. O Paulistano sagrou-se tetracampeão, em 1919, apesar de toda crise pela qual passava.

Em 1926 o futebol começava a partir para o profissionalismo e o Paulistano, fiel às raízes amadoras do esporte, foi contrário e fundou uma nova liga, a Liga dos Amadores de Futebol (LAF). A liga durou até 1929, quando o time resolveu fechar seu departamento de futebol.

Após ser campeão do último campeonato que disputou, o Paulistão de 1929, O time do Paulistano fez sua derradeira apresentação em 15 de dezembro de 1929. Em seu pequeno campo, o Estádio Jardim América, com bom público no dia, o Alvirubro jogou grande partida, impondo um 6x1 sobre o Antarctica Futebol Clube (que mais tarde teria grande importância para o legado futebolístico do Paulistano), com gols de Mílton (4), Friedenreich e Luizinho para o mandante, e Spitaletti para o time da Moóca. Sua última formação fora Nestor; Clodô; e Bartô; Romeu, Rueda e Abate; Luizinho, Joãozinho, Friedenreich, Milton e Zuanella. Fora o canto do cisne e uma digna e grandiosa despedida para o Gigante no esporte bretão, que legaria com herança ao mundo, em seu lugar, outro grande time.

Quando saiu dos campos, o Paulistano era disparado o melhor time do estado. Tinha onze títulos contra sete do Corinthians e três do Palestra, além de ter contado com Arthur Friedenreich que foi seu artilheiro por seis vezes. É até hoje, 2009, o único tetracampeão consecutivo do Campeonato Paulista (1916 a 1919, sendo que mantém em sua sala de troféus as duas taças oferecidas pela APEA).

Fato memorável do clube foi a excursão da equipe de futebol à Europa em 1925, graças à iniciativa do presidente do clube, Antônio Prado Júnior. A equipe disputou dez partidas na França, Suíça e Portugal, perdeu apenas uma das partidas e logo após o término da primeira, vencida com o placar de 7 a 2 sobre o selecionado francês, os brasileiros foram denominados pela imprensa francesa por "Les Rois du football". Algumas das bolas utilizadas na Europa estão na sala de troféus do clube, além de muitos documentos textuais e iconográficos que permitem conhecer com mais profundidade a riqueza de tal feito futebolístico.

Pode-se considerar que o Paulistano abriu as portas do continente europeu para o futebol brasileiro. Tanto que nos anos trinta alguns brasileiros foram representar o futebol europeu, principalmente na Itália. Houve o famoso Anfilogino Guarisi, Filó, que não só jogou em time italiano, como representou a Itália na Copa de 1934, sagrando-se campeão mundial.

Após o fechamento do departamento de futebol, uma grande parte de seus jogadores e alguns membros da diretoria fundaram o que é hoje o São Paulo Futebol Clube.

Títulos

Campeonato Paulista: 11 vezes 1905, 1908, 1913, 1916, 1917, 1918, 1919, 1921, 1926, 1927 e 1929
Estádio: 
Velódromo da Consolação(de 1900 a 1915) e Jardim América(de 1917 a 1929)
Capacidade: 10.000 (Velódromo) e 15.000 (Jardim América)

Site

http://www.paulistano.org.br/


quarta-feira, 7 de abril de 2010

Associação Desportiva Cabofriense

Foi criada a partir do espólio da antiga Associação Atlética Cabofriense, que fechou as portas devido a inúmeras dívidas. Seu primeiro presidente foi Valdemir Mendes e seu presidente de honra, Alair Corrêa, dá nome ao estádio no qual o clube manda os seus jogos.

Logo em seu primeiro ano de existência, a Cabofriense foi convidada pela FFERJ para participar do Campeonato Carioca da 3ª Divisão, competição na qual o clube vice-campeão. Em 1998, a Cabofriense conquistou o Campeonato Carioca da 2ª Divisão, ao vencer o Campo Grande no dia 5 de julho, pelo placar de 2 a 0 (gols de Sharle e Charles Guerreiro).
No ano de 1999, por questões trabalhistas, os sócios mudaram o nome do clube para Cabo Frio Futebol Clube. Esta seria a denominação até 2000, quando os problemas com os sócios foram resolvidos e o clube retorna ao nome de Associação Desportiva Cabofriense.
Em 2001, a Cabofriense foi rebaixada do Campeonato Carioca da 1ª Divisão. O clube retornou à elite do futebol carioca em 2002, sendo novamente campeão da Segunda Divisão estadual. O título desta vez foi obtido em um quadrangular envolvendo as equipes do Macaé Sports, Arraial do Cabo e Rio Branco.
Em 2005, sob o comando do técnico Paulo César Gusmão, a Cabofriense conseguiu chegar pela primeira vez à semi-finais da Taça Guanabara, sendo eliminada pelo Volta Redonda, que seria o campeão. Em 2006, foi novamente semi-finalista da Taça Guanabara, sendo eliminado pelo América nas decisão por pênaltis. Também chegou à inédita semi-final da Taça Rio, perdendo a vaga na final para o Madureira, também em cobranças de penalidades.
Em 2007, foi vice-campeã da Copa Rio, perdendo as finais para o Volta Redonda. Em 2009, a Cabofriense foi rebaixada novamente no Campeonato Carioca da 1ª Divisão juntamente com o Mesquita Futebol Clube.

Títulos

Campeonato Carioca - 2ª divisão: 2 vezes (1998 e 2002).

Hino

Sou Tricolor por mil razões sou o mais forte

E no esporte serei sempre campeão
Hei de lutar
Hei de vencer!
Cabofriense hei de ser até morrer
Hei de lutar
Hei de vencer!
Cabofriense hei de ser até morrer.


No futebol sou o melhor é evidente
Nossa torcida a cada jogo está presente
Verde é esperança
O branco é paz
Vermelho é raça que o meu time sempre traz.
Verde é esperança
O branco é paz
Vermelho é raça que o meu time sempre traz.


Estádio

O Estádio Alair Corrêa, conhecido como Correão, está localizado na cidade de Cabo Frio e pertence à prefeitura desta mesma cidade. Possui capacidade para 4.200 espectadores. A equipe mandante é a Associação Desportiva Cabofriense.

Em determinada época de sua existência foi renomeado como "Carrição" (em justa homenagem a Nenzinho Carriço) porém devido à baixa aceitação popular voltou a ser chamado "Correão" em homenagem a gestão do Sr. Alair Corrêa, quando Prefeito da Cidade de Cabo Frio.


Mascote Marlim Azul

Site
http://www.cabofriense.com/

terça-feira, 6 de abril de 2010

Associação Desportiva Leônico

A Associação Desportiva Leônico é um clube de futebol de Salvador, capital do estado da Bahia, na Região Nordeste do Brasil.
Em 3 de abril de 1940, os componentes de firma exportadora de cacau, fumo e piaçava CARL LEONI & COMPANY, depois abrasileirada de CARL LEONI LTDA, adotaram derivado de LEONI, o clube ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA LEÔNICO .O time era chamado de “Leão Grená”, também conhecido como “Moleque travesso”.


Com a filiação à FBDT em 1942, o Leônico pôde participar de campeonatos amadores; conseguiu o título invicto da segunda divisão da categoria em 1946. No ano seguinte, foi campeão da primeira divisão amadora. Neste período já disputava com categorias de base também.

Profissionalismo (1960)

Alçado à condição de profissional, o Leônico fez suas primeiras excursões em 1961; em Aracaju, perdeu para o Sergipe (3x0) e venceu o Confiança (4x1); no primeiro jogo contra um clube do Sudeste, goleou a Portuguesa/RJ por quatro a zero. Em 1966, a grande conquista estadual. Mesmo sem disputar o primeiro turno do Campeonato Baiano, o Leônico foi campeão do segundo; enfrentou o Vitória na final. Após uma vitória para cada, foi realizado um jogo-desempate decisivo na Fonte Nova, onde o Leônico bateu o adversário por 2x1 e sagrou-se campeão baiano. Ganhou aí o apelido de "moleque travesso".
Em 1978, o Leônico ainda seria vice-campeão baiano, o que acabou levando a equipe à disputa da Taça de Prata; outro vice em 1984 fez com que a equipe disputasse o Brasileirão de 1985. Entretanto, o declínio veio no reduzido Campeonato Baiano de 1990, onde o time acabou rebaixado para a segunda divisão estadual. Mesmo com o acesso conquistado no ano seguinte, em 1992 o Leônico não venceu nenhuma partida e foi novamente rebaixado, e até hoje não retornou à elite do futebol baiano - inclusive passou muitos anos sem disputar a segunda divisão, retornando apenas na controversa campanha de 2007.

Polêmica em 2007
Em 2007, o Leônico retornou à Segunda Divisão do Campeonato Baiano de Futebol, disputando uma vaga pelo acesso à Primeira Divisão. Na última rodada da competição, o time protagonizou um polêmico momento ao ser goleado por 10x0 pelo Guanambi, o resultado exato que classificaria o próprio Guanambi para a disputa das finais frente ao Feirense.
Houve queixas de facilitação do jogo por parte do Galícia (concorrente direto por uma vaga na final), além de denúncias de ameaça de morte destinadas ao goleiro do Leônico, que disse ter sido intimidado por torcedores do Guanambi. A polêmica obteve repercussão nacional e foi parar no TJD baiano, que anulou o resultado da partida e obrigou a FBF a marcar um novo jogo. Adicionalmente, o "Moleque Travesso" foi suspenso por um ano das competições profissionais por não apresentar médico em algumas partidas do campeonato.

Estádio

O Estádio Edgard Santos é um estádio de futebol de Simões Filho, município do estado brasileiro da Bahia, com capacidade para 4.000 espectadortes que atendeu à Associação Desportiva Leônico

Títulos

Campeão Baiano 1966

Hino


Letra: César Tapioca
Música: Maestro Chorinho

GRENÁ E BRANCO
SÃO AS CORES DA BANDEIRA
SUA HISTÓRIA CHEIA DE GLÓRIAS
TEM VALOR
O SEU PASSADO DE ALEGRIA
SERÁ LEMBRADO A VIDA INTEIRA
SEUS TROFÉUS SÃO FRUTOS
DE LUTA, SUOR E AMOR.


PRA FRENTE LEÃO GRENÁ
COM GARRA VAMOS VENCER
LEÔNICO POR TODA VIDA
LEÃO GRENÁ ATÉ MORRER.(BIS)


Site

http://www.adleonico.com.br/

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Grêmio de Esportes Maringá

O GRÊMIO MARINGÁ, foi fundado no dia 7 de julho de 1961, por desportistas da Cidade Canção, que se reuniram com a iniciativa de fundar a primeira equipe de futebol profissional da cidade. As cores preta e branca foram escolhidas para o uniforme.

Em 1962, o GRÊMIO MARINGÁ fez sua estréia no Campeonato Paranaense e iniciou uma trajetória marcante na década de 60, tornando-se Tricampeão Norte-Paranaense em 1963/64/65, e Bi Estadual em 1963/64. O GRÊMIO MARINGÁ adota o GALO como seu mascote e por suas conquistas e a bravura de seus jogadores e sua apaixonada torcida logo ganha o adjetivo GUERREIRO.
O GRÊMIO MARINGÁ Campeão Brasileiro seria representante do Brasil na Copa Libertadores da América em 1970, porém, o Brasil não enviou nenhum representante por motivo da Copa do mundo no México. No ano seguinte o GRÊMIO MARINGÁ terminou o estadual na 6° colocação. O então presidente do clube, Navarro Mansur, pediu o licenciamento do clube por um ano, porém o afastamento prolongou-se até 1975.
Ausente do campeonato, em 1975, Maringá resgata seu GRÊMIO MARINGÁ e a tradição de uma cidade e seu time do coração. Uma vez GRÊMIO MARINGÁ, sempre GRÊMIO MARINGÁ. Assim é em Maringá. Em 1977, o “velho” GALO GUERREIRO torna-se campeão Estadual; e em 1981 é vice.
Em 1998, o GRÊMIO MARINGÁ foi vice-campeão da Copa Paraná, perdendo a final para o Atlético PR. O GRÊMIO MARINGÁ participou de torneios nacionais, como a Copa Sul de 1999, e a Copa Sul-Minas de 2000. Em 2001 foi Campeão Paranaense.
No entanto, esse sobe e desce de rendimento trouxe muitas dívidas; em 2002 o clube era administrado por um consorcio de esportistas. Em situação financeira difícil, o GRÊMIO MARINGÁ foi vendido ao empresário Aurélio Almeida.
Aurélio Almeida comprou a marca GRÊMIO MARINGÁ (GEM) e transformou o clube em empresa. O GRÊMIO MARINGÁ - GEM (Grêmio de Esportes Maringá) disputou os estaduais de 2003 e 2004. Em 2005, Aurélio Almeida comunica a Federação que o Grêmio não mais irá disputar o campeonato, solicitando o licenciamento do clube. Neste período o empresário trabalhou para a reorganização do futuro do clube, para elevar a um nível de 1ª Divisão do Brasil.
Em 2009, Aurélio Almeida anuncia o retorno do GRÊMIO MARINGÁ às suas atividades. O clube contratou o campeão mundial Muller como treinador e começou a estruturar seu elenco de jogadores para disputar o Campeonato Paranaense em 2010 e os próximos que virão, com o objetivo de conquistar muitos títulos para o clube. O clube conta com uma das maiores e mais fiéis torcidas do Sul do Brasil. No âmbito nacional a torcida do clube é vista como guerreira como a do Corinthians e do Flamengo.
O glorioso Grêmio Maringá participou de vários Campeonatos Brasileiros no passado e agora voltará para o lugar que nunca deveria ter saído, brilhando com muito orgulho no cenário nacional.


Através deste artigo quero esclarecer dúvidas sobre o GRÊMIO MARINGÁ. Muitos aqui pensam que somente existiu um time com essa denominação, porém a realidade é outra. Nas próximas linhas irei fazer uma descrição histórica dos fatos para que vocês tomem ciência que existiram nada mais que 4 clubes na cidade de Maringá com a denominação GRÊMIO MARINGÁ.


Em 1961, desportistas da cidade canção se reuniram na iniciativa de fundar a primeira equipe de futebol profissional da cidade. Assim, em 08/09/1961 nascia o GRÊMIO ESPORTIVO MARINGÁ. O clube utilizaria as cores pretas e brancas em seu uniforme. Sua estréia em estadual ocorre no ano seguinte. Torna-se Tricampeão Norte-Paranaense em 1963/64/65, e Bi Estadual em 1963/64. Em 1970 é proclamado Campeão Interclubes do Brasil, após desistência do Santos de Pelé da disputa do jogo decisivo depois de dois empates. Em 1971 o clube termina o estadual na 6° colocação, mas encontra-se com muitas dívidas. O Presidente do clube Navarro Manssur pede o licenciamento do clube por um ano, porém o afastamento se torna definitivo.

Após a frustrante tentativa do Maringá Esporte Clube em representar o município nos Estaduais de 1972 e 1973, a cidade ficou sem representante em 1974. Em agosto deste mesmo ano, dirigentes do Esporte Clube Operário, clube amador de Maringá fundado em 07/07/1961, resolvem resgatar a tradição do extinto Grêmio Maringá. Assim em 22/08/1974 nascia o novo time da cidade, o GRÊMIO DE ESPORTES MARINGÁ, que não tem nada haver com o Grêmio anterior, senão as cores e escudo. Em 1977 o clube torna-se campeão Estadual; em 1981 é vice. Após esse ultimo suspiro, nos anos seguintes o clube apenas sobreviveu. Em 1996 o clube se encontrava com grades problemas financeiros, e assim como seu antecessor deixou os campos para nunca mais voltar.

Em 1998, o nome Grêmio voltou ao cenário futebolístico de Maringá. Alguns esportistas maringaenses tentaram ressuscitar o antigo Grêmio Esportivo Maringá (Bi Campeão Estadual em 1962/63), mas com problemas judiciais isso não foi permitido. Deste modo, em 31/07/1998 nascia o GRÊMIO MARINGÁ – GEM. Este clube enfrentou altos e baixos em sua curta existência. Em 1998, tornou-se vice-campeão da Copa Paraná, perdendo a final para o Atlético. Sendo vice conquistou o direito de disputar a Copa Sul de 1999. Nesta competição o clube não ganha de ninguém, vira saco de pancada e marca apenas 1 ponto. Disputa o Estadual da 2° divisão e também não vence nenhum jogo e acaba sendo rebaixado para a 3° divisão de 2000. Mas neste mesmo ano vence a Copa Paraná em cima do Londrina E.C. e garante vaga na Copa Sul-Minas de 2000. Em 2001 torna-se Campeão Paranaense da 2° divisão. No entanto, esse sobe e desce de rendimento trouxe muitas dívidas; em 2002 o clube era administrado por um consorcio de esportistas; a situação não estava nada boa, até que surgiu o Sr. Aurélio Almeida. Aurélio, empresário e proprietário do time Império Toledo, comprou a marca Grêmio Maringá por R$ 190.000,00. Assim mais uma pagina do grêmio era virada.

Em 30/10/2002 nascia o GRÊMIO MARINGÁ S/A. clube empresa que disputou os estaduais de 2003 e 2004, sendo rebaixado neste ultimo ano para a 2° divisão de 2005. Em 2005, Aurélio Almeida funda outro clube em Curitiba, o Real Brasil, e comunica a Federação que o Grêmio não mais irá disputar a 2° divisão do Estado. Assim Maringá viu o derradeiro ato do ultimo Grêmio de sua história.

Fonte: http://blog.soccerlogos.com.br/2008/01/24/gremio-maringa-uma-historia-confusa/



Site
http://www.gremiomaringa.org/

domingo, 4 de abril de 2010

Centro Educativo Recreativo Associação Atlética São Mateus

A História da Associação Atlética São Mateus começa no dia 13 de dezembro de 1963, a partir da iniciativa do Padre Antônio Pianca, que organizou um time formado basicamente por seminaristas da Congregação Mariana e que treinavam em um campo localizado no Bairro Sernamby, onde atualmente está localizado o Estádio Manoel Moreira Sobrinho. O padre tinha por intenção proporcionar aos seminaristas uma nova forma de lazer, diversão e distração.
O campo onde treinavam havia saído construído pela comunidade do bairro, com o fim de criar um espaço comunitário para o desenvolvimento de atividades esportivas e sociais das crianças, adolescentes e jovens.
Com certa regularidade de jogos e a supervisão de João Nardoto Filho, seu primeiro presidente, o time passou a se chamar Centro Educativo Recreativo Associação Atlética Paroquial', sendo que até o ano de 1970 disputava partidas marcantes com o Industrial, de Linhares, que originaram uma rivalidade que ultrapassaria décadas entre as duas cidades. Os jogos contra o Matheense Football Club, também do bairro Sernamby, eram verdadeiros clássicos, recheados de rivalidade.
Em 1971, o clube mudou de nome e passou a ser conhecido como Centro Educativo Recreativo Associação Atlética Desportiva (AAD), para mais tarde se tornar Centro Educativo Recreativo Associação Atlética São Mateus.
Em 1975, quando ganhou personalidade jurídica, o São Mateus conquistou o 1º Campeonato do Norte do estado, passando a ser conhecido como O Gigante do Norte. O primeiro Campeonato Capixaba da 1ª Divisão que disputou foi em 1976, conquistando o troféu de Campeão Estadual do Interior.
Nessa época também, a diretoria do então presidente José Geraldo de Andrade entrou com uma ação na justiça reivindicando a posse do estádio. A justiça entendeu que era correta a reivindicação e a posse do estádio foi dada ao clube por usucapião.
No ano de 1979, a diretoria do clube decidiu voltar a disputar torneios amadores, por serem mais rentáveis. Nesse período o São Mateus foi tri-campeão do Campeonato Estadual de Amadores (1984, 1985 e 1986) e bi-campeão do Campeonato do Norte Capixaba (1984 e 1985).
Devido as conquistas no cenário amador e ao temor a camisa alvi-anil que os adversários tinham, em 1987 o clube voltou ao cenário profissional, sendo o campeão da primeira edição do Campeonato Capixaba da Série B, retornando assim a Série A em 1988.
No ano de 1994, o São Mateus foi Vice-campeão Capixaba, após a Desportiva Ferroviária conquistar ambos os turnos da competição.
No ano de 1995, o São Mateus disputou o seu primeiro campeonato nacional, o Campeonato Brasileiro da Série C, vaga conquistada com o vice-capixaba do ano anterior. Nessa competição, a Associação foi a nonagésima colocada no geral, com quatro pontos conquistados, decorrentes de quatro empates.
Em 1999, disputou sua primeira Copa Centro-Oeste, aplicando a maior goleada da competição naquele ano, 8x0 encima do Ivinhema-MT. Nesta competição, a Assossiação também teve a defesa menos vazada, com apenas 2 gols sofridos, terminando em 6º lugar.
No ano de 2000, o clube realizou a maior façanha de sua história, ao ser terceiro colocado Copa Centro-Oeste, após empatar, nas semi-finais, em ambos os jogos por 1x1 com o Vila Nova-GO, que conquistou a vaga por ter melhor campanha que a Associação. Vale ressaltar também que o São Mateus classificou-se as semi-finais como primeiro do seu grupo (grupo B). Neste mesmo ano, devido a esse feito, o clube passou a ser conhecido como O Pit Bull do Norte.
Após o terceiro lugar na Copa Centro-Oeste, a Associação passou por um período de estagnação, com resultados medianos no Campeonato Capixaba, o que gerou certa insatisfação da torcida.
No ano de 2005, o clube montou uma das equipes mais fortes do Capixabão, sendo terceira colocada na competição. Nesse mesmo ano, o São Mateus fechou uma parceria com o Fluminense, do Rio de Janeiro. Para comemorar a iniciativa, foi marcado um jogo amistoso entre a equipe capixaba e a categoria sub-23 do clube carioca. O São Mateus, para cerca de 5 mil pessoas, debaixo de forte chuva e com direito a apagão dos refletores venceu o Fluminense por 3x1.
No ano de 2006, foi montada uma equipe em parceria com uma empresa de Ibiraçu. O projeto não rendeu como esperado e o clube foi rebaixado com apenas um ponto conquistado no Campeonato Capixaba.
Em 2007, sob a presidência de Joelson de Oliveira, o clube foi quinto colocado no Campeonato Capixaba da Série B
Após ser rebaixado em 2006 e ter ficado em quinto lugar na Série B de 2007, em 2008 o São Mateus entra na competição como umas das equipes favoritas ao título e consegue se classificar às semi-finais da competição em primeiro lugar, após golear o GEL por 4x1 dentro do Sernamby.
Nas semi-finais o São Mateus enfrentou a equipe do Vitória, empatando por 2x2 o primeiro jogo em Bento Ferreira e goleando por 3x0 no segundo dentro do Sernamby, garantindo assim vaga na Série A de 2009.
Nas finais encarou o GEL, que havia derrotado a badalada equipe do Estrela. O primeiro jogo, em Serra, terminou em 2x2.
No jogo de volta, em São Mateus, a equipe alvi-anil saiu na frente do marcador, deixando o GEL virar para 2x1, placar que persistia até 37 minutos do segundo tempo, quando o xodó da torcida mateense, Ferrugem, empatou o jogo com um chute de fora da área. O resultado que se mateve até o fim da partida deu o título ao São Mateus, por ter feito melhor campanha que o GEL.
Após ser campeão capixaba da Série B, a diretoria do São Mateus chegou a ameaçar de não disputar a Série A de 2009 alegando falta de recursos para a disputa do mesmo campeonato. Caso isso tivesse acontecido, o clube seria novamente rebaixado à Série B. Mas faltando apenas poucas semanas para o inicio do Capixabão, o presidente Joelson de Oliveira incumbiu Pedro Artur (supervisor), Barto (gerente de futebol) e Vevé (técnico) de formarem uma equipe as pressas e que era composta de jogadores desconhecidos até então no cenário capixaba. Sua proposta e principal meta era não deiixar novamente o clube ser rebaixado. Mas a desconhecida equipe e que até então levantava desconfiança da torcida, realizou uma das melhores campanhas da história do Campeonato Capixaba, classificando em primeiro lugar para as semi-finais na penúltima rodada, enfrentando assim o Vilavelhense, sendo derrotado no Salvador Costa por 1x0 e vencendo no Sernamby por 2x0, classificando-se assim às finais do certame estadual.
Nas Finais, o São Mateus enfrentou a segunda melhor equipe da competição, o Rio Branco, que vinha de um jejum de 24 anos sem ser Campeão Capixaba. No Primeiro jogo, no Engenheiro Araripe para mais de 8000 pessoas, o Rio Branco venceu pelo placar de 2x1, com direito até a contusão do juiz no segundo tempo.
Na partida de volta, no Sernamby, a equipe Capa Preta saiu na frente do placar, colocando uma vantagem de 2x0, iniciando assim uma série de eventos duvidosos por parte da equipe de Vitória.
Após o primeiro gol da equipe mateense a confusão se instalou e após alguns minutos de violência, o arbitro Devarly do Rosário deu continuidade a partida, que não durou muito tempo, pois exatamente após o reinicio, Bombom empatou para o São Mateus, o que novamente acarretou em paralisação.
Após quase 20 minutos de vandalismo, novamente o arbitro deu continuidade ao jogo, que não continuou por muito tempo. O senhor Devarly do Rosário viu-se obrigado a encerrar a partida com apenas 16 minutos de bola rolando no segundo tempo, após o atleta do Rio Branco Elder contundir-se bizarramente após cobrar um lateral.
O campeão capixaba acabou sendo decido nos trubunais. O Pleno do TJD da FES decidiu que o título deveria ser dado ao São Mateus e após alguns meses, o Pleno do STJD decidiu o mesmo, sagrando definitivamente o São Mateus como Campeão Capixaba de 2009.
No mês de agosto, decidi-se que o São Mateus deveria disputar a Copa Espírito Santo numa parceria com o Veneciano, de Nova Venécia. Os jogos seriam mandados no Zenor Pedrosa Rocha, naquela cidade, mas os planos esbarraram na capacidade do estádio, que é de apenas 1600 pessoas, sendo que o regulamento exige no mínimo 2000.
No mês de setembro foi anunciado que o Estádio do Sernamby foi posto a venda, pelo valor de 9 milhões. Os objetivos da venda são de sanar as dividas do clube, que gira em torno de 800 mil e construir um novo estádio, nos moldes do Conilon, em Jaguaré, com capacidade para 15 mil pessoas.
Em 2010, a equipe clube disputou sua primeira Copa do Brasil, contra o Remo, do Pará, sendo eliminada na primeira fase, ao ser derrotada por 2 a 1 e 4 a 1.

 Títulos

Campeonato Capixaba de Futebol: 2009
Campeão Capixaba da Série B: 2 vezes 1987 e 2008

Estádio

O Estádio Manoel Moreira Sobrinho, mais conhecido como Estádio do Sernamby é a casa do torcedor mateense. Sua capacidade, inicialmente, era de 1500 lugares. Com posteriores ampliações, o estádio, em meados da década de 1990, passou a ter a capacidade de 5000 lugares e com a mais recente ampliação, em 2004, o estádio possui hoje a capacidade de acomodar 7000 torcedores.

Seu primeiro lance de arquibancadas não possui data precisa de construção, mas há relatos de que seja uma construção do final da década de 1960 ou início da década de 1970. Por se tratar de um projeto arquitetônico de quase 40 anos, adicionando a incompetência de administrações passadas, hoje o Sernamby corre sério risco de ter a sua capacidade reduzida a 5500 lugares, pois por tal lance de arquibancadas é travada uma queda de braço entre o clube e a FES (Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo), que, segundo laudos do Corpo de Bombeiros, afirma que a arquibancada não possui mais condições de uso. Já o clube baseia-se em laudos de engenheiros civis para afirmar que a arquibancada está em condições de plena utilização.

Alcunhas: Pitbull do Norte, Alvianil do Sernamby, Gigante do Norte, Azulão, Associação, São Teteu

sábado, 3 de abril de 2010

Sociedade Esportiva São Borja


A Sociedade Esportiva São Borja é um clube brasileiro de futebol, da cidade de São Borja, no estado do Rio Grande do Sul. Suas cores são o vermelho, o azul e o branco.

O São Borja surgiu da fusão de Internacional e Cruzeiro, dois clubes tradicionais que rivalizavam na cidade e que passavam por dificuldades financeiras. O clube herdou a cor vermelha do Internacional e a azul do Cruzeiro. A fusão pretendia unir a população para apoiar e fortalecer o futebol de São Borja.

Já no seu primeiro ano o São Borja disputou a Primeira Divisão do Campeonato Gaúcho, mantendo-se nela ininterruptamente por 11 anos (1977 a 1987), chegando à fase final da competição em três oportunidades:

1980: 6º lugar (melhor campanha da história do clube);
1981: 7º lugar;
1983: 8º lugar.

No Campeonato Brasileiro da Série C de 1981, o São Borja chegou à 3ª fase da competição, terminando a competição em 5º lugar.

No Campeonato Gaúcho de 1987 o time ficou em 14º (último lugar) e foi rebaixado para a Segundona pela primeira vez.

Em 1997, o São Borja retornou à Primeira Divisão disputando a Série B (Divisão de Acesso), na época em que a Primeira Divisão era dividida em duas séries. A equipe entrou numa das vagas deixadas por Aimoré e Atlético de Carazinho - que haviam se licenciado. Mas o São Borja tornou a ficar em último lugar (14º na Série B) e foi rebaixado. Após o campeonato o São Borja se licenciou do futebol profissional.

Em 2009 o São Borja retomou suas atividades com a denominação de Associação Esportiva São Borja, inicialmente dando ênfase nas categorias de base, participando do Campeonato Gaúcho de Juvenis.

Estádio

Vicente Goulart (Vicentão)
Capacidade: 8.000 pessoas

Alcunhas: Bugre Missioneiro e Missoneiro de Alma
Mascote: Cruz de Lorena e Índio

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Taguatinga Esporte Clube

Taguatinga Esporte Clube é um clube de futebol brasileiro sediado no Distrito Federal. Foi fundado no dia 27 de janeiro de 1964. Sua sede fica na cidade-satélite de Taguatinga e tem como alcunhas o nome de Águia e TEC,siglas do nome do time. Seu uniforme era composto de camisa azul, calção branco e meias azuis. O mascote do clube é uma águia, homenageando a cidade de Taguatinga. Mandava seus jogos no estádio Elmo Serejo Farias.


Após o tri-campeonato em 1993 o Taguatinga nunca mais foi o mesmo, em 1996 acabou caindo no campeonato Candango, mas no ano seguinte conseguiu o acesso, sendo que em 1998 fez uma boa campanha no candangão e em 1999 pra tristeza da cidade o time amargou outro rebaixamento, ficando na lanterna do campeonato e desativando seu departamento de futebol, principalmente após a saída do homem forte do clube, Froylan Pinto e pelas más administrações que geraram dívidas enormes. Apesar de estar a 10 anos sem disputar uma competição, consta como licenciado na FBF, mas ainda não há previsão de volta do TEC.

Títulos
 
Campeonato Brasiliense: 5 vezes (1981, 1989, 1991, 1992 e 1993).

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Clube Atlético Pimentense

O Clube Atlético Pimentense é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Pimenta Bueno, no Estado de Rondônia.O escudo é igual do Atlético-PR. Fundado em 08 Março 1987

 O clube de Pimenta Bueno não sabe o que é uma vitória a mais de dez anos.
A última vitória do clube de Pimenta Bueno ocorreu no dia 16 de outubro de 1994, com uma vitória magra sobre o Palmares por 1 a 0, no estádio Luís Alves Athaíde. Já a última vitória fora de casa, ocorreu no dia 9 de outubro de 1994, quando o Pimentense venceu o VEC, mesmo adversário deste domingo, por 1 a 0, no Portal da Amazônia.
Porém uma explicação lógica existe para este longo período sem vitórias. O Pimentense disputou no início dos anos 90 somente os estaduais de 1993 e 1994, já que no período de 1992 e 1993, o representante do município de Pimenta Bueno era o Esporte Clube Colorado.
Após 1994, o Pimentense só retornou ao campeonato profissional em 2004, onde simplesmente não conseguiu vencer sequer uma partida, empatando três e perdendo três jogos. Já em 2005, o clube de Pimenta Bueno acumula sua segunda derrota na competição. Na estréia, o Pimentense perdeu para o Genus por 2 a 1, em Porto Velho e voltou a ter novo revés neste domingo para o VEC, em casa, por 3 a 0.
Ao longo de dez anos, o Pimentense disputou 16 jogos e conquistou dez derrotas e seis empates, sofrendo 33 gols e marcando somente sete gols.

Andam dizendo por aí que o Clube Atlético Pimentense é o pior time do país. Eis os números do bravo representante de Pimenta Bueno (31 mil habitantes) no Campeonato de Rondônia: 4 jogos, 4 derrotas, 2 gols a favor e 29 gols tomados.
Algozes: Espigão 8 x 1; Ariquemes 2 x 1; Vilhena 13 x 0; Gênus 6 x 0.
 O Clube Atlético Pimentense, que tem o escudo idêntico ao do Atlético-PR, começou 2009 desta forma. O Pimentense está na última colocação do Campeonato Rondoniense, com dois gols feitos e 23 sofridos. A equipe da cidade de Pimenta Bueno, que fica a 530 quilômetros da capital Porto Velho, é um forte candidato a ser o pior time do Brasil nesta temporada e desbancar o sempre favorito Íbis, nesta ingrata disputa.

- Não me comparo com o Íbis. O time nordestino tem uma diretoria totalmente inerte. Aqui é diferente, o problema financeiro é evidente, mas os dirigentes se preocupam com o clube. Realizamos um trabalho muito atento, com os pés no chão – garantiu o presidente Rubens Gomes da Silveira.

O presidente do Conselho Deliberativo do clube, Análio Neto, filho de Rubens, foi o responsável pela mudança do escudo da equipe, no início do ano passado.

- Meu filho, que entende muito de futebol, mas não joga nada, tomou esta decisão. Resolvemos seguir quem está bem, e o Furacão é um ótimo exemplo. A homenagem foi correta, temos um grande número de paranaenses morando nesta região. Podemos ser um filho adotivo do Atlético-PR no futuro, seríamos muito gratos – disse Rubens.

O Pimentense enfrenta sérios problemas financeiros, mas luta para se manter e melhorar a cada dia suas condições. Apesar de não pagar um centavo sequer a nenhum jogador, o clube mantém uma estrutura de alojamento e alimentação para 70% do elenco, de jovens na faixa de 19 anos. Os outros jogadores do elenco exercem outra atividade além do futebol e não moram no clube.



Estádio

Luiz Alves Athaide
Capacidade 3 mil